NOME NOME NOME NOME NOME

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Jovem sem braços mostra habilidade ao volante e tira CNH especial no Amazonas



Foto: divulgação
Leonardo de Souza, 18, mostrou que a sua vida, desde que nasceu, é pautada pela palavra superação. Sem os dois braços desde o nascimento, ele é o primeiro deficiente físico no Amazonas que consegue realizar o exame de direção para a retirada da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).
No sábado (3), ele passou pelo teste de direção na área de exames do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), no bairro Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus. Com muita habilidade nos pés mostrou que com determinação e força de vontade tudo é possível, a prova foi realizada exatamente como qualquer outra, ele passou pelo teste de balize e percurso, o resultado da prova sai nesta terça-feira (06). “A vida não tem limites, se você quiser e estiver disposto a batalhar para conseguir o que deseja, você conseguirá”, são essas as palavras que seguem Leonardo em todas as decisões que toma na vida.
O diretor presidente do Detran-AM, Leonel Feitoza, esclarece que qualquer pessoa portadora de deficiência pode tirar a CNH desde que esteja apta a passar nos exames médicos e de direção e desde que sua limitação não interfira na capacidade para dirigir, podendo o veículo ser adaptado para atender as suas necessidades. Sendo assim, maiores de 18 anos alfabetizados podem requerer a CNH Especial. “A diferença em relação à solicitação da carteira comum é que, para a CNH Especial, o portador da deficiência terá que passar por uma junta médica que irá examinar a extensão da deficiência do candidato. Esta análise corresponde ao exame médico feito pelos candidatos da habilitação comum e também deve ser marcado em uma clínica credenciada do Detran”, explicou Leonel.
Para solicitar a CNH Especial, no Detran,são necessários os seguintes documentos: Carteira de Identidade (RG), Cadastro de Pessoa Física (CPF), Comprovante original de endereço em seu nome ou de seus pais (conta de luz, água, banco, telefone fixo ou celular).
Após ser aprovado no teste médico, o candidato deficiente deve fazer o curso teórico de 45 horas, em seguida, o exame de legislação. Passando na legislação, o candidato terá que fazer, no mínimo, 25 aulas práticas.
No exame prático, o carro é vistoriado por um perito do Detran para que este veja se o carro está adaptado às necessidades do futuro motorista. Só depois desta inspeção é que o aluno pode ser avaliado. O candidato que necessite de veículo com adaptações, poderá usar o seu próprio veículo para realizar o exame de direção. Se a provado, na CNH Especial constará qual a adaptação necessária deverá ser feita no veículo para que o deficiente dirija com segurança.

Com informações da assessoria/Via Em Tempo

comentário(s) pelo facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentarios aqui publicados não expressam a opinião do blog