NOME NOME NOME

sábado, 28 de maio de 2016

Mossoró registra 6 casos de estupro esse ano; “Temem a denúncia”, diz delegada


O caso do estupro de uma adolescente de 16 anos por 33 homens esta semana no Rio de Janeiro chocou o Brasil e o mundo. A brutalidade do crime chamou a atenção e o assunto tomou conta das redes sociais e imprensa.
Em 2014, o Brasil contabilizou 47.646 estupros. É o que mostram os dados oficiais das secretarias estaduais da Segurança coletados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.
No mesmo ano em Mossoró foram registrados 21 casos relacionados a estupro, sendo um coletivo, quando uma jovem foi abusada por cinco adolescentes.
Destes 21 casos de 2014, 20 envolvem vulneráveis – o que a lei considera como sendo menores de 14 anos. Já em 2015 o número foi maior, 31 casos.
Este ano a Delegacia Especializada no Atendimento a Mulher (DEAM) de Mossoró já registrou seis casos de estupro, cinco deles envolvem crianças. Os dados foram repassados pela delegada Cristiane Magalhães, titular da DEAM.
Segundo ela, Mossoró já teve um número bem maior de casos, mesmo assim, a ocorrência desse tipo de crime ainda é algo que preocupa. Atualmente, cerca de cinco casos de violência contra a mulher são registrados na delegacia. Os agressores geralmente são os maridos, ou ex-companheiros.
A delegada relata que este tipo de crime geralmente é cometido por pessoas próximas a vítimas. “Muitos dos casos acontecem dentro da casa da vítima, são namorados, padrastos, primos, tios, não dá para prever. O fato da menina mais nova, 13 anos, por exemplo, iniciar relacionamentos mais cedo é algo que deve ser analisado”, alertou a delegada.
Cristiane detalha que no caso de estupro de vulnerável, os criminosos geralmente são conhecidos ou da própria família. “Eles oferecem doce, dinheiro, tentam agradar a criança, já no caso de maiores de 14 anos, geralmente são namorados”, relatou.
O estupro é crime previsto no Art. 213 e o estupro de vulnerável no Art. 217 do Código Penal Brasileiro. As penas são de 6 a 10 anos de prisão no primeiro caso, e de 8 a 15 anos no segundo.
Apesar da dificuldade dos pais e familiares em lidar com casos de estupro, a delegada alerta que a criança ou adolescente dá sinais de que foi vítima do crime. “O comportamento da criança muda, o rendimento na escola cai muito, no caso de adolescente também. Se for vizinho, elas (as vítimas) querem ficar longe”, contou Cristiane.
O estupro é um crime que não dá para prever, até porque muitos dos criminosos sofrem de psicopatia e tem um comportamento frio e calculista. No entanto, Cristiane Magalhães afirma que há fatores que contribuem para a atuação de estupradores. É o caso de andar por ruas escuras, principalmente, se for sozinha.
“Evitar esses lugares diminui o risco, porque são lugares propícios para a atuação deles. No caso de crianças, é importante que os pais e responsáveis sempre estejam acompanhando os filhos. Não deixar eles irem sozinhos à escola, etc”, disse a delegada.
“As vítimas temem muito fazer a denúncia. Tem uma vergonha muito grande”, acrescenta Cristiane.
Durante a conversa, Cristiane relata um caso que ficou bastante conhecido em Mossoró no ano de 2014. O “Maníaco da Malha” ficou famoso por roubar e abusar de suas vítimas, mulheres.

“Compartilhar pornografia é crime”

O estupro coletivo ocorrido no Rio de Janeiro também chamou a atenção porque os criminosos filmaram o ato e compartilharam nas redes sociais. Especialistas relatam que eles agiram assim pelo cenário de impunidade no país.

Com o boom das redes sociais Facebook e WhatsApp, os vídeos logo se espalharam e põem em discussão a conduta das pessoas que compartilham tais conteúdos.

A delegada Cristiane Magalhães confirma que compartilhar pornografia é crime e está previsto no Art. 241 do Estatuto da Criança e Adolescente (ECA). A punição para o crime é de 3 a 6 anos de prisão e pagamento de multa.

