NOME NOME

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Mulher é presa suspeita de matar companheiro a facadas em Teresina-PI


Crime aconteceu na madrugada deste sábado (16), na Rua Alceu Brandão, bairro Monte Castelo, Zona Sul de Teresina.
Uma mulher, identificada como Taynara, foi presa suspeita de matar a facadas o companheiro na madrugada deste sábado (16). Segundo a polícia, o homicídio aconteceu na Rua Alceu Brandão, bairro Monte Castelo, Zona Sul de Teresina.
"Era por volta das 4h, a polícia foi acionada sobre um corpo próximo a uma casa de show. No local, os policiais foram informados que uma mulher desferiu dois golpes de faca no companheiro e fugiu", informou o tenente-coronel Lacerda, comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar.
Conforme o comandante, a mulher teria assassinado o companheiro durante bebedeira. A vítima Fernando Farias Santos, 37 anos, era flanelinha e morreu no local.
Após diligências na região, a suspeita foi presa pela equipe da Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRE) no cruzamento das avenidas Gil Martins com Miguel Rosa e conduzida para Central de Flagrantes de Teresina.
O delegado Hildson Rodrigues, do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), contou que a suspeita confessou ter matado o companheiro durante uma brincadeira. "Foi apenas uma facada no ombro. Eles tinham cinco anos de convivência", disse.

G1

<

Engenheiro flagra esposa com amante, mata os dois e comete suicídio


Ele ficou de tocaia a espera da mulher, que havia saído com o amante. Na volta, abordou o casal e atirou várias vezes.
Boa Vista - Um engenheiro de 41 anos matou a tiros a mulher e o amante dela, de 33 e 34 anos, respectivamente, na rua Rondônia, bairro dos Estados, em Boa Vista (RR). Após o duplo homicídio, o homem se suicidou com um tiro na cabeça. As informações são do portal a Folha de Boa Vista. Crime aconteceu na quinta-feira (14).
Conforme informações repassadas à imprensa pela polícia local, a mulher e o amante estavam mortos dentro de um veículo, modelo picape. Já o corpo do engenheiro foi encontrado caído sobre o chão a poucos metros do automóvel. 
Segundo os relatos de testemunhas à polícia, momentos antes do crime, as vítimas assassinadas chegaram em um bar por meio de dois carros. No estabelecimento, compraram bebidas alcoólicas e seguiram viagem apenas em um carro. 
Em seguida, o engenheiro e autor dos disparos chegou de carona em outro carro e aguardou o retorno da esposa, que voltaria ao bar para pegar o veículo que havia deixado estacionado. 
A polícia não soube informar quantos disparos de arma de fogo atingiram o amante. Mas as marcas eram visíveis a olho nu, pois ele estava sem camisa. Familiares das vítimas entraram em estado de choque depois que as identidades foram reveladas pela polícia. 
Conforme a Folha de Boa Vista apurou, o casamento do engenheiro passou por uma crise em novembro do ano passado, quando ele viajou para Brasília a trabalho e aproveitou para fazer um curso. Ele, inclusive, assumiu a Secretaria Estadual de Infraestrutura de Boa Vista (Senif) por um tempo.
Naquela época, ele recebeu fotos da mulher com o amante, e chegou a fazer ameaças à ela. Porém, ao retornar para Boa Vista e ser aconselhado por amigos e familiares, o homem desistiu da vingança. 
Durante um jantar em família, com a participação de alguns amigos próximos, a mulher foi questionada sobre a foto, mas declarou que ela e o engenheiro estavam bem no relacionamento. 
Ainda conforme apuração da Folha de Boa Vista, um colega de trabalho do engenheiro chegou a compartilhar nos últimos dias que ambos haviam conversado sobre o fim do relacionamento e ele havia orientado o amigo a procurar uma igreja e fugir dos sentimentos que lhe causassem perturbação. 
O casal tinha dois filhos, um de cinco anos e outro de oito. O caso será investigado pela Delegacia de Homicídios de Boa Vista.

Edição: Isac Sharlon/Em Tempo
<

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Polícia identifica dupla que furtou corpo de mulher de cova em MS: 'Um dos homens é obcecado por ela'


Investigação conseguiu imagens de câmeras, que mostram carro usado por dupla. Vítima foi morta a facadas e cadáver ainda permanece com os envolvidos.
Coveiro encontrou a terra remexida sobre a cova da mulher no cemitério de Dois Irmãos do Buriti, e ao verificar, constatou que o caixão estava vazio. — Foto: Osvaldo Nóbrega/TV Morena
A Polícia Civil desvendou parte da ação criminosa de dois homens, que furtaram o corpo de uma mulher de 37 anos, no cemitério de Dois Irmãos do Buriti, a 98 km de Campo Grande. Segundo a delegada Nelly Macedo, responsável pelas investigações, um dos homens é obcecado pela vítima e ainda está com o cadáver escondido.
"O crime está desvendado, assim como os autores e até o carro que utilizaram no crime. Nós temos imagens de câmeras de segurança e estamos aguardando o contato do advogado, que ficou de apresentar os envolvidos e entregar a localização do cadáver. É só neste momento que vamos entender o que mais há para ser descoberto. O que se sabe, até o momento, é que um dos homens é obcecado por ela", afirmou ao G1 a delegada.
Conforme a polícia, o corpo foi furtado da cova na madrugada de terça-feira (12), por volta de 1h (de MS). O coveiro verificou o furto ao chegar no cemitério para trabalhar.
Entenda o caso
Rosilei Potronieli, de 37 anos, foi ferida a facadas no abdômen após discussão com um homem em um bar do município de Terenos, a 23 km de Campo Grande, na noite de sábado (9).
Ela chegou a ser socorrida, porém, devido a gravidades dos ferimentos, foi encaminhada para a Santa Casa e lá morreu na madrugada de domingo (10). Na segunda (11), houve o enterro. No outro dia, o coveiro responsável pelo local verificou que a cova estava aberta e informou à polícia.
Um trabalhador rural de 38 anos se apresentou à polícia quarta-feira (13) e confessou ter esfaqueado a mulher.

