NOME NOME NOME NOME NOME

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Sexta feira 13, verdades e mitos o porque desta data assustadora...



Muitas pessoas consideram o número 13 como um símbolo de sorte, no entanto, a “sexta feira 13” ficou marcada como um dia de “maus agouros” e acontecimentos negativos.
Você sabe exatamente porque essa data se espalha por todo mundo como um dia que pode te trazer azar, que seria um dia que coisas acontecem ou simplesmente seria uma lenda? Sexta-feira 13 é popularmente conhecido como o dia do azar. Pode ocorrer em qualquer mês e em qualquer ano, quando o dia 13 cai numa sexta-feira.
Por norma, as sextas-feiras 13 ocorrem sempre que o primeiro dia do mês é um domingo.
Existem muitas histórias e lendas que tentam justificar como surgiu o misticismo ao redor desta data.
Existem histórias remontadas também pela mitologia nórdica. Na primeira delas, conta-se que houve um banquete e 12 deuses foram convidados. Loki, espírito do mal e da discórdia, apareceu sem ser chamado e armou uma briga que terminou com a morte de Balder, o favorito dos deuses. Há também quem acredite que convidar 13 pessoas para um jantar é uma desgraça, simplesmente porque os conjuntos de mesa são constituídos, regra geral, por 12 copos, 12 talheres e 12 pratos.
O número 13 tem sido mal interpretado desde há muito tempo.
Em algumas culturas ele pode ter sido considerado número de sorte. Não há nenhuma evidência de que o 13 tenha sido considerado um número de azar pelas culturas antigas. Pelo contrário, muitos povos o consideravam um número sagrado. Para os egípcios, a vida era composta por 12 diferentes estágios para que o ser humano alcance o 13º, que era a vida eterna. Dessa forma, o número 13 foi assimilado com a morte, mas não com uma conotação negativa, mas como uma gloriosa transformação. Essa ligação com a morte permaneceu e foi distorcida por outras culturas que nutriam o medo da morte e não a viam como algo presente no destino de qualquer vida.
Alguns historiadores culpam a desconfiança dos cristãos com as sextas-feiras em oposição geral às religiões pagãs. A sexta-feira recebeu seu nome em inglês em homenagem a Frigga, a deusa nórdica do amor e do sexo. Essa forte figura feminina, de acordo com os historiadores, representava uma ameaça ao cristianismo, que era dominado por homens. Para combater sua influência, a igreja cristã a caracterizou como uma bruxa, difamando o dia que a homenageava. Essa caracterização também pode ter tido um papel no medo do número 13. Foi dito que Frigg se uniria a uma convenção de bruxas, normalmente um grupo de 12, totalizando 13. Uma tradição cristã semelhante considera o 13 amaldiçoado por significar a reunião de 12 bruxas e o diabo.
Muitas pessoas consideram o número 13 como um símbolo de sorte, no entanto, a “sexta feira 13” ficou marcada como um dia de “maus agouros” e acontecimentos negativos.
Existem histórias remontadas também pela mitologia nórdica. Na primeira delas, conta-se que houve um banquete e 12 deuses foram convidados. Loki, espírito do mal e da discórdia, apareceu sem ser chamado e armou uma briga que terminou com a morte de Balder, o favorito dos deuses. Há também quem acredite que convidar 13 pessoas para um jantar é uma desgraça, simplesmente porque os conjuntos de mesa são constituídos, regra geral, por 12 copos, 12 talheres e 12 pratos.
Segundo outra versão, a deusa do amor e da beleza era Friga (que deu origem a frigadag, sexta-feira). Quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo, Friga foi transformada em bruxa. Como vingança, ela passou a se reunir todas as sextas com outras 11 bruxas e o demônio, os 13 ficavam rogando pragas aos humanos. Da Escandinava a superstição espalhou-se pela Europa
Uma das hipóteses, de acordo com o cristianismo, diz que a sexta-feira foi o dia em que Jesus foi crucificado, sendo que na sua última ceia estavam 13 pessoas sentadas à mesa.
Existem versões mais antigas de duas lendas da mitologia nórdica, onde em uma delas conta-se que houve um banquete oferecido pelo deus Odin e 12 deuses foram convidados.
Loki, espírito do mal e da discórdia, não estava entre os convidados e ficou muito irado por isso. Após aparecer na festa, uma grande luta foi travada, findando com a morte da deusa Balder, que era muito amada pelos outros deuses.
A partir desta história, veio a crença de que convidar 13 pessoas para um jantar era desgraça na certa.
Segundo outra lenda, a deusa do amor e da beleza para os nórdicos era Friga (que originou os termos friadagr e friday, que significam “sexta-feira” na língua escandinava e em inglês, respectivamente), e quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo, a lenda transformou a deusa em bruxa e, como vingança, ela passou a se reunir todas as sextas-feiras com outras 11 bruxas e o demônio, totalizando 13 integrantes que ficavam rogando pragas aos seres humanos.

Fonte wikipedia


comentário(s) pelo facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentarios aqui publicados não expressam a opinião do blog