Disque Denúncia:

SOS Mulher - 180 ou 0800 281 2336



Mossoró Hoje

Motociclista morre após colisão entre moto e viatura da PM em Paraná/RN


Um homem de 35 anos morreu na tarde deste sábado (28), após bater de moto contra uma viatura da Polícia Militar de Paraná, município situado na região do alto oeste potiguar. O acidente aconteceu por volta das 16h40min, na RN-117, altura do Sítio Unha de Gato, zona rural de  Paraná/RN. De acordo com o Subtenente Andrade, os policiais estavam realizando o policiamento ostensivo naquele município, pela referida Rodovia, quando o condutor de uma motociclista identificado como José Luiz Neto, conhecido como “Chico de Nega de Tetê”, teria invadido a contra mão de direção com sua moto e batido de frente na viatura. Com o impacto, a vitima foi arremessada cerca de 10 metros de distância, vindo a cair sobre a pista de rolamento. De imediato os policiais acionaram uma ambulância  e socorreram a vítima para o HRCCA em Pau dos Ferros, não resistindo a gravidade dos ferimentos o motociclista já deu entrada na unidade hospitalar em estado de óbito. O motorista da viatura sofreu  escoriações leves. Uma equipe do 4º DPRE  compareceu ao local para as providencias necessárias.


Nosso Paraná

Carroceiro desempregado devolve R$ 7 mil que achou em rodovia federal


Pode ser um alfinete, mas se não é seu tem que entregar', diz carroceiro. Desempregado recebeu proposta de trabalho após devolver mochila, em PE.
Carroceiro desempregado devolveu dinheiro, cheques e itens de luxo ao proprietário (Foto: Kamylla Lima)
Desempregado há dois meses e com o Bolsa Família como única fonte de renda, o carroceiro Ednaldo da Silva andava a pé na sexta-feira (27) na BR-232, em São Caetano, Pernambuco, quando encontrou uma mochila contendo R$ 7 mil, cheques e itens de luxo. No mesmo dia, conseguiu devolver tudo ao proprietário e acabou recebendo uma proposta de trabalho. "Pode ser um alfinete, mas se não é seu tem que entregar", disse o carroceiro.
Ednaldo contou que seguia com a carroça ao lado esposa, do enteado e do burrinho "Chocolate" às margens da rodovia quando viu a mochila. "Eu pedi para a minha mulher pegar [a bolsa], mas não abri na hora. Quando cheguei em casa e vi o 'bolo' de dinheiro fiquei logo assustado".
Dentro da mochila, estavam dois talões de cheque, um par de óculos escuros, um tablet e um aparelho celular - avaliados em R$ 3 mil, segundo a Polícia Rodoviária Federal. "Nessa situação difícil de crise sei que tudo está difícil, mas não posso ficar com o que não é meu. Quem achar o que não é seu, tem que devolver", afirmou Ednaldo.
Ele disse que foi na casa do irmão pedir ajuda para desbloquear o aparelho celular e acionar o dono da bolsa. "A gente não sabe mexer nessas tecnologias. Ficamos assustados porque pensamos que poderia ser roubada. Então chamamos o pastor da nossa igreja para dizer a quem devolver", explicou José Lino da Silva, 27 anos, irmão do carroceiro.
Desempregado achou R$ 7 mil, cheques e outros objetos na BR-232 (Foto: Kamylla Lima)
O pastor João Leite, de 40 anos, instruiu o carroceiro a levar a mochila com os objetos para o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no município. Lá, o agente da PRF Afonso Ramos conseguiu contato com o dono da bolsa, que enviou um funcionário para buscar. "O mais interessante de tudo é que não houve manuseio das cédulas. Eles nem tocaram no dinheiro. Um gesto valioso e uma ação louvável devolver", afirmou o policial.
O funcionário do engenheiro, Rivaldo Santos, contou que o dono do dinheiro estava a caminho do Recife quando notou que havia perdido a bolsa. "Quando ele chegou em Caruaru viu que a mochila não estava, voltou para São Caetano, foi na empresa e não achou. Prestou até queixa na polícia, mas ficou muito emocionado quando soube que uma pessoa tão simples havia devolvido tudo", disse.
O engenheiro é diretor de uma empresa que presta serviços no setor elétrico no interior de Pernambuco e, através do funcionário, fez uma oferta de trabalho ao carroceiro. Ednaldo pretende ir na empresa na segunda-feira (30) para conversar sobre o provável novo emprego e também recebeu um envelope com uma recompensa.
Desempregado recebeu proposta de trabalho após devolver dinheiro (Foto: Kamylla Lima)



