NOME NOME NOME NOME NOME

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Ex de Richthofen deixa penitenciária para cumprir regime aberto


Daniel Cravinhos está preso desde 2002, condenado a 38 anos de reclusão.
Daniel Cravinhos saiu da Penitenciária de Tremembé. (Foto: R7/Paulo Pinto/Estadão Conteúdo/23.01.2006)
Condenado pelo assassinato do casal Manfred e Marísia Von Richthofen, pais de Suzane, Daniel Cravinhos de Silva e Paula deixou a Penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo, na tarde desta terça-feira (16), e passa a cumprir pena em regime aberto. Em 2002, quando o crime aconteceu, Daniel e Suzane Von Richthofen eram namorados.
Daniel estava preso desde novembro de 2002, quando foi condenado a 38 anos, 11 meses e 17 dias de reclusão. A decisão da Justiça de São Paulo, no entanto, determinou que a pena passe a ser cumprida em regime aberto. A informação foi confirmada pela SAP-SP (Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo).
Em agosto do ano passado, o irmão de Daniel, Cristian Cravinhos, outro condenado por participação na morte do casal, também deixou a Penitenciária de Tremembé  para a pena em cumprir regime aberto.
Suzane continua cumprindo pena na Penitenciária de Tremembé. Em 2002, ela foi condenada a 39 anos de detenção. Em dezembro do ano passado, Suzane recebeu autorização da Justiça para estudar dentro do presídio.

R7

Advogado morre após capotar carro em ribanceira na cidade de Santa Cruz, RN


Acidente aconteceu no final da madrugada desta quarta (17). Uma mulher que também estava no veículo foi socorrida em estado grave.
Fábio José Silva de Araújo tinha 34 anos (Foto: Arquivo Pessoal)
Um advogado morreu no final da madrugada desta quarta-feira (17) após capotar o carro numa estrada que dá acesso à imagem de Santa Rita de Cássia, na cidade de Santa Cruz, na região Trairi. Fábio José Silva de Araújo tinha 34 anos. Ele ainda chegou a ser socorrido ao hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos.
Uma mulher que também estava no veículo, um Ecosport, ficou ferida e foi socorrida em estado grave para Natal. Até a última atualização desta matéria, ainda não havia notícias sobre o estado de saúde dela.
Delegado regional de Santa Cruz, Silva Júnior disse que o acidente aconteceu por volta das 5h. “A estrada que dá acesso à estátua de Santa Rita tem uma curva bem acentuada. Ele perdeu o controle do carro e desceu a ribanceira. O veículo capotou várias vezes. O advogado também foi socorrido, mas morreu após dar entrada no hospital da cidade”, acrescentou.
Ainda de acordo com o delegado, o advogado deixou mulher e uma filha.

G1-RN

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Sobe para 10 o número de paraibanos mortos em acidente na BR-251 em Minas Gerais


