VÍDEO MOSTRA MULHER MATANDO EX MARIDO NA FRENTE DO FILHO

Laércio chegou a ser socorrido por ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu à gravidade dos ferimentos e morreu no local..

Jovem em bicicleta é assassinado por homem a pé na zona Oeste de Natal.

O que os policiais descobriram que é Jonathan tinha envolvimento com drogas.

Mulher e cunhada de tenente-coronel encomendam morte para ganhar pensão

A cunhada foi a primeira a confessar o plano durante depoimento.

[VÍDEO] CELULAR É ESQUECIDO DENTRO DA BARRIGA DA MULHER APÓS PARTO

Uma radiografia foi tirada, mostrando que um celular estava alojado na barriga dela..

Ex-borracheiro estuda com 200 kg de resumos por 4 anos e vira juiz no DF

.O esforçou coletivo ajudou os cinco irmãos a ingressarem em uma faculdade de direito que ficava a 250 quilômetros de casa.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

VÍDEO MOSTRA MULHER MATANDO EX MARIDO NA FRENTE DO FILHO


O crime bárbaro aconteceu na última sexta-feira, em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, e foi registrado por uma câmera de segurança. As informações são que Laércio de Souza, de 48 anos, trabalhava em uma distribuidora, quando o namorado da ex-mulher chegou de moto e chamou o homem para conversar. Em seguida, Laércio sai do estabelecimento ao lado do filho e começa a discutir com o motociclista, momento em que Jucélia Leal Coutinho chega de carro ao local e aparece atirando contra o ex-marido, na frente do próprio filho. O homem morreu no local. Na sequência, o vídeo mostra o garoto, de apenas 12 anos, jogando um pedaço de madeira na direção da mãe, que fugiu com o namorado. Os acusados permanecem foragidos.

VÍDEO MOSTRA AÇÃO DE DOIS BANDIDOS ASSALTANDO MERCADINHO EM MESSIAS TARGINO-RN



Na manhã hoje 18/05 por volta das 09:30hs dois elementos praticaram um assalto ao mercadinho Dantas que fica na cidade de Messias Targino.As informações são que os dois elementos em uma moto e de capacete entraram no armarinho, rederam as funcionárias e clientes e fizeram o rapa, levando todo o dinheiro do caixa. Após o ato, os bandidos fugiram em direção a Brejinho, polícia realizou diligencias, mais até o momento não temos maiores detalhes dos patrulhamento.

domingo, 17 de maio de 2015

Jovem em bicicleta é assassinado por homem a pé na zona Oeste de Natal


Um jovem foi assassinado a tiros, no início da manhã deste domingo (17), em plena luz do dia e com várias testemunhas. Jonathan Farias da Costa, de 24 anos, foi morto quando estava transitando em uma bicileta na avenida Central, em Cidade Nova, na zona Oeste de Natal. O criminoso, de acordo com o que foi apurado pela polícia, aproximou-se da vítima a pé, atirou e em seguida fugiu tranquilamente. Apesar de o homicídio ter sido praticado durante a manhã e visto por muitas pessoas, os policiais da Delegacia de Homicídios que atenderam a ocorrência não conseguiram colher muitas informações. O que os policiais descobriram que é Jonathan tinha envolvimento com drogas. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência ainda esteve no local do crime, tentou prestar socorro a vítima, mas o jovem acabou não resistindo.

