NOME NOME NOME NOME

sexta-feira, 10 de março de 2017

Adolescente é encontrada morta após sair para comprar material escolar em MT



Os sinais no corpo indicam que ela foi morta por esganadura. A polícia investiga as suspeitas de latrocínio e crime passional.
A Polícia Civil encontrou o corpo de Vitória Gabriela, de 14 anos, na tarde de quinta-feira (9), jogado em um matagal na cidade de São José do Rio Claro (315 km a Médio Norte de Cuiabá). A garota estava desaparecida desde o dia (7), quando saiu da comunidade rural, onde morava, em direção à cidade para comprar materiais escolares.
“De 70 a 80 pessoas da cidade foram mobilizadas nas buscas da jovem, pois acreditávamos que ela ainda estivesse viva”, relatou o delegado Nilson Faria.
Com o desaparecimento, a família acionou a Polícia Civil da cidade, que contou com apoio de dezenas de moradores da região, que tentaram ajudar a descobrir o paradeiro da adolescente. O corpo da garota estava com sinais de estrangulamento.
Duas linhas são apontadas nas investigações: a de latrocínio – roubo seguido de morte – uma vez que apenas o chip do celular da garota foi encontrado com ela e a possibilidade do crime ter acontecido por motivos passionais. Um desentendimento amoroso pode ter acarretado no assassinato.
"Só localizamos o corpo graças à mobilização da sociedade na elucidação do caso, o que deve continuar, no auxilio às investigações que buscam localizar o autor do assassinato”, ressalta Faria.
Durante as buscas ao corpo, os policiais localizaram uma sandália, que foi reconhecida pela mãe. Em seguida, duas pessoas relataram ter sentido um cheiro forte ao passar por uma rua que margeia uma mata – onde o corpo foi encontrado.
“Nós estávamos na viatura quando fomos avisados do cheiro por essas pessoas.Só localizamos o corpo graças à mobilização da sociedade na elucidação do caso, o que deve continuar, no auxilio às investigações que buscam localizar o autor do assassinato”, ressalta Faria.
O corpo estava em meio ao mato alto, cerca de seis metros distante da rua. Agentes da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) estiveram no local. A garota não apresentava sinais de ter sido vítima de violência sexual.
Segundo a Politec, Vitória foi morta por esganadura - forma de asfixia do pescoço com as mãos. Ela também apresentava hematomas no rosto, provavelmente provocados por socos. Ninguém foi preso.
O delegado da cidade ressalta que o caso é prioridade da delegacia e quem souber de informações que possam auxiliar no trabalho da polícia, pode comparecer diretamente na delegacia ou ligar no (65) 3386-1908. O sigilo da denuncia é assegurado.

Repórter MT

comentário(s) pelo facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentarios aqui publicados não expressam a opinião do blog