NOME NOME NOME NOME

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Polícia aponta atuação de milícia em chacina em Ceará Mirim-RN



Entre os crimes ocorridos na madrugada da segunda-feira (21), cinco ocorreram na rua São Lucas, na comunidade ‘Baixa do Rato’, periferia de Ceará-Mirim.(Foto Magnus Nascimento)
As 14 pessoas executadas com tiros na cabeça, em 24 horas na cidade de Ceará-Mirim, foram vítimas da ação de uma milícia, segundo a Polícia Civil, que trata o caso como prioridade para descobrir quem participou e o que teria motivado a chacina. Uma das possibilidades admitidas pelas autoridades policiais é que os crimes praticados entre a madrugada da terça-feira e a madrugada de ontem tenha como motivador uma suposta retaliação ao assassinato do sargento PM Jackson Sidney Botelho Matos,  42 anos.
Entre os crimes ocorridos na madrugada da segunda-feira (21), cinco ocorreram na rua São Lucas, na comunidade ‘Baixa do Rato’, periferia de Ceará-Mirim
Dez dessas vítimas foram assassinadas na madrugada da terça-feira, e o décimo primeiro homicídio já no fim da tarde do mesmo dia. Mas na madrugada de ontem, a Polícia Civil registrou mais três mortes por arma de fogo em Ceará-Mirim, com as mesmas características da matança empreendida na terça-feira. Equipes da Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoas (DHPP) e da delegacia distrital do município atuam no caso e estão começam a fase de oitiva de testemunhas.
Para os investigadores, há indícios de que ao menos parte dos assassinos domine técnicas de ação policial, mas que os crimes podem não ter sido praticados por um “grupo de extermínio”, mas por uma milícia. O delegado-geral de Polícia Civil, Cleiton Pinho, disse na manhã de ontem que o aumento da violência no município nos últimos meses chama a atenção e a polícia deve investigar para saber se há alguma correlação entre os assassinatos após a morte do sargento Botelho e aqueles registrados anteriormente na região.
Os investigadores aguardam os resultados das perícias feitas pelo Itep nos locais dos crimes, e as conclusões das equipes da DHPP. O diretor da  Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoas, delegado Ben-Hur Cirino de Medeiros, afirma que a maioria das vítimas foi atingida por disparo de espingarda calibre .12. “O trabalho feito por equipe especializada da DHPP oferece, a partir de detalhes colhidos nas cenas dos crimes, um retrato das circunstâncias que ocorreram as mortes. A Divisão faria normalmente apenas o chamado “local de crime”, mas devido à dimensão do caso, estamos com um bom efetivo voltado às investigações”, afirma.
Dos 14 corpos, três estavam sem identificação até o fechamento desta edição. Para o delegado-geral de Polícia Civil, crimes dessa magnitude têm resolutividade efetiva também porque “há prioridade para restabelecer a ordem”. A Polícia Civil faz um levantamento para saber mais informações sobre a vida pregressa das vítimas. “É algo importante porque pode indicar caminhos às investigações, mas não são, nem jamais serão, justificativa para que sejam vitimadas”, declarou Cleiton Pinho.
A sequência de assassinatos em Ceará-Mirim ocorreu doze horas após o sargento PM Botelho, lotado no 11º BPM, ter sido baleado e morto numa lanchonete na área urbana da cidade na noite da segunda-feira. A Polícia Civil, segundo o delegado-geral, tem pistas dos assassinos do policial. Questionado sobre eventuais suspeitos, Cleiton Pinho afirmou que por enquanto é algo em fase de averiguação.
A motivação para o assassinato do sargento é, por enquanto, algo sem resposta para a polícia. “Não temos conhecimento se ele [sargento Botelho] foi assassinado por algo decorrente da atuação dele como policial, ou por outro motivo. Por enquanto, o que sabemos é que ele foi uma vítima”, afirma o delegado.

Itep identifica doze corpos
O Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP-RN) contabiliza desde a segunda-feira (20), até a manhã de ontem (22), o recolhimento de 15 corpos de pessoas vítimas de crimes violentos letais intencionais, no município de Ceará Mirim, incluindo o sargento da Polícia Militar morto a tiros na tarde da segunda. Do total de corpos, 12 - incluindo o PM -  foram identificados, sendo 9 deles por necropapiloscopia (comparação de impressões digitais) e outros três pelo exame de arcada dentária, realizado pela odontologia legal. Três das vítimas ainda não foram identificadas, sendo uma delas devido à falta de procura dos familiares. Uma das vítimas chegou a ser socorrida e levada ao hospital, mas não resistiu e morreu.

Vítimas identificadas
Jacson Sidney Botelho Matos, 56 anos
Emanuel Klaiton Silva de Andrade, 18 anos
Kleberson Wendel Pereira da Silva, 25 anos
Eudes Costa de Andrade, 40 anos
Adelmakson Nascimento Sena, 25 anos
Marcos Antônio de Oliveira, 34 anos
Luciano Duarte Júnior, 27 anos
José Soares da Silva, 17 anos
Marcílio Maurício Damasceno do Nascimento, 24 anos
Paulo Henrique Josué Soares, 19 anos
Wendison Silva Ferreira, 21 anos
Wanderson Emanuel Ferreira, 22 anos

Fonte:Hudson Helder - Chefe de reportagem
Marcelo Filho - Repórter
Tribuna do Norte

comentário(s) pelo facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentarios aqui publicados não expressam a opinião do blog