Sergio Costa

Mulher e cunhada de tenente-coronel encomendam morte para ganhar pensão



Para receberem pensão por morte no valor estimado de R$ 10 mil, a cunhada e a mulher do tenente-coronel do Exército Sérgio Murilo Cerqueira, de 43 anos, encomendaram a morte dele na noite desta sexta-feira, 15, em Brasília. Esta é a acusação que a Polícia Civil do Distrito Federal fará, após ter prendido as duas em flagrante na tarde de sábado, 16, em casa. Ao planejarem o crime, vão responder por homicídio qualificado - com pena que pode variar de 12 a 30 anos.
A cunhada foi a primeira a confessar o plano durante depoimento na noite de sábado, mas a informação foi confirmada pela mulher do tenente na sequência para a polícia, que já tinha prova da participação das duas no episódio. Cerqueira foi executado com um tiro na cabeça. A cunhada é que teria, de acordo com a Polícia Civil, feito as negociações com os executores, pois conhecia um deles.
A primeira linha de investigação foi de que se tratava de um latrocínio, quando há roubo seguido de morte, mas posteriormente as investigações indicaram que o crime já estava sendo planejado "há meses". Os nomes das duas e dos demais presos ainda são mantidos sob sigilo.
De acordo com a polícia, o casal estava em processo de separação e a esposa não teria aceitado o valor de R$ 2,5 mil de pensão alimentícia. Ela chegou a ser rendida com o militar na noite de sexta, por volta das 23 horas, mas acabou sendo liberada primeiro na Asa Norte, bairro nobre de Brasília. Os suspeitos, ainda de acordo com a Polícia Civil, continuaram com o homem no carro dele.
Com a hipótese inicial de sequestro seguido de homicídio, que teria ocorrido após a identificação de que se tratava de um militar, a equipe da Polícia Militar do Distrito Federal achou o carro da vítima ao lado de uma casa, onde havia uma festa. Prendeu seis pessoas. De acordo com a assessoria de imprensa da PM, quatro dos detidos teriam participado diretamente da execução do oficial, enquanto as outras duas pessoas foram enquadradas no crime de receptação.
Os quatro "sequestradores" - entre eles, um menor de 17 anos - soltaram a mulher perto do local da abordagem e seguiram com o tenente coronel, que foi encontrado morto durante a madrugada em São Sebastião, região administrativa do DF localizada há cerca de 20 km do centro de Brasília.

Estadao Conteudo 

sexta-feira, 15 de maio de 2015

[VÍDEO] CELULAR É ESQUECIDO DENTRO DA BARRIGA DA MULHER APÓS PARTO



Um caso incomum envolvendo um aparelho celular fez parte do noticiário da Jordânia. Em uma reportagem da emissora Ro’ya News , um ginecologista foi acusado de esquecer seu dispositivo na barriga de Hanan Mahmoud Abdul-Karim, 36 anos, que havia sido internada para fazer uma cesariana. Segundo relatos da paciente e de membros da família, após dar luz ao bebê e retornar para casa, Hanan começou a se sentir muito mal. Os familiares então teriam percebido estranhas vibrações no abdômen da mulher. Ao voltar para o hospital, uma radiografia foi tirada, mostrando que um celular estava alojado na barriga dela. Hanan foi, então levada às pressas para o centro cirúrgico para a retirada do dispositivo. Apesar de não terem ocorrido consequências mais graves em relação a saúde da paciente, o caso teve repercussões sérias no parlamento jordaniano. Um dos membros da casa, Salim Al Bataynah, chegou a pedir a renúncia do governo por desrespeito aos cidadãos. O porta-voz do Ministério da Saúde do páis, Hatem Al Azrae, por sua vez, afirmou que a história de Hanan poderia ter sido forjada, mas que o ministério estaria acompanhando o caso de perto. De qualquer maneira, a situação exemplifica bem o conselho de que “celular tem hora”. O vídeo é de uma reportagem do canal jordaniano.