G1

Surfista é mordido por tubarão em Fernando de Noronha


Vinícius Cavalcanti, de 31 anos, ficou com ferimentos no rosto, pescoço e orelha.
Incidente aconteceu na Praia da Cacimba. Foto: Reprodução/Wikimedia Commons
Um surfista foi mordido por um tubarão nesta quinta-feira (14) na Praia da Cacimba em Fernando de Noronha, a 545 quilômetros do Recife. Vinícius Cavalcanti, de 31 anos, foi levado ao Hospital São Lucas com ferimentos na face, pescoço e orelha. Ele foi atendido e já recebeu alta. Testemunhas contaram que a vítima surfava, mas teria caído da prancha em cima de um cardume de sardinhas e acabou mordido por um tubarão.
A praia em que Vinícius praticava o esporte não faz parte das duas que ficaram com restrição de banho após uma baleia morta aparecer na Praia do Cachorro. A carcaça estava com muitas mordidas e o sangue atraiu vários animais ao local.
Segundo ambientalistas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), foi feita uma recomendação para que banhistas e turistas evitem entrar na água. Isso porque quando os tubarões estão se alimentando tendem a ficar mais agressivos.

OP9
<

Polícia do RJ prende motorista de Uber suspeito de estuprar passageira de 15 anos


Crime foi cometido em Bangu. Empresa diz lamentar o caso, mas não esclareceu a fraude.
Polícia prende suspeito de estupro em Bangu — Foto: Divulgação/PCERJ
Um motorista da Uber foi preso na manhã desta quinta-feira (14), na Zona Oeste do Rio, por suspeita de estupro. A polícia afirma que o condutor agrediu sexualmente uma passageira de 15 anos que ia para a escola, em Bangu, ao fim de uma corrida pedida pelos pais da jovem.
A Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV) descobriu ainda que o homem se cadastrou na plataforma e rodava no aplicativo com nome e documentos falsos.
“Pedimos o cadastro na empresa. A foto é dele, mas os dados são de outra pessoa. Tínhamos um rosto, mas não sabíamos quem era”, disse o delegado Adílson Palacio, titular da especializada. “Nosso núcleo de Inteligência fez um levantamento e conseguiu identificar quem era o dono daquele rosto. Ele, então, reconheceu que era ele mesmo”, detalhou.
Segundo a polícia, os pais da jovem pediram um Uber, e o suspeito aceitou. A jovem embarcou sozinha. O motorista fez parte do trajeto e encerrou a corrida no aplicativo, mas trancou o carro, impedindo que a jovem saísse. Na sequência, a arrastou para um matagal, onde a estuprou.
A investigação da DCAV continua. “De outubro para cá ele fez mais de mil corridas. Queremos saber se ele fez mais vítimas no período”, diz o delegado.
“Quantos motoristas de Uber estão nessa situação? Vamos intimar a direção da empresa para saber quais protocolos de segurança estão sendo adotados. E saber quem são essas pessoas. Não se sabe mais com quem está pegando carona”, afirmou Palacio.
O que diz a Uber
Em nota, a Uber diz lamentar “o crime terrível que foi cometido” e garante estar à disposição para colaborar com as investigações..A plataforma não esclareceu, no entanto, o episódio da fraude no cadastro. Disse apenas que utiliza “uma ferramenta de verificação de identidade em tempo real”.
“A empresa repudia qualquer tipo de comportamento abusivo contra mulheres e acredita na importância de combater, coibir e denunciar casos de assédio e violência”, afirma.
“Como parte do processo de cadastramento para utilizar o aplicativo da Uber, todos os motoristas passam por uma checagem de antecedentes criminais realizada por empresa especializada que, a partir dos documentos fornecidos pelo próprio motorista e com consentimento deste, consulta informações de diversos bancos de dados oficiais e públicos de todo o país em busca de apontamentos criminais, na forma da lei”, emenda a Uber.
“De tempos em tempos, o aplicativo pede, aleatoriamente, para que os motoristas parceiros tirem uma selfie antes de aceitar uma viagem ou de ficar on-line, para ajudar a verificar se a pessoa que está usando o aplicativo corresponde àquela da conta que temos no arquivo”, detalhou.

G1
<

Policial militar é morto durante troca de tiros com policiais civis, em bar na Paraíba


Troca de tiros aconteceu em um bar no bairro do Geisel, em João Pessoa — Foto: Walter Paparazzo/G1
Um soldado da Polícia Militar foi morto a tiros na madrugada desta quinta-feira (14) durante um tiroteio com policiais civis, em um bar no bairro do Geisel, em João Pessoa. De acordo com a PM, que esteve no local, a vítima estava bebendo no estabelecimento com outra pessoa, que também foi atingida pelos disparos e ficou ferida.
Conforme relata tenente Marcones, da Polícia Militar, os dois policiais civis estavam sentados em uma mesa do bar e teriam achado suspeita a atitude de dois homens que também estavam bebendo em outra mesa. Então, os policiais civis foram até a mesa e abordaram os dois. Foi quando iniciou uma discussão e deu início ao tiroteio dentro do bar. No entanto, a Polícia Civil ainda investiga o que teria motivado o início do tiroteio.
O soldado Davi morreu no local com dois tiros na região torácico. O outro homem, que não é policial, ficou ferido e foi encaminhado ao Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, onde permanece em estado de saúde estável. No local, a perícia encontrou duas armas de calibre .38.
Segundo a polícia, o soldado Davi Cristiano das Neves Pereira, de 34 anos, do 5º Batalhão da Polícia Militar, respondia a processo disciplinar por dois crimes ocorridos em 2014 e 2015. Ele também foi detido no dia 26 de janeiro em uma operação da PM em uma casa de show no bairro Portal do Sol por porte ilegal de arma, já que o porte estava suspenso por conta da investigação.
Os dois policiais civis que efetuaram os disparos foram encaminhados para a Central de Polícia Civil, em João Pessoa, para prestar esclarecimentos sobre o ocorrido.

G1-PB
<

Mãe flagra estupro da filha de 4 anos durante festa de aniversário da menina no Piauí


Suspeito do abuso é tio-avô da criança e foi agredido por algumas pessoas logo após o crime.
Suspeito está internado no Hospital Regional Justino Luz, em Picos — Foto: Reprodução/TV Clube
A mãe de uma menina de 4 anos flagrou a própria filha sendo estuprada durante a festa de aniversário da criança. A delegada Ana Patrícia Leal informou nesta quarta-feira (13) que o autor do crime é tio-avô da criança e está hospitalizado depois de ter sido agredido por algumas pessoas. O caso aconteceu na noite do domingo (10) em Picos, Sul do Piauí.
“Esse senhor veio de outro estado para cá, chegou no sábado (9) e ficou na casa de uma parente, que foi convidada para o aniversário e o chamou. Durante a festa, a mãe sentiu falta da menor e quando foi procurar flagrou ele apalpando as partes intimas da menina”, afirmou a delegada Ana Patrícia Leal.
Segundo a delegada, o suspeito deixou a residência em seguida, mas as pessoas que estavam na festa tiveram conhecimento do ocorrido. “Houve um tumulto, várias outras pessoas ficaram sabendo. Ele foi agredido, mas a polícia foi acionada, fez a prisão dele e em seguida levou para o hospital”, contou.
Ana Patrícia Leal colheu o depoimento do suspeito nesta quarta-feira (13), no Hospital Regional Justino Luz. “Ele nega, diz que não lembra. Que chegou bêbado no aniversário e consumiu mais bebida lá. Ele passou por cirurgia e segue internado, mas quando sair vai direto para a penitenciária, porque a prisão dele foi convertida em preventiva”, disse a delegada.

