NOME NOME NOME NOME NOME

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Mulher flagra marido no sofá com amante e faz algo pavoroso



Depois de ver os dois fazendo sexo, ela disse que iria tirar um chá...
A britânica Monika Fourie (à esquerda), de 34 anos, chegou em sua casa em Plymouth, sudoeste do Reino Unido, e viu o marido, Wouter Fourie, de 36, fazendo sexo com a amante dele no sofá, a também inglesa Hannah Stokes (à direita), de 24.
Monika agiu com frieza. Disse que iria até a cozinha “fazer um chá e depois conversar”. Quando retornou, com uma chaleira de água fervendo e xícaras, pediu a Wouter, olhando para Hannah: “Quero conversar a sós com ela. Não se preocupe. Não vou fazer nada com sua namorada”.
Assim que o marido deixou a sala e subiu as escadas para o quarto, Monika atacou Hannah: jogou a água fervente no rosto e no corpo da garota.
A esposa Monika Fourie (à esquerda), de 34 anos e a amante Hannah Stokes (à direita), de 24
Wouter (acima) estava no segundo piso da casa quando ouviu os gritos de Hannah, sofrendo com a dor. Também escutou a mulher xingando a moça e a ameaçando: “Da próxima vez vai ser pior”.
Quando desceu as escadas, Monika estava puxando o cabelo de Hannah (foto), que, berrando, tentava fugir dali. Segundo Wouter, a mulher traída derrubou Hannah, ao impedir que ela saísse para buscar ajuda. Chegou a arrastá-la pelo piso. Wouter a segurou. Em seguida, ele levou a amante ao hospital. No dia a seguinte, deu queixa contra Monika na delegacia.
A mulher foi presa dois dias depois do ataque. Hannah, hospitalizada, sofreu queimaduras de segundo grau no pescoço, parte do rosto, costas, no colo e nas costas. Teve ainda um tímpano perfurado.
O caso que chocou o Reino Unido aconteceu em outubro de 2015. Voltou à tona esta semana: Monika, que tem uma filha com Wouter e se separou dele, está sendo julgada pela corte de Plymouth. Ela foi solta sob fiança no início de 2016, mas corre o risco de pegar pena pesada (especula-se na imprensa britânica que ela pode ser condenada a 15 anos de cadeia).
Monika (aqui saindo do tribunal na audiência desta terça, 17) negou, logo após ser presa, negou ter jogada a água fervente em Hannah e afirmou ainda que tudo foi um “mal-entendido”. Mas, no tribunal, saiu-se com essa explicação: “Foi sem querer. Aconteceu um acidente”.
Monika já desconfiava que Wouter, um oficial da marinha britânica, estivesse tendo um caso. Não sabia com quem. “Ele vinha saindo sem dar explicações, atendia o celular reservadamente e andava distante”, Monika contaria depois ao jornal The Sun.
Em outubro de 2015, Wouter confirmou à esposa que estava, sim, tendo um relacionamento extra-conjugal. Não contou quem era a amante.
Segundo ele contou no tribunal, a esposa recebeu a notícia com calma. “Ele disse que iríamos nos separar. Até conversamos sobre direito e como dividiríamos a guarda de nossa filha”.
Monika avisou o marido que iria pegar “umas coisas” no quarto e que iria dormir na casa de uma amiga. No dia seguinte, 24 de outubro de 2015, Wouter levou Hannah para, de acordo com ele, “assistir a uma partida de rugby na TV”. Os dois foram até a casa onde ele morava com a mulher. Fizeram sexo no sofá, viram TV e, depois, transaram mais uma vez. Então apareceu Monika.
A mulher chegou em casa, notou as luzes acesas, viu sapatos femininos da porta e entendeu que o marido não estava sozinho. Flagrou-o com Hannah no sofá. Ficou perplexa, ela lembrou, ao vê-los, mas tentou manter a calma. Foi quando avisou que iria à cozinha para fazer o chá e pediu ao marido que as deixassem a sós.
Depois de atacar a mulher com água quente, ser presa e liberada sob fiança, Monika escreveu mensagens ao familiares, que moram na Polônia. Em uma dessas mensagens, ela escreveu: “Consegui me vingar. Mas foi pouco. Preciso fazer mais contra aquela ‘@#$%&*#$!#@&$’”, e xingou a rival mais uma vez.

comentário(s) pelo facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentarios aqui publicados não expressam a opinião do blog