quarta-feira, 6 de maio de 2015

Ex-borracheiro estuda com 200 kg de resumos por 4 anos e vira juiz no DF



O recém-empossado juiz federal Rolando Valcir Spanholo, de 38 anos, afirma que disciplina e motivação foram a receita que o levaram a romper com a antiga realidade de borracheiro e alcançar o sonho de ser magistrado em Brasília. Os últimos quatro anos foram dedicados a concursos públicos, nos quais ele acumulou 200 quilos de resumos de disciplinas de direito. O advogado é de Sananduva, no Rio Grande do Sul, e foi aprovado na mesma seleção feita pela miss DF Alessandra Baldini. Spanholo conta que a ideia de virar juiz veio tarde, já no final da faculdade e por influência de um professor. Até então o objetivo dele era apenas “melhorar de vida”. A graduação, de acordo com o juiz, já parecia uma grande superação para ele e os quatro irmãos, que trocavam de roupa e sapatos entre si para não irem todos os dias vestidos do mesmo jeito para a instituição. O trabalho começou cedo. Entre os 9 anos e os 15 anos, os cinco consertavam pneus e lavavam carros junto com o pai. “Durante o inverno, as mãos e os pés ficavam quase sempre congelados. Não tínhamos luvas de borracha e outros equipamentos de proteção que hoje são comuns e obrigatórios. Só restava fazer muito fogo para se aquecer, mas, com isso, os choques térmicos eram inevitáveis. Vivíamos com fissuras nas mãos e pés.” O magistrado diz que a condição levava a família a ser muito severa em relação à educação e a acreditar que só assim todos teriam melhores oportunidades. O esforçou coletivo ajudou os cinco irmãos a ingressarem em uma faculdade de direito que ficava a 250 quilômetros de casa. Para pagar os estudos, os irmãos tiveram de aprender a costurar cortinas e edredons e a fazer bordados. “Depois, com a chegada da habilitação para dirigir, também passei a trabalhar na área de vendas. Era um desafio diário. Saía sempre cedinho, rodava o dia todo, batendo de porta em porta pelos municípios da região, oferecendo nossos produtos diretamente nas casas. Por razões de economia, meu almoço era sempre debaixo da sombra de uma árvore, dentro do carro. Cardápio? Algumas fatias de pão caseiro e um pedaço de frango empanado – e frio – ou uma torrada carinhosamente preparados pela minha mãe. Bebida? Água que levava dentro de um litro [de garrafa] pet”, lembra. Spanholo voltava para casa no final da tarde para pegar o ônibus para ir à faculdade. Muitas vezes, por causa da distância, não conseguia tomar banho antes das aulas. As faltas também eram frequentes por causa do trabalho e aconteciam em média duas vezes por semana. Como consequência, ele ficou de exame nos dez semestres do curso. “Na verdade só consegui levar adiante a graduação porque meus colegas conheciam minha realidade e sempre me emprestavam os cadernos para copiar ou tirar xerox das suas anotações. Confesso que, durante a graduação, estudei muito pouco por livros de doutrina, não tinha como”, explica. “Aliás, meu ‘horário de estudos’ era no ônibus, durante as viagens de ida e volta, e aos domingos – os sábados eu usava para fazer vendas nas cidades mais distantes. A necessidade faz a gente se reinventar.” Sem familiares e conhecidos na área, Spanholo afirma que só fez a seleção para a Escola Superior da Magistratura, aos 22 anos, por insistência de um professor. A instituição fica em Porto Alegre e oferece cursos de preparação e de aperfeiçoamento para interessados na área. A aprovação foi uma surpresa, e o jovem precisou se desdobrar entre trabalhar em escritórios aos finais de semana enquanto passava de segunda a sexta estudando a 400 quilômetros de casa. Ao fim do curso e já casado, o juiz deu início à primeira das duas “temporadas” de concursos públicos. Ele conta que chegou perto da aprovação para promotor, procurador, juiz do trabalho e juiz estadual entre 1999 e 2003, mas precisou desistir dos certames porque a mulher havia acabado de ganhar bebê.
“Tínhamos o filho pequeno, e, em uma decisão muito difícil, conjuntamente optamos por ‘adiar’ meu sonho de ser magistrado. Em 2010, decidi retomar tal sonho, mas agora na área federal. Sofri muito para refazer a base do conhecimento que perdi durante aquela ‘parada técnica’. Levei um bom tempo para voltar a atingir um ‘nível competitivo’. Reprovei em muitos concursos. Aliás, de tanto ficar no ‘quase’, acabei ficando ‘especialista’ em calcular e antecipar as notas de cortes das provas objetivas dos nossos concursos”, brinca Spanholo. Foram dezenas de seleções desde então. Para se preparar, o magistrado passou a estudar a vida de pessoas que já haviam alcançado aprovação no concurso que ele queria. Ele lembra que identificou o que havia de comum, em relação a estratégias e métodos de estudos, para traçar o plano de como se prepararia. “Logo percebi que, por conta das minhas limitações – tempo, lugar, idade —, muitas delas eu não conseguiria executar, como frequentar cursos preparatórios, estudar por ‘doutrina pesada’ etc. Sentia que precisava ariscar estratégias próprias, moldadas na minha realidade. Experimentei várias. Umas deram certo, outras nem tanto”, diz. Spanholo afirma que surgiu então a ideia de começar a fazer resumos das matérias e de grifar as principais leis para voltar a ter uma noção das principais áreas do direito. Depois, passou a estudar com base em provas antigas. Ele também fez sinopses de informativos dos tribunais superiores e usou a internet para pesquisas. Ao final, juntou mais de 200 quilos – em 34 caixas – de material de estudo. O acervo foi encaminhado para reciclagem. Para suportar a pressão e o esgotamento emocional, o juiz conta que também via vídeos motivacionais em redes sociais. Ele lembra que a preparação o ajudou a manter a tranquilidade no dia da prova oral, depois de passar quase seis horas trancado em uma sala de confinamento para ser testado por cinco pessoas sobre conhecimentos em todos os ramos do direito. “Naquele momento um filme da vida passa na cabeça da gente. Sem me abalar, em fração de segundos, lembrei-me de cada fase, dos meus pais e familiares, das privações, das quedas, enfim, de tudo que tinha se passado ao longo dos 38 anos de minha existência”, conta. “Entrei naquele recinto pronto para ‘lutar’ por mim e por todas as pessoas que, de uma forma ou de outra, acabaram me ajudando a chegar naquele lugar. Não podia decepcioná-los.” O resultado do certame para o Tribunal Regional Federal saiu em novembro de 2014, e Spanholo ficou entre os 60 primeiros classificados. Surpreso com a boa colocação, ele se diz orgulhoso da trajetória e atribui o resultado ao esforço e ajuda dos familiares e amigos. “A vida sempre me ensinou que dificuldades existem para serem superadas. Aliás, dificuldades todos têm. Uns mais, outros menos, mas todos enfrentam obstáculos para alcançar seus sonhos. O que diferencia as pessoas é exatamente a forma como elas reagem diante das resistências do cotidiano. Uns se acovardam e se deixam dominar. Outros veem nas dificuldades grandes oportunidades de crescimento, de evolução pessoal”, afirma. “No meu caso, desde criança, sempre precisei acreditar naquilo que para os outros seria motivo de dúvida. Nada nunca chegou fácil. Por necessidade, treinei minha mente para acreditar que com humildade, disciplina e motivação era possível vencer um a um os desafios da vida, mesmo não dispondo das melhores condições para enfrentá-los. Sempre fui à luta. Nunca esperei que os outros viessem me dizer o que eu poderia e o que eu não poderia ser. Definia meus objetivos e passava a identificar o que precisava ser feito para atingi-los”, completou o juiz. Dizendo-se avesso a publicizar a própria história, Spanholo conta que tem se espantado com a quantidade de pessoas que diariamente o procuram para falar que ele as inspirou. Segundo o magistrado, os relatos extrapolam o mundo dos concursos públicos e têm relação até mesmo com a vida privada de algumas delas. “Não sei explicar direito, mas é como se as pessoas precisassem ver diante dos seus próprios olhos uma prova de que também elas podem superar seus limites pessoais e alcançar os seus sonhos”, declara. “Procuro sempre mostrar para elas que, de fato, se um ex-borracheiro e ex-lavador de carros conseguiu, é porque qualquer outro também poderá ser juiz federal ou que quiser ser na vida. Basta ter disciplina, persistência, espírito de superação e, principalmente, acreditar no nosso próprio potencial.”