G1
<

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

'Fiquei paraplégica por causa de um piercing'


Quando tinha 20 anos, a jovem Layane Dias colocou um piercing no nariz e acabou infectada por uma bactéria que a deixou paraplégica.
Foto:Arquivo pessoal (via BBC)
No início de julho do ano passado, Layane Dias comemorava o estágio que acabara de conquistar e planejava uma viagem em família no mês seguinte. Para a jovem, na época com 20 anos, era o início de uma nova fase.
Ela afirma que jamais imaginaria que estava prestes a passar pelo período que considera o mais complicado de sua vida.
Dias antes de iniciar o estágio, Layane começou a sentir dores frequentes pelo corpo. Para ter forças para trabalhar, a jovem teve de recorrer a medicamentos. No entanto, cada vez mais debilitada, teve de abandonar o estágio.
O quadro de saúde dela foi piorando até que, semanas depois, a estudante perdeu os movimentos da perna. A situação tornou-se ainda mais difícil e a jovem deixou de sentir parte do próprio corpo. "Dos seios para baixo, não conseguia sentir mais nada", diz à BBC News Brasil.
Segundo Layane, o neurocirurgião que a acompanhou apontou que a bactéria Staphylococcus aureus — que pode causar mazelas em diferentes níveis ao atingir a corrente sanguínea — entrou no organismo da jovem por meio de uma infecção no nariz e a deixou paraplégica.
"O médico me perguntou se eu tive alguma espinha na região do nariz ou algo assim, porque essa bactéria, comumente, é desenvolvida nas fossas nasais. Foi então que contei que havia colocado um piercing no lado esquerdo do nariz, no mês anterior", relata a jovem.
"Quando contei isso, ele me disse: o piercing foi a entrada da bactéria em seu corpo. Ouvir isso me deixou em choque", conta.
O piercing
Um dos primeiros sintomas da infecção sofrida por Layane Dias foi uma 'bola vermelha' no nariz — Foto: Arquivo pessoal (via BBC)
Layane sempre se considerou uma jovem vaidosa. Além de estudante de Recursos Humanos, também fazia alguns trabalhos como modelo fotográfica.
Ela revela que sempre gostou de piercings. "Já tinha colocado na parte direita do nariz por três vezes", comenta. Em junho passado, a estudante mudou o lado do piercing. "Foi a primeira vez em que coloquei na parte esquerda do nariz. Também foi a primeira vez em que saiu sangue durante o procedimento para colocar o piercing."
No início de julho, segundo Layane, surgiu uma bola vermelha na ponta do nariz, semelhante a uma espinha. "Eu achava que era apenas uma espinha, mas ela me causou febre. Como pensei que não fosse nada relevante, cuidei em casa mesmo, com pomadas. Em uma semana, ela sumiu."
A dermatologista Alessandra Romiti ressalta que as complicações decorrentes do piercing, comumente, acontecem apenas na área do corpo em que o objeto é colocado. "Há casos como inflamações ou infecções locais. Por isso, é fundamental que o estabelecimento obedeça às normas de higiene adequadas. O material utilizado tem que estar esterilizado, o piercing tem que estar limpo e a pele precisa ser muito bem higienizada", diz.
"Depois, o paciente precisa manter o lugar limpo para evitar o risco de haver qualquer tipo de contaminação", acrescenta. Segundo a médica, complicações graves são consideradas extremamente raras.
Na sexta-feira que antecedeu o início do estágio da estudante, ela foi a uma festa com as amigas, em Brasília, onde mora. "Dançamos muito. Foi uma noite muito legal", relata. No dia seguinte, a jovem acordou com intensa dor nas costas. "Não dei muita atenção, porque achei que fosse uma dor muscular normal, por conta da noite anterior."
"Tomei um remédio, mas a dor não passou. Continuou intensa. No dia seguinte, um domingo, as dores continuaram e estavam ainda mais fortes. A minha mãe me levou a uma farmácia, onde tomei um coquetel de injeções e a dor sumiu. Fiquei aliviada", narra.
Na segunda-feira, ela iniciou o estágio. "Fui muito animada, mas no período da noite as dores voltaram. Tomei medicamentos e elas diminuíram. Na terça, a situação foi igual. Na quarta, as dores ficaram ainda mais fortes", diz. As dores eram nas costas e no pescoço.
Como as dores não cessavam, a jovem foi ao médico. "Fizeram um raio-X, que não apontou nada. O médico me disse que não havia nada nas minhas costas. Mas mesmo assim, aquelas dores não passavam de jeito nenhum."
A estudante conta que na quinta-feira foi a um posto de saúde, após o estágio, e foi avaliada por uma médica. "Ela me atendeu e disse que os músculos das minhas costas estavam inchados. Ela fez uma massagem em mim, me passou uma injeção e voltei pra casa. Consegui dormir."
Na manhã seguinte, a jovem passou a sentir que as pernas estavam enfraquecidas. "Tive que tomar banho com a ajuda da minha mãe", diz. Naquele dia, ela foi com a mãe em uma igreja. "Quando voltei, a dor estava insuportável. Deitei e dormi. Quando acordei, naquela tarde, não senti mais as minhas pernas."
A paraplegia
Ainda naquela sexta-feira, Layane foi carregada às pressas ao hospital. "O médico pediu exames de sangue e de urina. Eu já não conseguia fazer minhas necessidades e tive de colocar uma sonda. Quando saiu o resultado do exame, apontou que eu estava com uma infecção no sangue."
"O médico começou a furar a minha perna e eu, realmente, não estava sentindo nada. Como era um caso grave, fui transferida para o Instituto Hospital de Base, aqui em Brasília", relata.
Ela narra que as dores se intensificaram. "Os médicos não conseguiam ter um diagnóstico exato. Suspeitaram de câncer ou síndrome de Guillain-Barré", diz.
Na madrugada daquele domingo, 22 de julho, ela se recorda que as dores ficaram insuportáveis. "Eu estava deitada em uma maca, sem me mexer, cheia de furos, tomando soro e várias medicações. Minha mãe estava sentada em uma cadeira ao lado. Eu pedi pra ela: 'desculpa, mas aplica alguma coisa, porque eu preciso morrer. Não aguento mais'. E a minha mãe respondeu que não aplicaria nada, porque eu iria aguentar aquilo tudo", relembra.
