Google Analytics Alternative
NOME NOME NOME NOME

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Advogado acusado de assédio é afastado do curso de Direito da UnB, mas continua como procurador do DF



Rafael Santos de Barros e Silva foi denunciado pela ex-aluna e ex-estagiária Ariadne Wojcik, nesta quarta-feira (08), antes dela cometer suicídio.
O procurador do Distrito Federal e professor voluntário do curso de Direito da Universidade de Brasília (UnB), Rafael Santos de Barros e Silva foi afastado da faculdade após ter sido denunciado por assédio moral e sexual pela ex-aluna Ariadne Wojcik, que cometeu suicídio logo após fazer um depoimento do Facebook, nesta quarta-feira (09).
De acordo com o diretor da Faculdade de Direito da UnB, Mamede Said, Rafael Santos não possuía vínculo empregatício com a universidade, ele exercia o magistério em uma disciplina optativa de forma voluntária, por ter sido aluno de mestrado na instituição, o que é comum, segundo o professor Said.
Professores e alunos da faculdade estão abalados com a notícia da morte prematura da jovem, que havia se formado recentemente e seria empossada como servidora comissionada do Tribunal de Justiça de Mato Grosso no mesmo dia em que preferiu desistir da vida.
Na página do curso na internet, uma nota de pesar lamenta a perda da ex-aluna, que começou a cursar Direito na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e transferiu-se para a UnB em 2014, onde conheceu o professor, de quem se tornou estagiária em seguida.
Além de professor voluntário e dono do escritório de advocacia em que foi chefe de Ariadne, Rafael Santos também é procurador do Governo do Distrito Federal (GDF). Mesmo após o incidente envolvendo acusações contra ele, a Procuradoria do GDF manteve Rafael Santos no cargo, onde está atuando normalmente. Questionada, a assessoria de imprensa apenas informou sobre a manutenção dele e disse que não iria se manifestar sobre o caso envolvendo a ex-aluna da UnB.  
O ex-professor e ex-chefe de Ariadne negou as acusações de assédio publicadas na rede social da jovem. Segundo ele, as supostas perseguições empreendidas por ele contra a estagiária, por meio de instalação de câmeras em sua casa e seu carro e até mesmo monitoramento espião em suas redes sociais e seu computador seriam fruto de problemas mentais sofridos pela jovem.
Nota de pesar 
A Faculdade de Direito da Universidade de Brasília recebeu com profundo pesar a notícia do prematuro falecimento de nossa ex-aluna Ariadne Wojcik. 

Toda a comunidade acadêmica da FD/UnB está de luto pela perda de Ariadne, ocasião em que manifesta suas condolências aos familiares e amigos nesse momento de dor.

Brasília, 09 de novembro de 2016.

Mamede Said Maia Filho – Diretor

Gabriela Neves Delgado – Vice-diretora



Repórter-MT

comentário(s) pelo facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentarios aqui publicados não expressam a opinião do blog