 G1-DF e O Globo 

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Mulher tem crise asmática em culto e acaba morrendo porque fiéis pensavam que era encosto


Durante um culto na casa de uma amiga de igreja, Lúcia Fernandes Santana (foto), 55, caiu, teve convulsão e de sua boca sangrou. Ela estava tendo uma crise asmática, mas os fiéis acharam que estava "possuída" e oraram para livrá-la do Satanás.


Como Lúcia continuou passando mal, cerca de meia hora depois os fiéis chamaram um pastor para reforçar as orações, mas ele se convenceu de que não se tratava de “encosto”e mandou pedir socorro de uma ambulância. Uma semana depois, no dia 15, Lúcia morreu no Hospital de Base, em São José do Rio Preto (SP). De acordo com o atestado de óbito e de testemunhas, Lúcia morreu por causa de sangramento do crânio causado pela sua queda. Ela caiu porque teve um AVC (Acidente Vascular Cerebral) provocado pela asma. O pneumologista João Batista Salomão confirmou que quem sofre de asma grave pode perder a consciência e ter um AVC se ficar sem socorro médico em torno de dez minutos. M.S.F.S., 36, a nora da evangélica, declarou ao “Diário da Região”que os fiéis deveriam chamar logo a família de Lúcia e um socorro médico. "Na casa [onde se celebrava o culto], havia gato, e Lúcia tinha asma. Quando começou a passar mal, ela pediu a bombinha que tinha ficado na casa dela, mas eles [os fiéis] fizeram confusão e acharam que ela estava possuída." A nora acredita que Lúcia não teria morrido se tivesse sido atendida a tempo por um médico. “Mas só Deus para saber isso.” Leia mais em http://www.paulopes.com.br/2015/04/fieis-em-culto-confundem-asma-com-encosto-e-mulher-morre.html#ixzz3YTGYqGJC Paulopes informa que reprodução deste texto só poderá ser feita com o CRÉDITO e LINK da origem.

