NOME NOME NOME NOME

domingo, 2 de abril de 2017

Policial Militar é morta pelo namorado na Bahia



Ainda de acordo com a polícia, o suspeito matou a vítima com uma barra de ferro e roubou pertences dela.
A subtenente Wagna Adrade era lotada no Colégio da Polícia Militar de Feira de Santana (CPM) (Foto: Reprodução/ Facebook)
A subtenente da Polícia Militar Wagna Andrade Soares, 47 anos, foi encontrada morta em um matagal em Conceição de Feira, a cerca de 120 km de Salvador, na noite de sexta-feira (31). De acordo com a polícia, um homem que afirmou ser namorado da vítima confessou o crime. 
Igor Tosta Lopes foi preso por uma equipe da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Feira de Santana ainda na noite de sexta, depois de ter sido encontrado em um quarto de hotel próximo à rodoviária da cidade. À polícia, ele informou que o corpo de Wagna foi deixado na Serra da Tupuma, em Conceição da Feira. O corpo foi encontrado enrolado em um lençol em meio ao matagal.
A busca pela subtenente foi iniciada ainda na manhã de sexta-feira, quando amigos não conseguiam falar com ela via telefone e nem localizar o veículo dela. A polícia encontrou o carro, modelo HB20, de cor prata, no estacionamento de um supermercado da cidade, que também fica próximo à rodoviária - região onde o suspeito estava escondido.
Em nota, a PM informou que Wagna era lotada no Colégio da Polícia Militar (CPM) de Feira de Santana. A família ainda não informou dia, hora e local do sepultamento da policial.

Polícia diz que discussão motivou o assassinato de subtenente pelo namorado
Após ser autuado por homicídio qualificado, o acusado da morte da subtenente da Polícia Militar Wagna Andrade Soares, 47 anos, foi encaminhado para o Presídio Regional de Feira de Santana. Igor Tosta Lopes foi preso por uma equipe da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos  ainda na noite de sexta, depois de ter sido encontrado em um quarto do Hotel Aracaju, localizado próximo à rodoviária da cidade.
À polícia, Igor confessou o crime e disse que uma briga por conta de "um prato sujo" teria motivado o assassinato da subtenente - o corpo dela foi enterrado neste sábado (01), em Feira. Ainda de acordo com a polícia, Igor teria roubado alguns pertences de Wagna como notebook, álbuns de fotografia e perfumes.
Igor Tosta Lopes mantinha um relacionamento há 4 anos com a vítima e disse que briga motivou o crime (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)
“Ela mantinha um relacionamento com ele há 4 anos. Eles não moravam juntos, mas Igor estava com ela em casa quando, por volta das 21h, começaram a discutir. Foi quando ele pegou uma barra de ferro que estava na área de serviço e matou a subtentente”, contou o coordenador do Serviço de Investigação, Joelton Vieira. “Por volta de meia-noite ele colocou o corpo no carro e jogou no despenhadeiro”, acrescentou.
O corpo foi encontrado dentro de dois sacos de lixo e enrolados em um edredom em meio ao matagal em Conceição de Feira, na Serra do Tapuma, na noite de sexta-feira (31). A polícia encontrou o carro, modelo HB20, de cor prata, no estacionamento de um supermercado.
Segundo Joelton Vieira, o suspeito tentou vender o carro antes. “Igor negou envolvimento, mas após acharmos a chave do HB20 na bolsa, ele indicou a localização do corpo”, disse o coordenador.Em nota, a PM informou que Wagna era lotada no Colégio da Polícia Militar (CPM) de Feira de Santana. De acordo com o delegado da Furtos e Roubos, André Ribeiro, o suspeito alegou problemas mentais. “Ele foi autuado por homicídio qualificado e encaminhado ao Presídio Regional de Feira”. 

Com informações do Correio

comentário(s) pelo facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentarios aqui publicados não expressam a opinião do blog