"Para aliviar as dores, começaram a me dar morfina por um período. Isso me alucinava muito e um médico pediu para suspender", conta.
Layane passou por uma ressonância magnética, que apontou que havia 500 mililitros de pus comprimindo três vértebras da medula espinhal dela. Ela teve de passar por uma cirurgia de urgência, para a retirada do líquido.
Responsável pela cirurgia da jovem, o neurocirurgião Oswaldo Ribeiro Marquez explica que, apesar de raro, é possível que um piercing deixe uma pessoa paraplégica. "Essa situação pode acontecer quando há alguma complicação em decorrência do piercing", pontua o profissional, que afirma nunca ter visto situação parecida desde que iniciou a carreira na medicina, há cerca de 15 anos.
Segundo o médico, as complicações com o piercing ocorrem quando o objeto abre caminho para infecções. "A disseminação de qualquer infecção cutânea costuma ser hematogênica - quando é transmitida pela corrente sanguínea. Por exemplo, se a bactéria está na ponta do nariz, ela pode evoluir, pegar o nariz inteiro, cair na corrente sanguínea e parar em outro canto do corpo", esclarece.
"A paciente fez um procedimento cutâneo, que gerou uma infecção, que pode ter feito a disseminação da bactéria para a corrente sanguínea. Como ela não tinha infecção na coluna anteriormente, é muito provável que tenha sido causada por uma bactéria que estava em seu sangue", acrescenta.
Marquez avalia que é "bem provável e plausível" que Layane tenha ficado paraplégica em decorrência do piercing. Porém, ressalta que somente estudos genéticos podem garantir que a paraplegia da jovem foi motivada unicamente por complicações oriundas da inserção do objeto no nariz.
'Espero que ele se preocupe mais com os clientes'
A cirurgia de Layane teve o objetivo de retirar o pus que comprimia a medula da jovem. "Esse procedimento evitou a progressão da paraplegia, que poderia subir. O pus poderia causar uma infecção que poderia até levar à morte. Com a retirada do líquido, a medula dela foi descomprimida e evitou que o quadro da paciente piorasse", explica Marquez.
"O procedimento foi um sucesso. Voltei para a Unidade de Tratamento Intensivo de recuperação e estava tudo tranquilo. Já não sentia mais aquela dor insuportável", comenta Layane.
A estudante conta que somente depois do procedimento cirúrgico descobriu sobre a causa dos problemas de saúde que a afetaram. "O médico que me acompanhou desde o início me explicou sobre a bactéria e como o piercing pode ter me afetado. Isso tudo foi desenvolvido por uma perfuração errada. Por isso sangrou quando coloquei o piercing. Outro fator que complicou foi a má higienização do objeto", diz.
A estudante não planeja tomar nenhuma medida contra o profissional responsável por colocar o piercing. "Eu optei por não falar sobre ele, porque isso não me fará voltar a andar. Espero que a minha situação faça com que ele se preocupe mais com a saúde dos clientes a partir de agora", declara a jovem, que revela que já havia colocado um piercing com o mesmo profissional anteriormente. "No de antes, não tive nenhum problema."
A vida na cadeira de rodas
Por dois meses, Layane permaneceu internada para se recuperar. No hospital, soube que é incerta a possibilidade de voltar a andar. "Dois dias depois da cirurgia, o médico me disse que eu continuaria sem sentir as minhas pernas", relata. Hoje, ela faz acompanhamento com uma psicóloga e sessões de fisioterapia.
A descoberta de que permaneceria na cadeira de rodas foi um dos momentos mais difíceis para a jovem. "Eu fiquei arrasada. A princípio, foi uma situação muito triste", conta.
Para Marquez, há possibilidade de Layane retomar os movimentos das pernas. Porém, segundo o neurocirurgião, ainda é prematuro fazer uma avaliação. "A medicina tem avançado nesse aspecto e há estudos que apontam sobre essa possibilidade. Por isso, não podemos negar que ela retomará os movimentos das pernas, assim como não podemos garantir isso", pondera.
Apesar do choque inicial, Layane aprendeu a lidar com a atual fase da vida. "Conheci outros jovens cadeirantes e vi que posso ser feliz assim. Hoje faço exercícios e até jogo basquete e handebol", conta.
Em setembro, ela voltou para casa, onde vive com a mãe e a avó. "Minha vida se tornou completamente diferente. Mas fiquei feliz, porque já não estava no hospital. Consegui ver todos os amigos que não puderam ir ao hospital. Recebi muitas visitas e isso me fez muito bem."
Um dos momentos mais importantes para a jovem, na nova fase da vida, foi o aniversário, em novembro. "Comecei a organizar a festa, mas dois dias antes, quase desisti, porque pensei que não me sentiria bonita para a comemoração", relembra.
"Essa festa foi muito importante para mim. Depois de quase desistir dela, decidi comemorar, apesar de tudo. Na data, consegui me sentir linda pela primeira vez, depois de tudo o que aconteceu. Recuperei a minha autoestima. Foi um dia muito feliz."
No fim de janeiro, Layane relatou a sua história em seu perfil no Instagram. "Foi a primeira vez em que contei abertamente que um piercing me deixou paraplégica", diz. Ela publicou as fotos que tirou desde a data em que colocou o objeto.
"Eu registrei tudo, porque minha mãe enviava aquelas imagens para a minha avó", explica. A publicação da jovem viralizou e ela conseguiu mais de 20 mil seguidores em poucos dias. "Muitas pessoas ficaram assustadas com a minha história e vieram me procurar para prestar solidariedade."
Ela ressalta que não quer que sua história desestimule as pessoas que queiram colocar um piercing. "O que quero é que tenham mais cuidado. As pessoas precisam conhecer muito bem o local onde vão fazer. Além disso, os profissionais precisam ser extremamente cuidadosos e ter muito cuidado na higienização dos itens", diz.