Kamylla Lima 
Do G1 Caruaru

Mulher é flagrada tentando entrar com droga na vagina em Alcaçuz no RN


Agentes encontraram material durante revista.
Uma mulher foi presa em flagrante, na manhã deste sábado (28), no momento em que tentava entrar em Alcaçuz para visitar um preso. Ela foi flagrada durante a revista, com droga escondida dentro da vagina.
A droga estava embalada em plásticos. A mulher aparentou nervosismo e isso chamou atenção dos agentes. Ela foi identificada como Lays Zarlay Tajra de Lima. Já o companheiro da suspeita, que iria receber a droga, é Nivaldo Sérgio Ribeiro Boaventura.
Diante do flagrante, Layz Sarlay foi encaminhada para a delegacia da Polícia Civil para ser autuada.

Sergio Costa

PM realiza operação para prender suspeitos de estupro coletivo no Rio


O objetivo é identificar e capturar criminosos que participaram do estupro coletivo de adolescente de 16 anos
Manifestantes montaram mural em apoio a vítima de estupro coletivo;No Brasil,uma mulher e violentada a cada 11 minutos (Foto Estadão)
Policiais militares do Grupo de Ações Táticas realizam neste sábado (28) uma grande operação na comunidade São José Operário, conhecido como morro da Barão, na Praça Seca, zona oeste do Rio. O objetivo é identificar e capturar criminosos que participaram do estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos no fim de semana passado. Houve tiroteio e, até agora, um suspeito foi detido.
De acordo com a PM, 70 agentes de sete batalhões participam da operação, com apoio de helicóptero, veículos blindados e do Batalhão de Ação com Cães (BAC). Além de capturar os agressores, a ação visa a "dar maior sensação de segurança à população", diz a corporação em nota.
O morro da Barão é o local onde a adolescente foi estuprada por 33 homens, segundo o depoimento da própria jovem à polícia. Ontem, a Polícia Civil já havia realizado uma operação para cercar a casa onde teria ocorrido o crime e realizar a perícia do local.
Na entrada dos policiais na comunidade durante a operação desta manhã, não houve resistência, de acordo com a PM. Porém, no ponto alto do morro, próximo à mata, alguns criminosos dispararam contra os agentes, e houve "breve confronto", sem feridos.
Além do suspeito detido, ainda não identificado, a polícia apreendeu drogas e recuperou dois veículos roubados, um Corolla e um Gol. O caso será registrado na Cidade da Polícia, sede das delegacias especializadas na zona norte do Rio e onde o caso do estupro está sendo investigado.