Subiu para 10 o número de paraibanos mortos no grave acidente que matou 13 pessoas e deixou outras 39 feridas na BR-251, no Norte de Minas, no sábado (13). De acordo com as Prefeituras de Catolé do Rocha e Brejo dos Santos, ambas cidades localizadas no Sertão paraibano, as vítimas Simone Sousa, de 41 anos; Maria das Neves Pereira da Silva, de 67 anos e Francisco das Chagas de Sousa Oliveira, de 37 anos, também era paraibanos. O número atualizado de vítimas da Paraíba foi divulgado na manhã desta segunda-feira (15).
O acidente envolveu sete veículos: um caminhão que carregava outro caminhão, dois ônibus, duas carretas e uma van. Segundo a PRF, os veículos são considerados ônibus e não micro-ônibus, conforme foi informado anteriormente, porque tinham capacidade para 22 passageiros.
As identidades de todos os mortos no acidente foram divulgadas pela Polícia Civil de Minas Gerais. De acordo com a Prefeitura de Catolé do Rocha, Simone Sousa era natural da cidade. Por sua vez, Maria das Neves e Francisco das Chagas eram da cidade de Brejo dos Santos, de acordo com a prefeitura. Anteriormente, o número divulgado foi de sete paraibanos, sendo cinco moradores de Catolé do Rocha e dois de Riacho dos Cavalos.
Elisângela Oliveira era mãe de Luzanira Oliveira e Sandemar Pereira, a família viajava junta no micro-ônibus para a Paraíba. Kaliandro da Silva era o motorista e proprietário do micro-ônibus que se acidentou. Luzia da Silva Mendonça tinha ido visitar os filhos em São Paulo e viajava de volta para a Paraíba no micro-ônibus pela primeira vez, segundo o genro dela. Os cinco são da cidade de Catolé do Rocha.
Já a passageira Diomira Rita de Lima e o sobrinho dela Jaislan de Lima Nogueira são da cidade de Riacho dos Cavalos, que fica próximo de Catolé do Rocha. Ela morava na zona rural de Riacho dos Cavalos, ele morava em Catolé do Rocha. As mortes de Diomira Rita de Lima e Jaislan de Lima Nogueira também foram confirmadas pelo Corpo de Bombeiros de Minas Gerais.
O prefeito interino de Catolé do Rocha, Lauro Maia, decretou luto oficial de três dias na cidade e informou que decretará também ponto facultativo no dia dos velórios e sepultamentos das vítimas. Na manhã desta segunda-feira (15), o prefeito de Catolé do Rocha informou que vai fazer uma reunião com os familiares das vítimas do acidente para decidir como será feito o translado dos corpos de Minas Gerais para a Paraíba.

Veja os nomes dos dez paraibanos mortos no acidente:

Confirmados pela Prefeitura de Catolé do Rocha

Elizângela Oliveira Fernandes, 43 anos

Luzanira Oliveira Fernandes, 22 anos (filha de Elizângela)

Sandemar Pereira da Silva Filho, 7 anos (filho de Elizângela)

Luzia da Silva Mendonça, 76 anos

Kaliandro da Silva Oliveira, 40 anos (motorista que conduzia a van)

Simone Sousa, 41 anos

Confirmados pela Prefeitura de Riacho dos Cavalos

Diomira Rita de Lima, de 55 anos

Jaislan de Lima Nogueira, de 21 anos (sobrinho de Diomira)

Confirmados pela Prefeitura de Brejo dos Santos

Maria Das Neves Pereira da Silva, 67 anos

Francisco das Chagas de Sousa Oliveira, 37 anos

G1

Sargento da Polícia Militar é assassinado no RN


André Dantas estava em uma festa quando sefreu vários tiros; Duas pessoas também foram baleados.
Foto/Cedida
Um Sargento da Polícia Militar, identificado como André Marques Dantas Siqueira, de 40 anos foi morto a tiros, na madrugada desta segunda-feira (15), durante uma festa, na rua Santa Rita de Cássia, no bairro Golandim, em São Gonçalo do Amarante. Outras duas pessoas também foram baleadas e socorridas.
De acordo com informações da Central de Operações da Polícia Militar o Sargento André estava no evento realizando uma atividade extra quando homens armados chegaram em um carro gritando a sigla de uma facção criminosa e atirando. O policial foi surpreendido na entrada da festa e baleado morrendo em seguida. Um homem e uma mulher que também trabalhavam no local foram baleados e socorridos para o pronto socorro Clóvis Sarinho.
A Polícia realizou diligências, mas nenhum suspeito foi preso. O Sargento André Dantas era lotado na Companhia independente de Policiamento de Guardas.

Sérgio Costa

domingo, 14 de janeiro de 2018

Carro fica 'cravado' em parede de prédio nos EUA


Motorista e passageiro tiveram ferimentos leves após acidente na Califórnia.
Carro fica 'cravado' em parede de andar superior de prédio nos EUA (Foto: Orange County Fire Authority/Twitter)
Um carro ficou "cravado" no andar superior de um prédio após "voar" durante um acidente em Santa Ana, no estado americano da Califórnia.
Os bombeiros informaram que o motorista atingiu a grade central da rua e, com o impacto, o carro voou até atingir e destruir a parede de um prédio de uma clinica dentária.
O acidente provocou um princípio de incêndio, logo controlado.
Motorista e passageiro sofreram apenas ferimentos leves.
Carro fica 'cravado' em parede de andar superior de prédio nos EUA (Foto: Orange County Fire Authority/Twitter)
G1