Por BBC
<

Deise Cipriano, do Fat Family, morre aos 39 anos em São Paulo


Deise Cipriano, vocalista do Fat Family, faleceu na tarde desta terça-feira (12) na cidade de São Paulo.
“Infelizmente informamos nesta terça-feira, dia 12/02, com muita dor o falecimento da Deise, integrante do Grupo Fat Family. As informações sobre o velório e sepultamento serão divulgadas“, diz a nota oficial liberada pela assessoria da artista.
A cantora travava uma batalha contra um câncer no figado desde agosto do ano passado, quando foi internada. Ela passou por dois períodos na UTI e estava em casa desde o inicio deste ano fazendo exames rotineiros e retornos médicos. Deise realizou sessão de quimioterapia no último dia 31 de janeiro.
Em julho de 2018, a cantora esteve entre os 100 jurados do programa Canta Comigo, da Record TV.
Deise foi sedada e entubada na manhã desta terça, após sentir falta de ar e ter uma queda de pressão. Os detalhes do velório e sepultamento ainda não foram divulgados pelos familiares.
A cantora deixa a filha Talita Cipriano, também cantora e finalista da última temporada do The Voice Brasil. Talita chegou a raspar os cabelos durante o tratamento da mãe.
<

Menina de 9 anos é achada morta na zona rural de Campo Grande-AL


Maria Iolanda saiu de casa pela manhã e o corpo foi encontrado à noite com ferimentos na cabeça.
Menina de 9 anos foi encontrada morta com ferimentos na cabeça. Foto: Acervo pessoal
Uma menina de nove anos foi encontrada morta na zona rural de Campo Grande, Agreste de Alagoas, na noite deste domingo (10). Maria Iolanda Ribeiro Silva saiu de casa pela manhã e foi vista caminhando em direção a um terreno da família. Ao perceber sua falta, os familiares iniciaram as buscas e só encontraram o corpo da criança durante a noite.
De acordo com as informações da polícia, a menina estava com o corpo coberto de sangue a apresentava ferimentos na cabeça. Policiais civis e militares foram acionados para registrar o caso. O delegado de Campo Grande, Igor Diego, informou que ainda não tem suspeitos do assassinato.
Peritos do Instituto de Criminalística (IC) e agentes do Instituto Médico Legal (IML) foram acionados para realizar a perícia no local do crime e recolher o corpo da menina.
A partir desta terça-feira (12) a polícia deve começar a ouvir os familiares sobre o caso.

OP9
<

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Jornalista Ricardo Boechat cai de helicóptero e morre


SÃO PAULO - O jornalista Ricardo Boechat morreu na queda de um helicóptero no Rodoanel no início da tarde desta segunda-feira, 11. A aeronave caiu no quilômetro 7 do Rodoanel, próximo ao acesso à  rodovia Anhanguera, próximo a chegada a São Paulo, em cima de um caminhão. 
Boechat era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM, além de ser colunista da revista IstoÉ. Ele é ganhador de três prêmios Esso. O piloto e o copiloto da aeronave morreram.
e o motorista do caminhão foi socorrido.
A confirmação da morte do jornalista veio da direção de jornalismo da Band ao Estado. 
Segundo o Corpo de Bombeiros, a aeronave caiu em cima de um caminhão que trafegava pela via, no sentido interior, próximo à praça do pedágio. 
Os bombeiros informaram que 11 viaturas foram deslocadas para o local para o resgate.
Ainda de acordo com os bombeiros, a aeronave que caiu era do modelo BELL PT HPG.
Foram feitas interdições parciais na pista do Rodoanel, sentido Perus, e na Anhanguera, sentido Jundiaí. A concessionária CCR Rodoanel informou que os motoristas podem acessar a Anhanguera, no sentido São Paulo, e pegar um retorno no KM 18 para seguir para o interior.
Repercussão
Visivelmente emocionado, o apresentador José Luís Datena noticiou ao vivo na Band a morte do colega de trabalho. “Pensei que jamais fosse dar essa informação. É uma pena ter que informar isso. Ele era hoje uma das grandes referências da história do jornalismo brasileiro, pela sua forma de combater a corrupção e pela sua forma de combater as injustiças. É é uma dor tão profunda que é difícil de explicar em palavra. Já falei de muitas perdas, mas esse é um dos piores momentos da minha vida e da minha carreira”, falou Datena.
“É como se nós perdêssemos um ente querido. Ele não era só um jornalista vigoroso como vocês costumavam ver, ele era um cara que saía com os meninos que ficam atrás das câmeras para jogar pelada, fazer um churrasco. Ele tinha o dom do amor”, disse, entre lágrimas, apresentador, acrescentando que o colega era “um verdadeiro de plantão, nas 24 horas do dia”.
Os corpos de duas vítimas estavam estre os destroços do helicóptero, que explodiu após o choque. Os bombeiros informaram que 11 viaturas foram deslocadas para o local para atender à ocorrência. De acordo com a Band, emissora para a qual o jornalista trabalhava, a aeronave voava com destino ao heliponto da empresa, em São Paulo.
Jornalistas manifestam pesar nas redes sociais
Nas redes sociais, diversos jornalistas lamentaram a morte do colega. “Meu querido amigo Ricardo Boechat. Não posso acreditar. Eu lhe devo tantos favores, tantas palavras generosas em momentos difíceis. Você foi pessoa linda, jornalista maravilhoso. Ai Boechat, tão cedo, tão cedo amigo”, escreveu Míriam Leitão, da Globo, no Twitter.
“Não estou querendo acreditar… Acabo de saber que meu querido, amado colega Ricardo Boechat, com que convivi durante tantos anos, a quem admiro e respeito imensamente estava no helicóptero que caiu em SP. Meu Deus… Dá pra encerrar esse terrível 2019”, falou Leilane Neubarth, da Globonews.
“Conheci Boechat quando ele trabalhou no Bom Dia Brasil, no fim da década de 90. Eu participava de São Paulo e ele interagia com o Renato Machado, no RJ. Cheguei a apresentar o jornal com ele no estúdio. Sempre admirei seu trabalho. Sentiremos sua falta”, disse Chico Pinheiro, também da Globo.
“Tristeza em cima de tristeza. trabalhei anos com Boechat na Band, mas passei a me sentir amigo dele depois, como ouvinte. primeira reação da minha mulher foi pensar na Veruska, na Catarina e outros filhos. realmente muito triste”, comentou Tiago Maranhão, do Sportv.
“Boechat era uma referência do jornalismo: como colunista, como âncora. Com tudo o que era, conseguia ser generoso com quem tinha menos experiência. No encontro que tivemos, me brindou com essa generosidade que nem sei se merecia”, disse Vera Magalhães, do Estado de S.Paulo.
“Ouvir Boechat no rádio todas as manhãs é um hábito que o Rio nos dá. No táxi, no ônibus, no uber, na padaria… ouvido por todos, em todo canto. Concorde-se ou não com as opiniões, um jornalista necessário. Daí, a dimensão da perda e da falta que fará”, postou André Gallindo, da Globo.

