Google Analytics Alternative
NOME NOME NOME NOME

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Presos suspeitos de atear fogo contra homem ainda vivo em Goiânia



Crime foi motivado porque vítima esquizofrênica fazia "barulhos" altos, diz polícia.
Foto:Reprodução/TV Anhanguera
A Polícia Civil prendeu dois jovens de 18 e 29 anos, identificados como Wallison Victor de Souza e Johnathan Pereira da Silva, suspeitos de matar Jorge Ribeiro de Souza de 52 anos, ateando fogo contra a vítima ainda com vida no Parque Amazonas, em Goiânia, no dia 23 de julho deste ano. Antes de colocarem fogo no homem, eles ainda o agrediram.
Conforme a corporação, a vítima que sofria doença mental, antes de ter o corpo queimado, foi agredida com golpes de facão e até com uma garrafa de café. As investigações apontam que o crime teria sido motivado porque os suspeitos se irritaram com barulhos feitos pelo homem em virtude da esquizofrenia.
A polícia informou que Wallison era vizinho da vítima e tinha se mudado para a região há pouco mais de um mês, porém, já havia se desentendido com Jorge anteriormente, por causa dos barulhos e ofensas que ele fazia por causa da doença. No dia do crime, Wallison chamou o amigo Johnathan para cometer o homicídio.
Eles invadiram o imóvel da vítima e a agrediram, além de quebrarem o televisor e danificar vários móveis. Ainda com vida, Jorge teve o corpo coberto por álcool e Wallison com um fósforo ateou fogo contra ele. Em seguida, a vítima saiu gritando e pedindo ajuda para vizinhos. Ele chegou a andar cerca 100 metros com o corpo em chamas, antes de morrer.
Após o crime, os suspeitos fugiram. Wallison foi para a cidade de Americana (SP) e Johnathan permaneceu escondido em Goiânia.
O suspeito mais novo foi detido no dia 2 de setembro no interior paulista. Já o mais velho foi localizado no dia 21 de outubro em Goiânia. Eles confessaram o crime e alegaram que não “suportavam os barulhos” feitos pela vítima. Eles serão indiciados por homicídio qualificado e caso sejam condenados podem pegar até 30 anos de prisão.

DM

comentário(s) pelo facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentarios aqui publicados não expressam a opinião do blog