Menina de 12 anos é baleada pelo padrasto ao tentar proteger a mãe em MT


De acordo com o oficial de área da Polícia Militar, o acusado não aceitava a separação e tinha a intenção de matar a ex-companheira, identificada por Cirley Nunes Cavalcante.
A garota foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhada em estado grave para o Hospital Regional.
Uma menina de 12 anos foi baleada pelo padrasto, identificado como Alexsandro de Moura Amaral, de 33 anos, ao tentar defender a mãe dentro de casa, no Bairro Jardim Carlos Bezerra, em Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá), na noite de sábado (13).
De acordo com o oficial de área da Polícia Militar, o acusado não aceitava a separação e tinha a intenção de matar a ex-companheira, identificada por Cirley Nunes Cavalcante.
No começo da noite, o criminoso pulou o muro e invadiu a casa armado, dizendo que iria matar a ex-mulher.
A filha de Cirley, ao perceber que o padrasto entrou em casa com uma arma nas mãos, gritou para a mãe correr e foi para um dos quartos.
O acusado invadiu a residência e foi em direção ao cômodo onde a ex-mulher estava. A menor, na tentativa de salvar a vida da mãe, se colocou na frente do padrasto.
O criminoso atirou na menina, que foi atingida na região do abdômen, e fugiu em uma motocicleta.
A garota foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhada em estado grave para o Hospital Regional.
A equipe da Polícia Militar fez rondas pela região, mas não encontrou o criminoso. 
A Polícia Civil investiga o caso e também faz buscas para tentar localizar o acusado.

Repórter MT

Casal é morto a tiros dentro de carro ao voltar de festa em Goiânia


Familiares contaram que eles estavam juntos há três anos e não têm suspeitas do que pode ter motivado o crime.
Casal Amanda Hoehn e Patrik Rabelo foram mortos a tiro dentro de carro em Goiânia, Goiás (Foto: Reprodução/Facebook)
O casal Amanda Hoehn Corrello, de 21 anos, e o marido, Patrik Rabelo de Sousa, de 31 anos, foi morto na noite de sábado (13) dentro do carro no setor Amin Camargo, em Goiânia. Segundo familiares, os dois voltavam de uma festa quando foram baleados.
Os dois haviam jantado em um restaurante e, em seguida, foram a uma festa. “Ela era casada há três anos. O Patrik era vendedor de carro, comprava e vendia carros em leilões. Não sabemos o que pode ter acontecido, ela nunca teve inimizades, ia começar a faculdade esse ano”, lamentou o tio de Amanda, Eugênio Hoehn.
De acordo com a Polícia Civil, o casal estava em uma BMW, quando uma VW Saveiro se aproximou e um ocupante atirou várias vezes contra as vítimas e fugiu. Ainda não há suspeitas sobre a motivação do crime e nem sobre o autor.

Por Vitor Santana, G1 GO

Pai é preso suspeito de matar o filho durante briga em Anápolis


Pedreiro disse aos policiais que atingiu o rapaz com uma facada ao tentar se defender, pois jovem chegou bêbado e nervoso à casa da família.
Claudison Miguel Rodrigues morre após levar uma facada em Anápolis (Foto: TV Anhanguera/ Reprodução)
O pedreiro Valdison Miguel Rodrigues, de 64 anos, foi preso na noite de sábado (13) suspeito de matar o filho, Claudison Miguel Rodrigues, de 25, na casa em que moravam, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Segundo a Polícia Civil, o pai disse que deu uma facada no jovem durante uma briga.
“Segundo o pai, o filho chegou bêbado, nervoso, começou uma discussão e estava com uma faca. Com medo de ser morto, o pai foi até a cozinha, pegou faca e, na briga, deu uma facada no abdômen. O pai se mostrou bastante arrependido”, relatou o delegado Daniel Nunes.
O caso ocorreu por volta das 21h, na Vila Jaiara. De acordo com o relato do pai, que é surdo-mudo, quando ele feriu o filho, o jovem correu, mas caiu na porta da residência. Em seguida, o pedreiro pediu ajuda, mas o rapaz não resistiu ao ferimento.