Com Estadão
<

domingo, 10 de fevereiro de 2019

Homem é assassinado após discussão por conta de uma coleira


A vítima havia encomendado junto com o suspeito duas coleiras artesanais para contenção de cachorros, mas apenas uma foi feita. Este teria sido o motivo inicial da discussão
A vítima chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos. Foto: Reprodução/Facebook
Um homem foi assassinado com golpes de faca na noite de sábado (9) em uma oficina localizada no bairro do José Pinheiro, em Campina Grande na Paraíba ,por conta de uma coleira de cachorros. Em entrevista, a delegada responsável pela investigação do caso, Nercília Dantas, relatou que o crime ocorreu após uma discussão entre a vítima e o suspeito.
“Ambos tinham um hobby de criar cachorros e resolveram encomendar juntos uma coleira de contenção feita artesanalmente. Chegaram a comprar o material e pediram para o artesão confeccionar, mas o material não foi suficiente e apenas uma coleira foi feita. Por esse motivo, uma discussão foi iniciada entre os dois. Eles chegaram a trocar ofensas e a vítima foi embora, contudo, quando estava saindo, o suspeito fez uma provocação e ela retornou. Em seguida, o criminoso pegou uma faca que estava na oficina, esfaqueou a vítima e fugiu”, relatou.
O homem identificado como Jefferson do Nascimento Almeida, de 27 anos, foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado para uma Unidade de Pronto-Atendimento no bairro do Alto Branco, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A polícia já conseguiu identificar o autor do crime, no entanto, após a fuga, ele ainda não foi localizado.

OP9
<

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Incêndio em CT do Flamengo deixa 10 mortos e três feridos


Dez pessoas morreram. Fogo atingiu alojamento das categorias de base do time no Ninho do Urubu, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio. Os mortos ainda não foram identificados. Três adolescentes saíram feridos.
Parte das instalações do CT do Flamengo devastadas pelas chamas — Foto: Arquivo pessoal
Um incêndio atingiu o Ninho do Urubu, centro de treinamento do Flamengo, na manhã desta sexta-feira (08) no Rio de Janeiro. O incêndio já foi controlado, mas segundo o Corpo de Bombeiros da cidade há 10 mortos e três feridos - um deles em estado grave.
O incêndio atingiu a ala mais velha do CT, que servia de alojamento para as categorias de base e recebia jogadores de 14 a 17 anos de idade. As vítimas estavam dormindo no momento do incêndio, o que teria contribuído para a tragédia. Os bombeiros foram acionados às 5h17 e os feridos foram levados para o hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. 
Segundo os bombeiros, os feridos foram identificados como Cauã Emanuel Gomes Nunes, de 14 anos, Francisco Diogo Bento Alves, 15, e Jonathan Cruz Ventura, 15. 
Ainda não foram divulgados os nomes das vítimas fatais. Apenas foi revelado que se trata de quatro jogadores da base, quatro funcionários do clube e dois atletas que faziam teste no Flamengo.
"A gente tem o local, que é o alojamento, onde os jogadores da base do Flamengo dormiam. A identificação das vítimas é feita posteriormente pela Polícia Civil", disse o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Douglas Henaut à TV Globo. 
"O que causou o incêndio só posteriormente pela perícia. Mas a identificação destes óbitos a perícia vai averiguar. Eram jovens, segundo informações do Flamengo", afirmou Henaut ao Sportv.
O Ninho do Urubu fica localizado no bairro de Vargem Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, e é utilizado para treinamentos do elenco profissional e das categorias de base.

UOL

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Cabeleireiro que estava desaparecido é encontrado degolado e sem os dentes em Rio Branco-AC


Tiago Costa estava desaparecido desde o domingo (3), quando saiu de uma festa no Polo Benfica. Vítima teve um dos braços cortados e dentes arrancados, segundo a família.
Tiago Costa está desaparecido desde o domingo (3), quando saiu para festa — Foto: Arquivo pessoal
O corpo do cabeleireiro Tiago de Araújo Costa, de 21 anos, foi encontrado em estado de decomposição no final da tarde desta quarta-feira (6). Costa estava desaparecido desde o domingo (3), quando saiu de uma festa em um bar do Polo Benfica, em Rio Branco.
A família confirmou que o corpo é do rapaz. O cadáver foi achado por um morador, na mesma região que o jovem desapareceu. Ainda segundo os parentes, Costa foi levado por três homens quando retornava da festa para casa.
“Ele está todo cortado, cortaram um dos braços, o pescoço e arrancaram os dentes dele. Já está identificado, estamos no IML [Instituto Médico Legal] esperando a liberação”, confirmou um parente que não quis se identificar.
Os parentes chegaram a receber informações sobre um corpo achado na terça (5), mas a denúncia era falsa. O cadáver de Costa estava dentro de um matagal e foi encontrado quando um morador andava no local.
“Coração só pede justiça. Não sei como vai ser porque não tem como velar, só se for em caixão fechado”, lamentou.
Convite de facção
Nesta terça, o familiar falou que Costa foi convidado por uma mulher a entrar em uma organização criminosa, mas o pedido não foi aceito.
“Dois dias antes uma mulher chamou ele para entrar no CV, mas ele não quis. Acho que foi isso, porque não tinha amizades nem inimigos”, lamentou.