'Facções do RN são desorganizadas e fracas', diz secretário de Segurança


Ronaldo Lundgren falou sobre uma foto que mostra armas de fogo. Imagem foi atribuída a um confronto de grupos rivais no 'Japão', em Natal.
'Missão Japão': imagem com várias armas foi divulgada nas redes sociais logo após o confronto na comunidade (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
O secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Norte, general Ronaldo Lundgren, se pronunciou na manhã deste sábado (28) sobre uma foto de sete armas de fogo que vem circulando nas redes sociais. A imagem foi atribuída ao conflito ocorrido na noite desta sexta-feira (27) na 'Favela do Japão', como é mais conhecida a comunidade Novo Horizonte, no bairro das Quintas, Zona Oeste de Natal. Na ocasião, um homem foi morto. Para o secretário, “a foto é uma propaganda interna de uma facção criminosa que não tem efeito nenhum de intimidação”.
Ainda de acordo com o secretário, que enviou as declarações por meio de sua assessoria de comunicação, “as facções que atuam no estado são grupos desorganizados e fracos, e que de forma nenhuma as forças policiais mudarão a forma de agir”. A ordem, ainda de acordo Lundgren, “é ir pra cima”.Ainda na noite desta sexta, logo após o confronto, o secretário desceu as escadarias e caminhou entre becos e vielas da comunidade. Usando colete à prova de balas e escoltado por policiais militares, Lundgren foi até onde estava o corpo e falou sobre o conflito. “Ela (a PM) entrou no local, conseguiu interromper a disputa entre duas facções e está controlando a área. Então esse é o nosso trabalho. É o trabalho que a polícia vem fazendo todo dia. Então a população fique tranquila que a polícia está agindo e vai continuar agindo para manter a paz”, afirmou.
General de Brigada do Exército brasileiro, Ronaldo Pierre Cavalcanti Lundgren assumiu a Sesed no dia 13 deste mês. Ao tomar posse, disse que a segurança pública no Rio Grande do Norte passou um período sem receber a atenção devida. Apesar disso, afirmou que encara com otimismo a nova missão. “Eu vejo que as forças policiais do RN vêm cumprindo a missão e o cidadão que mora aqui deve ter um orgulho muito grande", ressaltou. Foi ele quem comandou, em 2014, a ocupação do Complexo da Maré, no Rio de Janeiro.
Secretário de Segurança do RN desceu as escadarias e caminhou entre becos e vielas da 'Favela do Japão', na Zona Oeste de Natal (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

Anderson Barbosa 
Do G1 RN

Laudo confirma estupro de filha de 7 anos pelo pai, que foi preso no RS


Homem foi preso suspeito de abusar das quatro filhas em Gravataí. A criança mais nova tem apenas 2 anos; mãe também é investigada.
Suspeito tem 31 anos e foi preso em casa, em Gravataí (Foto: Divulgação/Deam)
A Polícia Civil recebeu na manhã desta sexta-feira (27) o laudo do Instituto Geral de Perícias (IGP) confirmando que uma menina de 7 anos foi estuprada pelo pai, preso na quinta-feira (26) em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre, suspeito de abusar também das outras três filhas.
"Houve conjunção carnal recente com essa menina de 7 anos", afirma Marina Machado Dillenburg, responsável pela Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) em Gravataí. "Essa prova é muito importante", completa.
O homem de 31 anos, pai de quatro meninas entre 2 e 7 anos, está no Presídio Central.
A mãe das crianças também é investigada, pela suspeita de que sabia dos casos. As filhas foram levadas para passar por uma perícia física ainda na quarta-feira (25), após uma denúncia.
De acordo com a delegada, uma delegacia móvel foi montada no bairro onde a família mora, em Gravataí, há uma semana. Foi nesse momento que a polícia recebeu pedidos da comunidade para que uma solução sobre o caso fosse tomada. Porém, segundo ela, "desde 2014 há relatos da negligência em que essas meninas são mantidas pelos pais."
Os peritos que foram até a casa da família constataram essa negligência por parte dos pais em relação à higiene das crianças e da residência, que estava muito suja e sem alimentos.
As crianças estão sendo entrevistadas por uma equipe especializada. "Está sendo agendado aos poucos. Os relatos dela são muito importantes, considerando que elas são bem novas, uma tem 2 anos. Mas nós temos informação que houve manipulação de órgãos genitais dessas meninas", disse a delegada, sobre as outras filhas do homem preso.
No mesmo dia em que foram até a casa, os peritos providenciaram a retirada das crianças do local.
Agentes constataram falta de limpeza na casa da família em Gravataí (Foto: Divulgação/Deam)
Meninas foram retiradas de casa após visita de peritos (Foto: Divulgação/Deam)


Do G1 RS

Dupla é detida em flagrante quando tentava roubar pedestres em Natal-RN


Policiais do 5º Batalhão de Polícia Militar (5º BPM) detiveram na tarde desta sexta-feira (27), em Candelária, na zona Sul de Natal, Josevaldo Matias Cassiano e Wiliana Gomes da Silva, ambos de 25 anos. Eles foram flagrados no momento em que abordavam pedestres, utilizando uma faca, para fazerem assaltos. A ação rápida da Polícia faz parte da Operação Força Total que já se tronou uma rotina naquela região da cidade e tem colaborado para coibir a violência na capital potiguar. A dupla foi conduzida à delegacia de Plantão da zona Sul onde será autuada.

