NOME NOME

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Chacina em bar deixa onze pessoas mortas em Belém do Pará


Um vídeo feito por moradores logo após o massacre mostra a situação de horror do local, onde as pessoas foram pegas de surpresa
foto: Reprodução/Internet
Onze pessoas morreram e uma ficou ferida em uma chacina no bairro Guamá, em Belém, na tarde deste domingo (19/5), por volta das 16h. Segundo a Polícia Militar, o crime foi cometido por sete homens que disparam na direção do bar próximo à Passagem Napoleão Laureano e fugiram. Os bandidos, segundo os relatos, estavam em uma moto e três carros. Entre as vítimas estão seis mulheres e cinco homens. Uma pessoa sobreviveu ao massacre e está sob proteção da polícia. As identidades das vítimas não foram reveladas. A Divisão de Homicídios da Polícia Civil fez buscas e investiga o crime. Até o início da noite, ninguém havia sido preso.
Um vídeo feito por moradores logo após o massacre mostra a situação de horror do local, onde as pessoas foram pegas de surpresa. Entre as vítimas, uma das mulheres foi encontrada deitada em cima do balcão do bar. Com aproximadamente 100 mil habitantes, o Guamá é um bairro pobre e o mais populoso de Belém. Segundo moradores, relatos de violência fazem parte da rotina de quem vive ali. Dados da Polícia Civil, relativos a 2018, informam que a maioria das vítimas assinadas, naquele bairro tinha algum tipo de relação com tráfico de drogas, grupo de extermínio e até milícias. A maioria das pessoas que perdem a vida está na faixa etária de 20 a 40 anos e, 10% das vítimas são mulheres.
As estatísticas são dramáticas. No primeiro trimestre de 2018, a cada quatro dias uma pessoa foi assassinada. Em 28 de abril último, um homem sequer teve tempo de correr: foi morto na passagem Santa Rosa, esquina com a Santa Fé. O cidadão foi baleado na cabeça e morreu sentado em uma cadeira. Há também relatos de assaltos constantes e feminicídios, no bairro que está situado o campus da Universidade Federal do Pará (UFPA). Em todas as pesquisas, sem se identificar, narram que têm medo de contar o que acontece ali, porque alguns que deram informações à polícia apareceram mortos no dia seguinte.

Correio Braziliense


Marido tenta bater na mulher e atira em enteados de 13 e 16 anos que tentavam defendê-la em MT


Menino mais novo foi baleado na perna e o mais velho foi atingido no tórax. Marido fugiu e é procurado pelos policiais em Várzea Grande.
Adimas de Lana, de 48 anos, é procurado pela polícia após atirar nos dois enteados dele em Várzea Grande — Foto: Comando da Polícia Militar de Várzea Grande/Divulgação
Dois adolescentes, de 13 e 16 anos, foram baleados pelo padrasto deles ao tentarem defender a mãe deles de ser agredida pelo marido em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. Segundo a Polícia Militar, a situação ocorreu na noite de sábado (18) no Bairro São Simão.
O Comando da Polícia Militar divulgou o nome e a foto do suspeito: Adimas de Lana, de 48 anos. Ele é procurado pelos policiais e não foi localizado até esta segunda-feira (20).
De acordo com a PM, Adimas tentou bater na mulher dele, de 35 anos, mãe dos meninos, e os adolescentes a defenderam. O desentendimento entre o casal ocorreu em um bar nesse bairro.
Durante a discussão Adimas fez disparos e atingiu os dois enteados dele. Depois disso ele fugiu em um carro e não foi encontrado.
Alguns moradores viram Adimas arremessando a arma dele em um terreno baldio. A arma, um revólver calibre 38, foi encontrada pelos policiais.
A PM foi até a casa do marido, mas ele também não estava na casa.
Os adolescentes foram socorridos e levados ao Pronto-Socorro Municipal de Várzea Grande (PSMVG).
Os médicos disseram à PM que o menino mais novo foi baleado na perna. Já o mais velho foi atingido no tórax.
Apesar dos ferimentos, conforme os médicos, os adolescentes não correm risco de morrer.