G1
<

Policiais militares salvam bebê desmaiado após engasgo em Fortaleza


Policiais realizaram os primeiros socorros dentro do veículo e conseguiram reanimar o bebê
Policiais realizaram os primeiros socorros dentro do veículo e salvaram o bebê — Foto: Sistema Verdes Mares/Reprodução
Um bebê de cinco meses foi salvo por policiais militares após desmaiar na noite desta quarta-feira (6) no Bairro Jardim Iracema, em Fortaleza.
De acordo com a Polícia Militar, a criança desmaiou após sofrer um engasgo. Uma equipe realizavam um patrulhamento de rotina pelo bairro e foi acionada por moradores.
A mãe da criança pediu ajuda aos policiais, que socorreram o bebê para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Bairro Vila Velha. Durante o caminho, os agentes de segurança fizeram os primeiros socorros e conseguiram reanimar o bebê.
Segundo a unidade hospitalar, o bebê deu entrada na unidade já consciente. Após atendimento médico, ele foi liberado.
<

Suspeito fez mulher recitar salmo e cantar enquanto a estuprava por quatro horas em Poá-SP


De acordo com o delegado do caso, o suspeito justificou o crime dizendo que estava sozinho há dez anos e "queria ser feliz".
Suspeito de estuprar vítima em Poá pediu para ela recitar salmo e cantar durante estupro. — Foto: Reprodução/TV Diário
Um ajudante geral de 35 anos foi preso em Poá nesta quarta-feira (6) sob suspeita de estuprar uma jovem de 19 anos enquanto a obrigava a recitar salmos e cantar, sob ameaça de uma faca, durante quatro horas. Segundo a polícia, o suspeito disse que estava solteiro há 10 anos e "queria ser feliz".
Na delegacia, segundo a polícia, Adriano Lima de Aquino confessou o crime. "Eu peguei ela e levei para o mato. Pratiquei o ato". O depoimento foi gravado pela polícia.A justiça decretou a prisão temporária dele no fim da tarde desta quarta-feira.
O crime ocorreu na quinta-feira (31). Imagens registradas por câmeras de monitoramento mostram a estudante caminhando por uma estrada. Na sequência, o suspeito aparece com uma mochila nas costas. Segundo a investigação da polícia, a vítima foi abordada logo à frente.
"Com as imagens e outros elementos de investigação, nós chegamos a um nome. Entramos em contato com policiais de outro estado e conseguimos uma foto dele. A vítima reconheceu este indivíduo de imediato. Nós pedimos a prisão dele, ele foi preso e confessou o crime", conta o delegado Eliardo Amoroso Jordão, do DP de Poá.
Ainda segundo Jordão, o homem teria obrigado a vítima a recitar salmos e cantar enquanto ele praticava estupro. "Perguntado o motivo, ele disse que já estava há dez anos sozinho e queria ser feliz. Ele roubou o celular dela e praticou o estupro", conta o delegado.
Já na cadeia, o ajudante foi novamente reconhecido pela vítima que, segundo a polícia, entrou em choque ao rever o ajudante.
A polícia apurou que Adriano Lima Aquino veio da Bahia há cinco anos e morava em Ferraz de Vasconcelos. A polícia acredita que ele tenha feito outras vítimas tanto no Alto Tietê quanto no nordeste. "Caso alguém o reconheça, pode procurar a delegacia de Polícia de Poá", explicou o delegado.
O suspeito deverá responder por roubo, estupro e possivelmente por tortura, de acordo com o delegado.

G1
<

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Designer mata vizinho a socos em SP e alega que estava em 'round de MMA'


Crime ocorreu em Santos, litoral de São Paulo; agressor teria tido 'surto' e discussão ocorreu após ele danificar a moto da vítima.
Christian Fernando Silva, 43, foi morto após ser agredido pelo vizinho, em Santos, SP — Foto: Reprodução/Facebook
Um homem de 43 anos morreu após ser agredido pelo próprio vizinho, de 39, em Santos, no litoral de São Paulo. Christian Fernando da Silva teria ido conversar com Carlos Vinicius Gomes após ele ter danificado sua moto, quando foi surpreendido com socos e pontapés. O agressor foi preso horas após o ocorrido. As informações foram divulgadas pela polícia na manhã desta terça-feira (5).
Trabalhador portuário, a vítima teria ido falar com o agressor, no início da noite de segunda-feira (4), nas dependências do prédio em que morava, na Rua Cidade de Santos, na Ponta da Praia, após saber que ele teria danificado sua moto.
Segundo testemunhas, após uma breve conversa, Carlos, que atua como designer de pranchas, derrubou Christian no chão e o agrediu com socos e pontapés. Os relatos dados à polícia dão conta de que o agressor teria batido com a cabeça da vítima contra o chão por, pelo menos, dez vezes. Posteriormente, o suspeito alegou para a polícia que se sentiu em um 'round de MMA'.
Após o crime, o agressor fugiu pela rua. Vizinhos que ouviram gritos e presenciaram a cena acionaram equipes da Polícia Militar e o resgate do Corpo de Bombeiros. Christian chegou a ser socorrido para o setor de emergência da Santa Casa de Santos, mas não resistiu.
De acordo com o investigador do 3º Distrito Policial de Santos, Adriano Mattos, no endereço da vítima, as equipes da polícia tomaram posse de imagens da região do crime e informações sobre a as características do suspeito.
"A partir daí a Polícia Militar fez buscas e o detiveram em um trecho da Avenida Epitácio Pessoa, no Embaré", informou. Ele foi encaminhado para a delegacia, onde o pai do agressor já havia prestado depoimento.
"Ele relatou que o filho tinha problemas mentais que nunca foram diagnosticados, e que isso piorou após uma viagem à Europa", disse Mattos. Em depoimento, Carlos alegou ainda que havia furado a moto de Christian e que teve um 'round de MMA' com a vítima.
"Ele disse frases desconexas, chegou a dizer que era perseguido por uma seita satânica. Foi possível notar sinais claros de desequilíbrio naquilo que ele falava", disse o investigador. Carlos acabou preso na unidade, onde a ocorrência foi registrada como sendo homicídio qualificado por motivo fútil. Ele foi recolhido à carceragem da unidade, onde permaneceu à disposição da Justiça.
Moto danificada teria sido o motivo da discussão que terminou com homem morto, em Santos, SP — Foto: G1 Santos