Primo não aceita fim de namoro com prima, a mata e se suicida


Os corpos de Danielson Castro de Carvalho, o "Guga", e Edith Castro de Carvalho, de 35 anos, foram encontrados na manhã deste domingo (26) pelo próprio irmão de Edith dentro da casa da vítima na Rua Corinthians, bairro São José, Iranduba em Manaus. Populares relatam que na noite da sexta-feira (25), o "Guga" teria entrado na casa da vítima, que além de ser sua prima é sua ex-companheira, e aplicado um golpe de tamborete (banco de madeira), quebrando a cabeça da vitima. Depois disso, Danielson cometeu suicídio.. Ao ser encontrado, "Guga" estava pendurado com uma corda no pescoço ao lado do corpo de Edith, que ficou caída no chão. Foto: Divulgação Segundo a irmã da vitima, Débora, o homem não aceitava o fim do relacionamento e ele já vinha ameaçando Edith de morte. Edith era técnica de enfermagem, trabalhava na Unidade Básica de Saúde do Cacau Pirêra e também no Hospital Hilda Freire, no município de Iranduba. Ela deixa duas filhas, uma adolescente de 13 anos e uma criança de aproximadamente 7 anos. Policiais da 8º Companhia Independente da Polícia Militar do Iranduba fizeram o isolamento da área do crime e realizaram os procedimentos cabíveis.


Portal Holanda

sábado, 25 de abril de 2015

VÍDEO PUBLICADO NO FACEBOOK MOSTRA PM PERMITINDO LINCHAMENTO DE ASSALTANTE


Um vídeo postado nas redes sociais mostra policiais militares permitindo o linchamento por populares de um homem acusado de assalto praticado na tarde desta sexta-feira (24) a uma loja no bairro Abraão Alab no Acre. Conforme as imagens, Jônatas Souza da Silva, 20, está algemado quando é vítima de socos e chutes das pessoas que estavam no momento de sua prisão. Quase inconsciente, ele leva um chute na cabeça. Os PMs que fizeram a prisão não interviram para impedir o linchamento do acusado. Somente após muita pancadaria os policiais decidiram afastar os populares, e arrastaram Jônatas até a viatura. Ele foi preso acusado de, minutos antes, junto com um comparsa, render funcionários e clientes num estabelecimento comercial e roubar R$ 550 do caixa. Confira o vídeo do espancamento:


segunda-feira, 13 de abril de 2015

FOTOS E VÍDEO DO RESGATE DO CAMINHONEIRO:COLISÃO ENTRE CAMINHÃO E CARRO DE PASSEIO EM MOSSORÓ DEIXA UM MORTO NA BR 304 SAIDA PARA NATAL





Momento resgate do motorista do caminhão



Ajudante do caminhão


Vítima fatal



quarta-feira, 1 de abril de 2015

segunda-feira, 30 de março de 2015

POLÍCIA CIVIL DE MACAÍBA PRENDE DOIS E APREENDE ARMAS, MUNIÇÕES E DROGAS


Na manhã desta segunda-feira (30), policias civis de Macaíba deflagraram a Operação Templo e prenderam Bruno Monteiro de Oliveira, conhecido por “Bruno BR” (25 anos) e Antônio Milton Felix de Araujo, vulgo “Galeguinho” (37 anos). Os dois foram detidos em cumprimento a mandados de prisão expedidos pela Vara Criminal de Macaíba. Na residência de Bruno, localizada à rua Antônio Lucas de Lima n. 31, conjunto Aura de Sousa, a Polícia encontrou uma pistola calibre 380, três carregadores completos e uma balança de precisão. Bruno é acusado de ter assassinado Daniel Rodrigues Tavares (18 anos) em 22 de setembro de 2014. A vítima foi morta a tiros na rua José Medeiros Sena, bairro das Campinas. Em outra casa, de Júlio César Silva de Macedo, localizada à rua tenente Geraldo Cavalcante, Vila de João Maria, foram apreendidas pela Polícia Civil duas pistolas, uma calibre 380 e outra ponto 45, várias munições, aproximadamente 500 gramas de maconha e 500 gramas de cocaína.

Proxima  → Página inicial