G1


segunda-feira, 6 de maio de 2019

Mega-Sena tem o maior número de sorteios acumulados da história


Sem um vencedor há 47 dias, a premiação acumula R$ 170 milhões para a edição desta quarta-feira, segundo a Caixa Econômica Federal
Mega-Sena. Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Filas se acumularam por lotéricas de municípios de todo o país no sábado, mas ainda não foi dessa vez. Pelo 13º sorteio seguido, nenhum apostador acertou os seis dígitos do prêmio principal da Mega-Sena. Dessa forma, a loteria chegou ao maior número de sorteios acumulados da história. O último vencedor foi de Salvador em 20 de março, que ganhou R$ 50,6 milhões.
Sem um vencedor há 47 dias, a premiação acumula R$ 170 milhões para a edição desta quarta-feira. O valor é o mais alto do ano e o terceiro maior da história do sorteio regular (o que não inclui a Mega da Virada), de acordo com a Caixa Econômica Federal. Com a alta quantia, também tem crescido a arrecadação. Somente no último sorteio, ela foi de R$ 193,2 milhões (só abaixo da Mega da Virada, que foi de R$ 886 milhões no ano passado).
A aposta mínima, de seis números, custa R$ 3,50 e pode ser feita em lotéricas e no site oficial Loterias Online da Caixa. Nesse caso, a probabilidade de acertar as dezenas sorteadas é de uma a cada 50.063.860 casos, segundo a Caixa. As apostas para sete números custam a partir de R$ 24,50, enquanto o valor mínimo do bolão é de R$ 10, com cota de pelo menos R$ 4 para cada participante.
Caso seja sorteado, o vencedor poderá sacar o prêmio em agências da Caixa e em lotéricas (se o valor for de até R$ 1.332,78). Os prêmios prescrevem após 90 dias do sorteio e, nesse caso, são repassados para o Tesouro Nacional.

quarta-feira, 1 de maio de 2019

Aluno mata professor a tiros dentro de escola em Valparaíso (GO)


De acordo com a polícia, estudante de 17 anos discutiu com Júlio Cesar Barroso de Sousa e não gostou quando o professor que atuava como coordenador falou que ia transferi-lo. O menor, segundo o delegado, ainda atirou mais uma vez na vítima após cair.
O coordenador Júlio Cesar Barroso de Sousa foi morto a tiros por um aluno da escola estadual Céu Azul em Valparaíso de Goiás — Foto: Reprodução
Um tiro pelas costas, enquanto corria, e outra a curta distância. Foi desta forma que, segundo a polícia, o coordenador da Escola Estadual Céu Azul, em Valparaíso de Goiás, Júlio Cesar Barroso de Sousa, 41 anos, foi morto por um aluno uniformizado de 17 anos dentro do colégio na tarde desta terça-feira (30). De acordo com o delegado Rafael Abrão, a escola estava cheia no momento do crime e o menor ainda não foi localizado.
Nenhum advogado havia se apresentado na delegacia até o início desta noite, como responsável pela defesa do menor. As secretarias estaduais de Educação e Segurança Pública emitiram notas informando que acompanham o caso com equipes em Vaplaraíso de Goiás. (veja as notas na íntegra abaixo)
“Ele invadiu a sala dos professores, onde a vítima estava, teve uma breve discussão entre eles, foi quando o menor sacou o revólver. O professor ainda tentou correr, ele efetuou um dos disparos nas costas, a vítima caiu e, em seguida, ele (menor) foi a curta distância e efetuou mais um disparo”, informou o titular do Grupo de Investigação de Homicídios de Valparaíso.
Antes do crime à tarde, pela manhã, o aluno e o coordenador já tinham discutido, segundo o delegado.
“Este aluno chegou a ofender verbalmente a professora e o coordenador interviu na discussão e também começou uma discussão. Foi quando o coordenador disse que ia transferi-lo de escola. Nesse momento, o aluno virou para ele e disse: ‘o senhor pode até me transferir de escola, mas você vai pagar por isso. Mais tarde esse aluno retornou para escola, já aramado, ao que tudo indica com um revólver”, relatou Rafael Abrão.
Ainda segundo o delegado estava tendo aula normal quando o crime ocorreu, o que provocou uma correia. "A escola estava cheia. O pessoal chegou a cogitar até algum tipo de atentado, porque eles escutaram os estampidos de arma de fogo”, comentou.
O delegado já iniciou as buscas pelo menor, que tem, segundo ele, antecedente por ato infracional análogo a roubo. No entanto, não haveria registro de confusões na escola, antes desta discussão com a professora, que teria o repreendido por problemas disciplinares, ainda não divulgados.
“Segundo relatos, este aluno não era um aluno problemático. Era um aluno mais quieto, mais reservado e nunca se envolveu em nenhum tipo de confusão na escola”, afirmou o titular do GIH.
Sobre como o aluno entrou armado na escola, Abrão diz que o fato dele estar uniformizado foi o que facilitou.
“Nós acreditamos que ele teria livre acesso à escola, inclusive ele estava com o uniforme da escola, então por isso ele entrou. É um aluno que já estuda há bastante tempo na escola, então ele tinha livre acesso ao local”, relatou o delegado.
A família do aluno moraria a quatro quadras da escola, onde a polícia já fez buscas por ele. Até por volta das 20h30 desta terça ainda não havia informação sobre os horários e locais do velório e sepultamento.
De acordo com informações, Júlio César era casado e deixa dois filhos pequenos de 4 e 6 anos.