Investigação
Ao ser preso, Valdison estava com um corte na mão que, segundo ele, ocorreu ao tentar se defender do filho. Como o pai é surdo-mudo, o depoimento dele foi colhido por intermédio do irmão mais velho.
O homem relatou que não foi a primeira vez que o filho chegou em casa embriagado e querendo agredi-lo. As circunstâncias do crime vão ser esclarecidas no inquérito.
“Ele não disse o motivo da discussão. Não nos chegou conhecimento de uma testemunha do crime, mas vamos chamar outras pessoas que moram na região para saber se escutaram ou sabem como era a relação de pai e filho”, explicou o delegado.
Após o depoimento, os policiais levaram Valdison para a unidade prisional de Anápolis. Ele deve ser indiciado por homicídio e, se condenado, pode pegar de 6 a 20 anos de prisão.

Por Paula Resende, G1 GO

[VÍDEO] De férias em Lisboa, Gilmar Mendes ouve: 'O senhor não tem vergonha na cara?'


Foto/Reproduçao
Nem durante as férias, longe do país, o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes escapa da repercussão de suas decisões. Enquanto passeava pelas ruas do Chiado, popular área comercial de Lisboa, aonde passa suas férias desde o Natal, foi abordado por duas brasileiras.
O vídeo foi publicado primeiramente pelo site O Antagonista. 
"O senhor é de uma injustiça imensurável! Inclusive deve estar querendo se disfarçar aqui, né? Andando como um comum dos mortais. Coisa que não é! O senhor não tem vergonha do que o senhor faz pelo país?"
"Mas a gente viu o senhor de longe!"
"A sua cara ninguém consegue esquecer"
"A gente pede para Deus levar o senhor para o inferno!"
Em meio a risadas, Gilmar reagiu: "Ai, meu Deus do céu!"
Crítico das prisões preventivas e conduções coercitivas na Operação Lava Jato, o ministro acolheu pedidos das defesas e soltou diversos investigados em 2017. Na lista, três solturas do empresário Jacob Barata Filho, e liberdade para o ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, e ao ex-multimilionário Eike Batista, todos, antes, presos por tempo indeterminado. 
Juristas chegaram a protocolar um pedido de impeachment e a força-tarefa da Lava Jato no Rio pediu sua suspeição para julgar casos relacionados a Barata.
Sempre que questionado sobre suas polêmicas, o ministro tem reiterado que toma decisões com base na Constituição. 
Com a palavra, Gilmar
O ministro Gilmar Mendes se manifestou sobre a abordagem no Chiado. "Isso acontece. Manifestações de aplausos e de censura."

Agência Estado


SP: Mulher mata vizinha a facadas por causa de vaga de emprego


Outras duas irmãs da vítima, que estavam com ela no momento da discussão, ficaram feridas. Crime aconteceu em Santos, no litoral de São Paulo.
Érica foi morta a facadas pela vizinha em Santos, SP. (Foto: Arquivo Pessoal)
Uma briga entre vizinhas terminou em tragédia, na noite do último sábado (13), em Santos, no Litoral de São Paulo. Inconformada por não ter conseguido o emprego de Érica Oliveira da Silva, 24 anos, a suspeita desferiu golpes de faca e matou a vítima. Duas irmãs da jovem ainda também foram atingidas. Ninguém foi preso até o momento.
"Ela estava desempregada e queria a vaga da minha irmã. Sempre que a Érica passava, elas se provocavam. Isso acontecia todos os dias", explicou, em entrevista ao G1, a irmã da vítima Rafaela Oliveira da Silva, acrescentando que Érica era assistente administrativa em uma empresa de concreto no bairro Monte Cabrão.
Momentos antes do crime, Érica, Rafaela e outras duas irmãs voltavam pra casa, quando foram abordadas pela autora do crime, identificada como Angélica da Cruz. "Eu não lembro o que foi que ela disse, mas sei que ela gritou algo e minha irmã começou a retrucar. Elas começaram um bate-boca e o pai, o irmão e o marido da agressora saíram para ajudar", relembrou Rafaela.
Angélica não teria sido a única suspeita do crime, disse Rafaela. Tanto o pai quando o marido da vítima, que entregou a faca para cometer o assassinato, participaram da morte da jovem. foi a única das quatro irmãs que não teve ferimentos. "O que queremos, agora, é justiça para todos eles, todos devem pagar. Ela não conseguiria matar a minha irmã e machucar as outras duas sozinha", desabafa Rafaela.
Daniele Alves de Oliveira, 27, com ferimentos no pulmão e intestino, e Débora Oliveira da Silva, 32, as duas irmãs que também foram atingidas, foram encaminhadas ao hospital. Érica já chegou sem vida à unidade de saúde. A Polícia Civil realiza diligências neste domingo (14) para tentar localizar Angélica.