190rn

Homens incendeiam trator e dois caminhões da Prefeitura de Santa Cruz-RN


Três veículos do patrimônio público de Santa Cruz foram incendiados na noite de ontem. O crime aconteceu dentro do Centro da Juventude João de Dula, prédio que funciona o Serviço de Convivência do município.
Foram incendiados um trator, um caminhão coletor de resíduos sólidos e um caminhão-pipa. De acordo com a Secretaria Municipal de Agricultura, os veículos estavam em perfeitas condições de funcionamento e o prejuízo da Prefeitura de Santa Cruz é de cerca de R$ 250 mil.
Policiais afirmam que o incêndio dos veículos é criminoso e trabalham para descobrir quais são os autores de cometer este crime, que traz prejuízos à sociedade, já que os veículos são do patrimônio público e eram usados em benefício da população.

190rn

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Quatro suspeitos de estupro coletivo no PI são soltos após decisão judicial


Para delegado, não há dúvidas da participação dos menores no crime. Laudo médico confirmou abuso sexual em adolescente de 17 anos.
Delegado Aldely Fontineli (Foto: João Vitor)
Os quatro adolescentes apreendidos por suspeita de terem embriagado e estuprado uma garota de 17 anos em Bom Jesus, no Sul do Piauí, foram liberados nesta sexta-feira (27) após determinação judicial. Na sentença, o juiz Eliomar Rios Ferreira justificou que os menores têm bons antecedentes e a soltura deles não representaria risco para a sociedade e nem prejudicaria o andamento do processo. Apenas o jovem de 18 anos foi mantido preso e encaminhado ao presídio da cidade.
A vítima de 17 anos foi encontrada em uma obra abandonada no sábado (21), amarrada e amordaçada com a própria calcinha. Ela chegou a contar que foi conduzida ao local e violentada pelos cinco suspeitos. Populares socorreram a vítima, que foi encaminhada para o hospital de Bom Jesus e liberada após avaliação psicológica.
Na quarta-feira (25), a promotora de Justiça Gabriela Santana havia solicitado a internação dos quatro adolescentes para o Centro Educacional Masculino (CEM) em Teresina, depois que o laudo médico confirmou o abuso sexual na vítima. Apesar do exame, o juiz Eliomar Rios Ferreira negou o pedido do Ministério Público Estadual e decidiu por liberar os menores, mas marcou uma audiência do processo para o dia 1º de junho.Para o delegado Aldely Fontineli, responsável pelo caso, a liberação dos quatro adolescentes também foi motivada pelo excesso de prazo dado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que permite a permanência de menores na delegacia por até cinco dias. Ele revelou não ter dúvidas da participação dos suspeitos no estupro coletivo.
"O jovem assumiu ter dito conjunção canal com vítima e detalhou a participação dos demais no crime. Inclusive dois dos menores, no calor da emoção, também confessaram o estupro e no dia seguinte apresentaram uma outra versão idêntica. Não há dúvidas do envolvimento dos adolescentes, a própria vítima confirmou que eles também cometeram o crime. Resta agora esperar o resultado dos exames dos espermas coletados na garota, que vão confirmar o estupro coletivo", declarou.
A ONU Mulheres divulgou um comunicado na quinta-feira (26) solidarizando-se com as duas adolescentes que foram vítimas de estupro coletivo nos últimos dias no Brasil, uma no Rio de Janeiro e outra em Bom Jesus, Piauí. O braço da organização internacional no Brasil pede à sociedade brasileira "tolerância zero a todas as formas de violência contra as mulheres e a sua banalização”.

