NOME NOME NOME NOME NOME

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Família enterra corpo de mulher no lugar de idoso, trocado em hospital de Duque de Caxias, no RJ



Família chegou a desconfiar de diferenças mas afirma que não descobriu porque só os olhos e parte do nariz estavam à mostra.
Esposa de Cesar Carvalho Lobo passou mal ao saber que enterrou corpo errado (Foto: Arquivo Pessoal)
Uma família viu a dor de enterrar um ente querido aumentar ainda mais ao descobrir que velou e enterrou o corpo errado. Cesar Carvalho Lobo, de 74 anos, morreu na última terça-feira (14) no Hospital Caxias D’or, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Mas após seu filho reconhecer o corpo na última quarta-feira (15), a funerária preparou e entregou para a família o corpo de uma mulher.
De acordo com o neto da vítima, Lucas Ribeiro Lobo, de 23 anos, durante o funeral alguns parentes chegaram a desconfiar se era realmente o corpo de Cesar no caixão, mas, como apenas os olhos e parte do nariz estavam à mostra, eles acharam que o corpo estaria transformado devido à morte.
“Quando o enterro foi acontecer, na quarta-feira à tarde, não tinha como a gente diferenciar porque o corpo estava cheio de pétalas e só dava para ver um pouco dos olhos e do nariz. Estava todo mundo muito abalado”, contou o neto.
O erro, segundo o rapaz, só foi detectado quando a família da mulher foi ao hospital buscá-la na quinta-feira (16) pela manhã. “O hospital entrou em contato com a esposa do meu avô pedindo para que tentassemos verificar a troca do corpo e quando meu pai chegou no hospital, ele chegou até a ficar revoltado porque o corpo estava no mesmo lugar”.
Família de Cesar Carvalho Lobo ficou abalada após enterrar corpo de mulher em seu lugar (Foto: Arquivo Pessoal)
A esposa de Cesar, Mariza Martins de Aguiar, chegou a passar mal quando soube do ocorrido e precisou receber atendimento médico. “A família tá muito abalada, a gente velou um corpo achando que era do meu avô, meu tio-avô veio de Minas para o enterro e agora não vamos poder trazê-lo de novo ”, lamentou.
O neto de Cesar disse ainda que a Rede D’or se dispôs a arcar com todos os custos que a família teve, porém, nem a funerária e nem o hospital informaram ao certo o que aconteceu ou de quem foi a culpa.
Apesar de todo o transtorno, segundo Lucas, a família não tem intenção de entrar com uma medida judicial no momento. “Nesse primeiro momento a gente não está pensando nisso. A gente só quer resolver logo esse problema o mais rápido possível”, lamentou.
O corpo da mulher foi exumado na manhã desta sexta e o enterro com o corpo de Cesar será realizado também nesta sexta, por volta das 16h, no cemitério Raiz da Serra, em Magé, também na Baixada Fluminense.
Em nota, o hospital Caxias D'Or disse que "uma sindicância interna, aberta com urgência, encontra-se em andamento para apurar as devidas responsabilidades". Eles lamentaram o ocorrido e disseram que os procedimentos para resolução do caso começaram logo após o episódio, e estão sendo finalizados.
A direção ressaltou ainda que um relatório está sendo elaborado para fins de averiguação e, que toda assistência necessária está sendo prestada às famílias.

G1/*sob supervisão de Cristina Boeckel

comentário(s) pelo facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentarios aqui publicados não expressam a opinião do blog