Notícias ao Minuto


Acidente com veículos em MG deixa 13 mortos; 5 vítimas são da Paraíba


Foto/Reprodução
Subiu para 13 o número de mortos no grave acidente ocorrido na manhã deste sábado (13) na BR-251, em Minas Gerais. Há pelos menos cinco paraibanos entre os mortos.
Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF) do estado, duas carretas, duas van, um micro-ônibus e um caminhão que transportava outro veículo se chocaram na altura do quilômetro 413,2 entre os municípios de Montes Claros e Grão Mogol, no norte do estado.
Uma das vans pertencia a um empresário da cidade de Catolé do Rocha. Além dele, que dirigia o veículo, pelo menos quatro outras pessoas da cidade também estavam na van. Dentre elas, uma mulher e os dois filhos. Por conta da tragédia envolvendo os paraibanos, a Prefeitura de Catolé do Rocha decretou luto oficial de três dias.
Inicialmente, o Corpo de Bombeiros informou o número de sete óbitos, mas outras seis vítimas foram retiradas das ferragens. A batida deixou ainda 39 pessoas feridas, sendo que pelo menos 11 estão em estado grave e uma em estado gravíssimo. Os feridos foram levados para a Santa Casa e o Hospital Universitário de Montes Claros.
No início da tarde, a PRF liberou parcialmente o trânsito da pista no sentido de Montes Claros para Salinas. Segundo informações preliminares dos agentes policiais, o acidente foi provocado por um veículo que seguia de Salinas em direção a Montes Claros e invadiu a pista contrária colidindo na lateral de outro veículo. Os carros que vinham em seguida não conseguiram parar e houve uma sucessão de colisões, tombamento de um carro e incêndio de um dos caminhões.

EBC

Jovem morre ao comemorar gol durante partida de futebol


Israel foi atingido na cabeça pela trave de metal quando se pendurou para comemorar o gol.
Ele chegou a pedir socorro, mas logo depois desmaiou. (Foto: Reprodução/Facebook)
O jovem Israel de Paula, 21 anos, morreu enquanto comemorava um gol feito durante uma partida de futebol com os amigos em uma vila rural de Xambrê, no noroeste paranaense. O acidente ocorreu neste sábado (13), por volta das 19h, quando a vítima se pendurou na trave do gol e ela cedeu.
De acordo com cunhada da vítima, Israel se dependurou para comemorar o gol e foi atingido na cabeça pela estrutura de metal. “Ele pediu socorro ainda. Nós pensamos que não tinha sido nada, mas quando ergueram a trave, ele desmaiou”, disse a jovem
Ele foi levado ao pronto-socorro pelos próprios amigos e, segundo eles, durante o transporte apresentou os sintomas de falta de ar e sangramento pela boca.
No hospital, os médicos ainda tentaram reanimá-lo por cerca de 40 minutos, mas sem sucesso. Para a técnica de enfermagem que atendeu a ocorrência, possivelmente a causa da morte foi traumatismo craniano.
O corpo do jovem foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Umuarama para passar pela necropsia.
Israel vivia na cidade de Maria Helena e ia todos os finais de semana para Xambrê, pois sua mãe mora no município.