Menores negam participação
Em depoimento para promotora de Justiça Gabriela Almeida de Santana, os adolescentes negaram o estupro coletivo e relatam ter visto a garota sendo abusada pelo jovem de 18 anos, que estava na companhia deles. Eles também confirmaram que a vítima ingeriu bebida alcoólica e estava desorientada.
“Eu questionei se eles não fizeram nada para impedir e os quatro declararam achar normal o ato, mesmo com a vítima embriagada e sem condições de responder por si. Eles relataram com riqueza de detalhes a vítima reclamando da sensação de tortura e vomitando. Só que eu achei estranho alguém ir em uma obra abandonada para apreciar a paisagem, como os adolescentes alegam. Tudo indica que os menores combinaram a mesma versão e foram ao local para fazer uso de droga", revelou a promotora.
Depoimento da vítima
Gabriela Almeida de Santana revelou ter ouvido também a garota, que ainda está em estado de choque. A vítima disse não se recordar o que aconteceu depois de ter passado mal e confirmou que todos ingeriram bebida alcoolica, sendo que dois dos suspeitos usaram droga.
"O laudo médico confirmou o abuso, mas somente um exame de DNA vai provar o estupro coletivo. Já conversei com o delegado e vamos solicitar o teste, assim como ouvir testemunhas e os socorristas do Samu. Pedi também ao Creas a realização de um estudo social das famílias desses menores para saber em quem meio eles estão inseridos e como isto pode influenciar na pena", disse.
Vitima e suspeitos eram amigos
Na segunda-feira (24), o delegado Aldely Fontineli, que investiga o caso, revelou que a vítima do estupro coletivo e os cinco suspeitos do crime tinham vínculo de amizade. Segundo ele, a adolescente de 17 anos e os envolvidos se conheciam e por isso estavam bebendo juntos. A polícia suspeita que alguma substância tenha sido colocada na bebida da jovem.
"A vítima bebia sozinha, depois de ter brigado com o namorado, quando os suspeitos se aproximaram para fazer companhia a ela. Em determinado momento, a menina ficou completamente bêbada e eles realizaram o ato criminoso", contou.
Ainda bastante abalada, a adolescente retornou na segunda-feira ao Hospital Regional Manoel de Sousa Santos, em Bom Jesus, e foi ouvida por agentes civis. A garota esteve acompanhada pelo Conselho Tutelar, que preferiram não comentar sobre o caso. O depoimento aconteceu no hospital porque ela está sendo acompanhada por psicólogos.
Vítima foi atendida no Hospital de Bom Jesus (Foto: João Vitor)