Nota da Seduc
"A Secretaria de Estado da Educação de Goiás (Seduc) lamenta a morte do professor Júlio Barroso, coordenador de turno do Colégio Estadual Céu Azul, de Valparaíso de Goiás. Com imenso pesar, informa que o professor Júlio foi baleado por L. R. L., de 17 anos, aluno da escola. O Serviço de Saúde (Samu) foi acionado, mas, infelizmente, o professor morreu ainda na unidade escolar. Também foram acionadas a Polícia Militar e a Policia Civil, a cargo de quem correm as investigações.
A Seduc acompanha o ocorrido e está com equipes no local para prestar o apoio à comunidade escolar neste momento de tristeza e perplexidade. Também, com o mesmo propósito, será deslocada à cidade de Valparaíso uma equipe multidisciplinar, composta por psicólogo, assistente social e integrantes da Superintendência de Segurança Escolar da Seduc. A Seduc reitera que tem feito todos os esforços no sentido de contribuir para a cultura da paz".
Nota da SSP-GO
"A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informa que todas as forças policiais já estão atuando para apreender o adolescente suspeito da morte do professor Júlio César Barroso de Sousa, em Valparaíso de Goiás. As investigações estão sob a responsabilidade da Polícia Civil.
G1-GO


Mãe confessa ter matado a filha de 1 ano em Santa Rita do Araguaia-GO


Inicialmente, padrasto da criança tinha admitido o crime, mas depois desmentiu e disse que suspeitava que mulher estivesse grávida e não queria que ela fosse presa. Mulher chegou a dar entrevista lamentando a morte.
Emanuelly foi morta após ser agredida pela mãe, em Santa Rita do Araguaia — Foto: Reprodução
A Polícia Civil concluiu o inquérito e indiciou Jaqueline Vieira, de 21 anos, pela morte da filha, Emanuelly de apenas 1 ano, em Santa Rita do Araguaia, região sudoeste de Goiás. Segundo a corporação, ela confessou o crime e responderá por homicídio qualificado, com aumento de pena por ter sido praticado contra descendente, porém, em liberdade. A jovem chegou a dar uma entrevista na qual chorou pela morte da criança.
O caso sofreu uma reviravolta durante as investigações, pois o padrasto da menina, Gabriel Felizardo Silva, chegou admitir, em um vídeo, ter praticado o assassinato. Porém, durante a apuração, ele admitiu ter assumido a culpa acreditando que a mulher estava grávida e não queria que ela fosse detida nessa condição.
Emanuelly foi morta no dia 19 de abril. Após ser agredida, ela foi levada para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos. O casal alegou que ela havia caído da cama. Porém, os médicos desconfiaram e chamaram a polícia.
Em depoimento, Gabriel confessou ter cometido o crime. Disse que bateu "com a mão fechada" na enteada porque ela estava chorando e não conseguia dormir. Ele também isentou a mulher. Logo em seguida, ele foi preso.
A versão, porém, não convenceu a polícia, que seguiu investigando. Em depoimento prestado na última segunda-feira (29), Jaqueline confessou o crime.
“Após nós mostrarmos a ela todos os elementos que a investigação já tinha levantado, no sentido de que ela teria sido a autora das agressões, ela então, foi, aos poucos, confessando e dando detalhes de toda dinâmica, de todas as circunstâncias desse fato”, disse o delegado Marcos Guerini, responsável pelo caso.
“Ela será indiciada por homicídio qualificado, em razão da impossibilidade de defesa da vítima, com aumento de pena em razão de que o crime foi praticado contra descendente”, completou.
Sobre a motivação, Guerini informou que a mulher disse que não era nada contra a filha. “O motivo, alegado por ela, acabou sendo um motivo íntimo, não de raiva conta a própria criança, foi mais uma explosão de raiva dela mesmo. A criança acabou estando no lugar errado na hora errada.
O advogado de Gabriel, Nelson Oliveira Batista, disse que orientou o cliente a dizer a verdade.
“Perguntei a ele: ‘Você quer insistir com essa situação?’ Ele disse que não sabia que que a criança viria a falecer, eu não quero assumir essa situação por ela. Acho que ela deve pagar pelo que ela fez”, pondera.