G1
<

Paraibana de 17 anos vence o câncer e é aprovada em medicina na UFRN


Maria Fernanda foi diagnosticada com a doença aos três anos de idade e, em 2016, após passar pela última cirurgia, perdeu o movimento das pernas.
Na cidade de Barra de Santa Rosa, no Curimataú paraibano, uma história de superação e exemplo de vida vem sendo contada e recontada com orgulho desde a divulgação do resultado do Sisu deste ano. Como protagonista do enredo que ganhou fama está Maria Fernanda Almeida, de 17 anos, que acaba de conseguir mais um grande feito para coroar sua coleção de vitórias.
Recém-aprovada em medicina na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) no campus Caicó, curso com a maior nota de corte do país, a caloura comemora a entrada na universidade de um jeito pra lá de especial: não bastasse conquistar a única vaga da graduação reservada para candidatos com deficiência, ela estreia na vida acadêmica curada de um câncer contra o qual vem lutando há 14 anos.
Maria Fernanda foi diagnostica aos três anos de idade com um tumor na região da coluna. Em 2016, ela precisou ser submetida a uma cirurgia delicada que provocou a perda dos o movimento das pernas. Mas as limitações e o complexo tratamento, com sessões frequentes de quimioterapia e de radioterapia, não foram empecilho para a determinação da estudante. O histórico escolar é a maior prova da obstinação da estudante, que nunca perdeu um ano escolar e, mesmo em meio a uma rotina de consultas, hospitalizações e terapias debilitantes, sempre se dedicou para não perder a motivação nos estudos. 
O resultado não podia ter sido mais compensador. Além de aprovada na única vaga da cota à qual concorria, Maria Fernanda conquistou 920 pontos na redação, uma das maiores notas da Paraíba. “Fiquei muito feliz e até sem acreditar muito. Na modalidade que eu estava disputando só era uma vaga, e eu consegui”, anima-se. E o apoio da família, tão fundamental para que a adolescente realizasse o sonho de virar médica, segue agora para a nova realidade da estudante: a mudança para Caicó será acompanhada pelo parentes.
Maria Fernanda sempre estudou em escolas públicas e, no último ano de preparação, recorreu a aulas gratuitas na internet e a correções online das redações para reforçar o aprendizado. Mas, para ela, o mais importante de tudo foi acreditar no próprio sonho e na capacidade de conquistá-lo, mesmo cercada de adversidades. “Todo mundo tem problema e se você pensar só nas dificuldades, não vai conseguir fazer nada. Se você se esforçar, for atrás das coisas que você quer, com certeza você vai conseguir tudo o que almeja na vida”, finalizou.

OP9
<

domingo, 3 de fevereiro de 2019

Morre Sabrina Bittencourt, que liderou denúncias contra João de Deus


Ativista criou o movimento Combate ao Abuso no Meio Espiritual e morreu por volta das 21 horas do sábado.
Ativista Sabrina Bittencourt. Foto: Facebook/Reprodução
A ativista Sabrina Bittencourt, que coletou denúncias contra o médium João de Deus e criou o movimento Combate ao Abuso no Meio Espiritual (Coame), morreu por volta das 21 horas do sábado, 2, em Barcelona, na Espanha. Ativistas dizem que causa da morte foi suicídio.
A morte foi confirmada pelo filho Gabriel Baum e por Maria do Carmo Santos, presidente do grupo Vítimas Unidas, criado por mulheres abusadas pelo ex-médico Roger Abdelmassih, com quem Sabrina lutava para coletar provas e reunir vítimas para denunciar crimes sexuais.
No início da tarde deste sábado, o Estado falou por WhatsApp com a ativista, que disse, enquanto dava detalhes sobre as denúncias em curso: “Estou tratando um linfoma e não vejo meus filhos para poder ajudar todo mundo”. Na conversa, ela disse ainda que estaria sendo perseguida.
Em nota, assinada pela presidente Maria do Carmo, o grupo Vítimas Unidas disse: “A ativista cometeu suicídio e deixou uma carta de despedida relatando os porquês de tirar sua própria vida. Pedimos a todos que não tentem entrar em contato com nenhum integrante da família, preservando-os de perguntas que sejam dolorosas neste momento tão difícil. Dois dos três filhos de Sabrina ainda não sabem do ocorrido e o pai, Rafael Velasco, está tentando protegê-los. Ainda não temos informações sobre o local do velório, nem mesmo onde ela será enterrada”.
“A luta de Sabrina jamais será esquecida e continuaremos, com a mesma garra, defendendo as minorias, principalmente as mulheres que são vítimas diárias do machismo”, informou o movimento.
O filho Gabriel Baum confirmou a morte da mãe em uma rede social “Ela não queria ser morta pelas quadrilhas nem pelo câncer. Minha mãe lutou até o final. Ela não desistiu. Ela só se libertou do inferno que estava vivendo”, disse.
Denúncias
Sabrina esteve envolvida na coleta de denúncias de vítimas de João Teixeira de Faria, acusado de abusos sexuais e preso desde de dezembro. Na manhã deste sábado, Sabrina chegou a se manifestar sobre a prisão do filho do médium, Sandro Teixeira de Faria. A Justiça recebeu denúncia do Ministério Público de Goiás (MP-GO) contra ele por coação no curso do processo e corrupção ativa e determinou sua prisão.
“Confirmo que Sandro Teixeira tem ameaçado nossas testemunhas, coagido, entrado na casa das pessoas, proíbe que falem comigo, Maria do Carmos Santos e Vana Lopes, do Grupo Vítimas Unidas. Estamos protegendo várias destas vítimas e testemunhas”, disse ela.
Durante a repercussão do caso João de Deus, Sabrina disse ter recebido ao menos 185 denúncias contra 13 líderes espirituais brasileiros desde setembro. Sabrina começou a reunir os relatos após mulheres relatarem supostos abusos cometidos pelo guru Sri Prem Baba.
Em contato com supostas vítimas do guru, Sabrina teria percebido que as mulheres estariam sofrendo ameaças, o que a motivou a criar um movimento organizado de denúncias. Em um mês, foram 103 relatos.

OP9
<

sábado, 2 de fevereiro de 2019

Bolsonaro chora no hospital ao ouvir “Evidências”. Veja o vídeo


Dupla de músicos foi até o quarto onde o presidente está internado para prestar uma homenagem musical.
A emoção tomou conta do quarto onde Jair Bolsonaro está internado. O presidente da República divulgou nesta sexta-feira (1º) um vídeo com a visita de uma dupla de músicos em seu leito no Hospital Albert Einstein. Na gravação, a dupla toca o grande sucesso “Evidências”, eternizado nas vozes de Chitãozinho & Xororó. E o presidente não resiste à emoção e chora.
“Queria que esse momento fosse eternizado em minha vida”, diz o presidente. A cantora, identificada como Marcia, pergunta “que estilo de música o senhor gosta?”. “Gosto de música caipira”, responde Bolsonaro, e continua “sertanejo, Tonico & Tinoco…”. Logo depois, a dupla sugere tocar “Evidências”, e pede para o presidente cantar junto.
Bolsonaro não canta, mas não consegue conter as lágrimas, que caem do seu rosto enquanto a câmera aproxima em zoom, mostrando mais de perto a reação. Na legenda do post no Instagram, o presidente agradece a visita. “Uma simples, mas grande homenagem. Parabéns Marcia e Marco pelo talento e por proporcionar este momento tão especial em minha vida!”. Bolsonaro se recupera de uma cirurgia para a retirada da bolsa de colostomia.
Veja o momento:

OP9
<