Gilcilene Araújo e Catarina Costa 
Do G1 PI

'Cultura do estupro' no Brasil é destaque na imprensa internacional


Sites e jornais de diferentes continentes relataram a investigação do crime e a campanha massiva que tomou as redes sociais no Brasil.
Sites e publicações internacionais repercutem o episódio do estupro coletivo e o amplo debate sobre a cultura de agressões à mulher no país (Foto: Reprodução)
O estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos no Rio de Janeiro que desencadeou um amplo debate sobre a existência de uma cultura do estupro no Brasil ganhou páginas e sites de publicações pelo mundo nesta sexta-feira.
Órgãos de imprensa de diferentes continentes relataram a investigação do crime e a campanha massiva que tomou as redes sociais no Brasil.
"O Brasil encara sua própria crise de Nirbhaya", escreveu o jornal The Times of India, em referência ao episódio de 2012 em que uma estudante indiana foi estuprada por uma gangue em um ônibus em movimento em Nova Déli e morreu em decorrência de graves ferimentos internos.
"Com menos de dois meses antes da chegada ao Rio de atletas de ponta e centenas de milhares de amantes do esporte para as Olimpíadas, a reputação da cidade sofreu um sério impacto com um estupro coletivo de uma menina de 16 anos por mais de 30 homens em uma favela da cidade", escreve o jornal.
A publicação descreve um país "completamente sacudido" pela brutalidade do crime, embora ressalte que "crimes sexuais não são incomuns nas favelas onde quadrilhas armadas operam".
O jornal faz uma crítica à cobertura do caso pela imprensa brasileira, apontando "silêncio" dos principais meios do país sobre o tema. Afirma ainda que o crime "reviveu memórias" de 2013, quando uma turista americana foi sequestrada por três homens em uma van no Rio e estuprada por oito vezes na frente do namorado francês.
Em texto assinado pelo correspondente em São Paulo, o The Times of India critica cobertura da mídia brasileira sobre caso no Rio (Foto: Reprodução)
"Quando a Índia foi abalada pelo caso Nirbhaya em dezembro de 2012, a grande mídia brasileira cobriu o episódio em detalhes, rotulando a Índia como "lugar perigoso para mulheres". Mas a como mídia aqui continua calada sobre o caso do Rio e outro estupro coletivo registrado no Estado do Piauí na semana passada, está sob duras criticas de todos os lados", escreve o correspondente do jornal em São Paulo, Shobhan Saxena.
Repercussão global
"Brasil chocado enquanto a polícia busca por 30 homens que estupraram menina de 16 anos", é o titulo do texto do Jerusalem Post, de Israel.
O jornal cita o debate suscitado pelo "caso chocante" e lembra que o "vídeo do ataque se tornou viral" no Brasil, despertando indignação de usuários de redes sociais que denunciaram o episódio a autoridades.
Em versão online, o jornal The Australian mencionou que o ataque veio à tona "logo depois que dois meninos, de 14 e 16 anos, foram filmados sendo torturados e mortos por uma gangue de traficantes de drogas em Niterói". Diz que o aumento na criminalidade no Rio "levantou temores" para os Jogos Olímpicos.
Canadense The Globe and Mail detalha a discussão sobre cultura do estupro e cita encontro de ministro com ator que já disse ter feito sexo sem consentimento (Foto: Reprodução)
O diário The Globe and Mail, do Canadá, diz que o estupro coletivo ocorre em meio a um "amplo cenário daquilo que ativistas estão chamando de um ambiente propício (ao estupro) no Brasil".
A publicação destaca que horas antes de o caso virar destaque na imprensa o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), havia mantido uma reunião de alto nível com Alexandre Frota, "um ator e estrela de reality show que já disse que não teria pudores em fazer sexo com uma mulher sem consentimento".
Cita também o episódio em que o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) foi condenado a pagar indenização à deputada Maria do Rosário (PT-RS) por ter dito que ela "não merecia ser estuprada".
"A reputação de Bolsonaro parece não ter sofrido: uma pesquisa de opinião mostrou que ele é a principal opção para presidente dos 5% de brasileiros mais ricos."


Da BBC

'Não dói o útero e sim a alma', escreve adolescente vítima de estupro


Em seu perfil no Facebook, jovem agradeceu as mensagens de apoio
Adolescente deixa Hospital Souza Aguiar com a mãe: ‘Só quero ir para casa’
RIO - Em seu perfil no Facebook, a jovem de 16 anos que foi vítima de um estupro coletivo no último sábado, 21, agradeceu as mensagens de apoio. Na mensagem publicada na rede social na quinta-feira, 26, ela escreveu: “Realmente pensei serei (sic) que seria julgada mal! Mas não fui”, diz a jovem. “Não, não dói o útero e sim a alma por existirem pessoas cruéis sendo impunes!! Obrigada ao apoio.” A mensagem já foi curtida por quase seis mil usuários. 
Desde que o caso veio à tona, as redes sociais foram inundadas de campanhas contra a violência sexual contra mulheres. Inúmeros usuários colocaram a frase “Eu luto pelo fim da cultura do estupro” eu sua imagem de perfil.
Até o momento, foram identificados quatro homens: Michel Brazil da Silva, de 20 anos, Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 anos,  Raphael Assis Duarte Belo, de 41 anos, que aparece na imagem do lado da jovem, e Marcelo Miranda da Cruz Correa, de 18 anos, envolvido na divulgação das imagens da vítima. Todos tiveram a prisão preventiva pedida pela polícia.
Em seu perfil no Facebook, a jovem de 16 anos que foi vítima de um estupro coletivo no último sábado, 21, agradeceu as mensagens de apoio.
Por meio de seu advogado, Marcelo afirmou que não sabia que a jovem havia sido violentada. Ele contou ter recebido a foto num grupo de WhatsApp e, em seguida, compartilhou em sua conta no Twitter, já excluída da rede devido à repercussão.
“Ele brincou de maneira absurda. Faltou maturidade, não foi com intenção de causar vexame à garota”, disse o advogado Igor Luiz Carvalho. “A família está arrasada. Ninguém concorda com o ato dele de divulgar a foto, foi até uma monstruosidade. Mas ele não sabia que era um estupro.” 
Na fotografia compartilhada por Marcelo, estava um dos homens envolvidos diante do corpo da jovem, estirado de bruços sobre a cama. Segundo o advogado, seu cliente não conhecia a vítima nem os agressores. Em depoimento à polícia, a garota contou que foi atacada por 33 homens e só lembrava de ter acordado no dia seguinte, “dopada e nua”.
O advogado classificou o pedido de prisão de Marcelo como “descabido” e disse que a polícia está atuando “de forma midiática”. “Ele não participou do estupro, nem sabia que a menina tinha sofrido violência sexual”, disse. O advogado informou ainda que seu cliente não se apresentará às autoridades e que ele tentará reverter o pedido de prisão.


