NOME NOME NOME NOME NOME

sábado, 23 de setembro de 2017

Ex-miss é suspeita de sequestro de empresário curitibano junto com policial



Segundo investigações, a ex-miss Pinhais, Karina Reis, 25, não só teria convencido o namorado – o soldado da Polícia Militar, Janerson Gregório da Silva- a participar do crime, como também teria trabalhado para a vítima como modelo.

A mente criminosa por trás do sequestro de um empresário curitibano no fim de agosto foi revelada. Segundo investigações, a ex miss Pinhais, Karina Reis, 25, não só teria convencido o namorado – o soldado da Polícia Militar, Janerson Gregório da Silva- a participar do crime, como também teria trabalhado para a vítima.
De acordo com a Polícia, Karina teria planejado o sequestro com base nas informações privilegiadas que coletou enquanto trabalhava como secretária da vítima, e também com dados da vida privada do empresário, divulgados por meio das redes sociais. Presa desde a manhã do dia 30 de agosto, Karina está detida no Complexo Penitenciário de Piraquara, assim como o namorado e a mãe dele – também suspeita de participar do crime.
De acordo com o delegado Cristiano Augusto Quintas dos Santos, do Grupo Integrado de Grupos de Repressões Especiais (Tigre), até então, a ex miss era tida como mera coadjuvante na ação. “Agora que a responsabilidade dela foi comprovada, no sentido de arquitetar o sequestro, certamente haverá repercussão sobre a punição a ser aplicada neste caso”, afirma.
Karina foi autuada por extorsão mediante sequestro e roubo. Ainda de acordo com o delegado, ela não teve participação ativa no arrebatamento da vítima, mas acompanhou a ação desde o início. Ela permanece presa preventivamente.
De acordo com a Polícia, Karina teria planejado o sequestro com base em informações que o empresário e ex-patrão divulgava nas redes sociais. A jovem está presa desde o dia 30 de agosto no Complexo Penitenciário de Piraquara, assim como o namorado e a mãe dele – também suspeita de participar do crime.

Relembre o caso
Procurado pelos criminosos para uma suposta reunião de trabalho, o empresário do ramo de publicidade e comunicação teria sido rendido ainda dentro do seu carro, em um suposto assalto, no fim do mês de agosto. Armados, os bandidos o ameaçaram e o conduziram à residência de um dos sequestradores, onde foi amarrado e amordaçado. Em seguida, ele foi colocado no porta-malas de um veículo, e finalmente conduzido ao local escolhido como cativeiro – a residência da mãe do soldado Janerson Gregório da Silva, da PM.
A família da vítima acionou a Polícia após o recebimento de uma mensagem solicitando o resgate de R$200 mil. Os policiais do Grupo Tigre então, passaram a monitorar toda a movimentação e comunicação da família, e na busca pelo veículo da vítima, acabaram prendendo em flagarante um dos sequestradores, no momento em que ele pegava o carro da vítima, estacionado no bairro Jardim Botânico, próximo ao Hospital da PM.
A partir da investigação, os policiais do Tigre chegaram até os sequestradores. Eles foram presos em flagrante na residência da mãe de Janerson, localizada também no Jardim Botâncio. Além do soldado e da modelo, os policiais também prenderam a mãe dele – por conivência com o crime. Um dos integrantes do grupo ainda está foragido.
O empresário foi libertado sem ferimentos.

Com informações da Tribuna PR

comentário(s) pelo facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentarios aqui publicados não expressam a opinião do blog