*Com informações do Umuarama News

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Mulher se joga de 2º andar de prédio para fugir de agressões de marido, em Manaus


Vítima corre risco de ficar paraplégica. Homem foi preso e liberado após pagamento de fiança.
Mulher se joga de 2º andar de prédio para fugir de agressões de marido no AM (Foto: Arquivo Pessoal)
Uma mulher de 23 anos corre o risco de ficar paraplégica depois de ter se jogado do 2º andar do prédio onde mora, em Manaus, para fugir das agressões do marido. O homem, de 27 anos, foi preso, mas foi liberado após pagar fiança.
O crime ocorreu na manhã de terça-feira (9), no apartamento onde o casal morava, na Avenida Comendador José Cruz, bairro Lago Azul, na Zona Norte de Manaus.
No relato para a polícia, a vítima informou que o marido brigava com ela por causa de ciúmes. Antes de se jogar da janela do apartamento, a jovem disse que estava sendo agredida. A delegada Débora Mafra, da Delegacia da Mulher, informou que o homem estava embriagado.
"Ele chegou em casa embriagado, acusando ela de traição, com muito ciúme, xingando, ofendendo ela, acabou fazendo ameaças e pegou a cabeça dela e bateu contra a parede, de forma que fez uma lesão no rosto dela", contou.
Após a agressão, o depoimento afirma que o homem seguiu para a cozinha, momento em que a vítima aproveitou para ir até a janela e se jogar. "Ela queria se matar para não morrer na mão dele. Ele ameaçou minutos antes, dizendo 'você não sabe o que eu vou fazer com você' e ela acabou se jogando", explicou Mafra.

G1-AM

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

'Centro de reabilitação' de usuários de drogas em Londrina abrigava 550 pés de maconha


Além da plantação, também foram encontrados três quilos da droga pronta para consumo e documentação de venda do entorpecente.
Plantas eram abrigadas em estufas que possuíam ventiladores e aparelhos de ar condicionado (Foto: Divulgação/PM)
A Polícia Militar encontrou 550 pés de maconha e três quilos da droga pronta para o consumo em um local que se passava por centro de reabilitação para usuários de drogas e álcool em Londrina, no norte do Paraná. O balanço foi divulgado pela Polícia Militar (PM), nesta segunda-feira (8).
A plantação foi descoberta pelo Corpo de Bombeiros na tarde de domingo (7). Ao atender uma ocorrência de incêndio no local, os agentes encontraram mudas e pés de maconha. A polícia informou que encontrou documentos autorizando o funcionamento do centro de reabilitação - no entanto, ninguém foi localizado no espaço, apenas as drogas.
O delegado chefe de Londrina, Osmir Ferreira Neves Junior, detalhou que o casal responsável pelo local será intimado a depor na delegacia. Até esta segunda, nenhum envolvido na produção e comercialização da droga havia sido preso.
A polícia detalhou que o casal já havia sido alvo de uma operação de combate ao tráfico de drogas em Belém, no Pará. A PM acredita que devido a essa operação, o casal migrou a produção para o norte do Paraná.
Segundo a Polícia Militar, a maconha era cultivada em estufas, com ar condicionado, ventiladores e iluminação.
“Era uma equipe especializada porque tinha equipamento para medir a umidade, a temperatura, a química da água da terra... Equipamentos sofisticados”, explicou o tenente da Polícia Militar Emerson Castro.
No local, também foram encontrados extratos bancários, documentações de venda da droga, papéis e outros objetos com a logomarca da droga, além de revistas e guias de orientação para a produção da planta. Os agentes também encontraram papeis de eventos de divulgação.
“A qualidade da droga era garantida pela logomarca, que estava em bonés, adesivos e em um vasto material de promoção do entorpecente”, explicou o tenente da PM.
Fuga
Segundo a Polícia Militar, os bombeiros foram ao local para atender a uma ocorrência de incêndio e precisaram arrombar o portão para conseguir entrar.
“Eles não quiseram abrir a porta para eles e depois fugiram”, acrescentou o tenente Castro.

G1