IDIANA TOMAZELLI - ESTADÃO

Jovem de 17 anos morre atingido por pedra de 20 kg jogada em rodovia de SP


Pelo menos cinco carros foram atingidos,quando criminosos atiraram pedras e galhos na pista para tentar forçar a parada dos veículos. mas nenhum motorista parou
Reinaldo foi atingido por pedra e morreu
(Foto: Reprodução/Facebook)
Um jovem morreu após ser atingido por uma pedrada na cabeça em uma tentativa de assalto na Rodovia do Imigrantes, em Cubatão, no litoral sul de São Paulo, na noite desta quinta-feira, 27. Ele dormia no banco do passageiro quando criminosos atiraram pedras e galhos na pista para tentar forçar a parada do veículo.Segundo a Polícia Militar Rodoviária, uma quadrilha com cerca de dez criminosos atacou os carros que passavam pela Imigrantes, na altura do km 59, sentido litoral.
Por volta das 21h50, uma das pedras quebrou o para-brisa de um dos veículos e acertou Reinaldo Lima de Souza Júnior, de 17 anos. Ao menos cinco carros foram atingidos, mas nenhum motorista parou.
Apesar de não ter concluído o assalto, o bando conseguir fugir antes de os policiais chegarem ao local. Ninguém foi preso até o momento. Júnior foi socorrido para o Hospital Municipal de Cubatão, mas não resistiu aos ferimentos e morreu cerca de 50 minutos depois. O caso foi registrado na Delegacia de Cubatão. 
Pedras e galhos foram atiradas por criminosos na Rodovia dos Imigrantes (Foto: Reprodução/TV Tribuna)


Felipe Resk, do Estadão Conteúdo

Homem é executado a tiros dentro de carro de frete na Zona Oeste de Natal


Crime aconteceu nesta sexta-feira (27) no bairro de Felipe Camarão. Um outro homem que também estava no carro foi ferido, mas fugiu.
Um homem foi assassinado a tiros na manhã desta sexta-feira (27) no bairro de Felipe Camarão, na Zona Oeste de Natal. Francisco Gonçalo de Macedo Júnior, de 21 anos, estava dentro de um carro de frete quando foi baleado. Segundo a PM, ele trabalhava em uma granja na cidade de Macaíba, região Metropolitana da capital potiguar. Um outro homem que também estava no carro foi ferido, mas fugiu.  Segundo o tenente Eduardo Roberto, do 9º Batalhão da PM, o crime aconteceu por volta das 10h30 na rua Manoel Machado, que é pararela à 14ª Delegacia de Polícia. "Os criminosos se aproximaram em uma motocicleta e atiraram. O homem foi atingido por mais de dez tiros", disse o tenente.
A polícia faz buscas, mas até o momento ninguém foi preso. Ainda não se sabe a motivação do crime.


G1/RN