NOME NOME NOME NOME

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Estudante da UnB desaparece em montanha na Argentina



Matheus Amorim estava em uma excursão na cidade de San Luís. O último contato com a família foi feito no dia 10 de fevereiro.
O estudante da Universidade de Brasília (UnB) Matheus Amorim está desaparecido desde o último dia 10. Segundo informações da família, o rapaz, que tem 20 anos, teria ido fazer uma excursão em uma montanha localizada na cidade argentina de San Luís, que fica entre Mendoza e Córdoba, e desde então não fez mais contato.
A jornalista Rovênia Amorim, mãe do universitário, informou que já acionou o Ministério das Relações Exteriores (MRE) para ajudar nas buscas do jovem. De acordo com ela, o último contato foi feito, via Messenger do Facebook, às 15h48 do dia 10.
“Ele disse estar em San Luis, Argentina, a caminho de uma montanha. Ele acessou a internet utilizando o aparelho de um ‘colega’. Não temos informação de quem seja, uma vez que viajou sozinho”, disse.
Matheus frequenta o curso de História. Ele saiu de Brasília no dia 1º de fevereiro, embarcou de avião rumo a Florianópolis (SC). Ficou lá dois dias e dia 3/2 seguiu viagem, sozinho, de ônibus, para o Uruguai. Passou por Punta Del Este e Colônia do Sacramento e pretendia ir a outros países da América do Sul.
“Não temos certeza se passou por Mendoza. Não sabemos se passou por Buenos Aires. Viajou com mochila e cerca de R$ 2 mil. Estava com identidade e sem passaporte. A ideia dele era seguir para o Chile. Não sabemos se há registro dele de entrada nesse país”, completou a mãe.
A preocupação maior se deve ao fato de que o jovem tinha passagem marcada de Florianópolis para Brasília para a última quarta-feira (15/2).

Artur Paschoali
Em 2012, o estudante brasiliense Artur Paschoali desapareceu no Peru, onde morava. Ele trabalhava em um restaurante perto de Machu Picchu. Em 21 de dezembro daquele ano, saiu pela região para, segundo teria informado aos amigos, fazer fotos. Desde então, ninguém mais teve notícias sobre o paradeiro do jovem.
Os pais de Artur chegaram a contratar investigadores particulares para ajudarem nas buscas. Na época, eles levantaram a hipótese de que o jovem estaria em uma tribo, na cidade de Atalaya, submetido a trabalho escravo. O pai do brasiliense foi até o local, mas não localizou o filho.
Em agosto do ano passado, depois de a família do jovem conseguir que a polícia peruana investigasse o caso como crime e não desaparecimento, investigadores encontraram vestígios de sangue na casa do dono do bar que o brasiliense trabalhou antes de sumir. A suspeita era que o material fosse de Artur. Com a hipótese descartada, posteriormente, a família acredita que o brasiliense esteja vivo.

Serviço
Quem tiver notícias de Matheus pode acessar a família nos seguintes contatos:
Luis Carlos Bezerra Lopes (pai)– Celular: (61) 99310-1695
Rovênia Amorim Borges (mãe) – e-mail: roveniaa@gmail.com)
Gracileth Coutinho: (61) 3368-3117 ou (61) 99955-5131

Metropolis


comentário(s) pelo facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentarios aqui publicados não expressam a opinião do blog