G1-GO


terça-feira, 30 de abril de 2019

Modelo Caroline Bittencourt teria morrido tentando salvar cadela


Modelo desapareceu no mar durante um passeio de barco em Ilhabela com o marido, o empresário Jorge Sestini, no domingo (28). Corpo dela foi encontrado quase 24 horas depois
Caroline Bittencourt e a cadela Canjica Foto: Instagram/Reprodução
A modelo Caroline Bittencourt teria morrido após pular na água para salvar sua cadela de estimação Canjica, segundo a agente dela, Andréia Boneti. Caroline desapareceu no mar durante um passeio de barco em Ilhabela com o marido, o empresário Jorge Sestini, no domingo (28). Canjica teria caído da embarcação por conta dos fortes ventos que atingiram a região no final de semana. O corpo da modelo foi encontrado na tarde desta segunda (29). Uma segunda cadelinha da família também estaria desaparecida.
Ao ver a queda dos animais, Caroline teria entrado na água para tentar resgatá-los, mas não conseguiu retornar para o barco. Quando percebeu que a esposa estava demorando a voltar, Jorge teria chegado a mergulhar e procurar a modelo, sem sucesso. Quase 24 horas depois do desaparecimento de Caroline, o corpo dela foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros e pela Marinha.
A atitude da modelo repercutiu bastante nas redes sociais. Perfis de protetores dos animais elogiaram muito a tentativa de resgate das cadelas. “A vida tem seus caminhos, as vezes difícil de aceitar. Morreu como uma heroína! Mostrando ao mundo todo seu amor pelas suas filhas de 4 patas… Não me conformo”, comentou a apresentadora Luísa Mell.
Caroline Bittencourt ficou conhecida nacionalmente após se envolver em polêmica durante o casamento do ex-jogador Ronaldo Fenômeno com a também modelo Daniela Cicarelli. Na ocasião, Caroline, então namorada do empresário Álvaro Garnero, amigo do noivo, foi impedida de entrar na festa, realizada em um castelo na França.
Filha agradece apoio de fãs e pede privacidade
Isabelle Bittencourt, filha da modelo Caroline Bittencourt, se manifestou por meio de suas redes sociais após sua mãe ser encontrada morta depois de ter caído de uma lancha no mar de Ilhabela, no litoral norte de São Paulo. “Agradecemos o apoio e as mensagens de carinho que temos recebido dos amigos e fãs da Carol. Essa movimentação de energias enche nossos corações de tanto amor. E é tudo que precisamos neste momento”, escreveu a jovem em um comunicado publicado no Instagram e assinado pelas famílias Bittencourt, Barbosa e Sestini.
A família também pediu compreensão e privacidade neste momento. “Decidimos realizar uma cerimônia íntima reservada apenas aos familiares e pedimos que respeitem nossa privacidade. A missa de 7º dia será celebrada e divulgada em breve a todos que quiserem transmitir seu afeto e seus sentimentos pessoalmente”, finalizou a nota. O corpo da modelo está sendo velado hoje no Cemitério Memorial Parque Paulista, em Embu das Artes, na Grande São Paulo.
Foto: Instagram/Reprodução
OP9


segunda-feira, 29 de abril de 2019

[VÍDEO] Noiva morre e marido fica ferido em acidente horas após casamento


Vítima morreu depois de carro em que estava colidir frontalmente com outro veículo no Litoral Norte. Casamento aconteceu na tarde do domingo
Noiva morreu depois de ser socorrida para o HGE. Foto: divulgação
Um casal tinha acabado de sair da festa de casamento e seguia para a lua de mel quando se envolveu em um acidente na AL-465, entre Porto Calvo e Japaratinga, no Litoral Norte de Alagoas. A mulher morreu após ser socorrida para o Hospital Geral do Estado (HGE). O acidente ocorreu por volta das 19h do domingo (28).
De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, dois veículos – um HB-20, conduzido por Anderson Livino Alves dos Santos e um Cross Fox, dirigido por Jadison Flávio do Nascimento – colidiram frontalmente. Segundo o Batalhão de Polícia Rodoviária, o acidente deixou oito pessoas feridas, sendo uma delas socorrida em estado mais grave para HGE pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).
A vítima em estado grave era Adelaide Lima dos Santos, 24 anos, que tinha acabado de casar. Ela chegou a ir para o HGE com vida e foi encaminhada para o centro cirúrgico, mas, de acordo com a unidade de saúde, não resistiu aos ferimentos. Outra vítima levada ao HGE foi o marido de Adelaide, Jonatas dos santos, de 19 anos. Segundo informações do hospital, ele se encontra na área vermelha e o estado de saúde é considerado estável.
As demais vítimas foram socorridas para um hospital de Porto Calvo pelo Corpo de Bombeiros e Samu. Os bombeiros realizaram também a limpeza da pista, onde houve derramamento de óleo. O casamento foi realizado na tarde do domingo, em Matriz do Camaragibe, segundo informações de um morador da cidade. Eles seguiam para a lua de mel em Japaratinga.
Veja vídeo do momento em que noiva se declara para o companheiro durante casamento

OP9


domingo, 28 de abril de 2019

Pai é suspeito de matar menina de 11 anos e enterrar o corpo no quintal da casa em Rolândia-PR


Eduarda Shigematsu estava desaparecida desde quarta-feira (24); corpo foi encontrado enterrado no quintal de uma casa da família. Pai da menina é suspeito, segundo a Polícia Civil.
Mãe de menina desaparecida confirmou por uma rede social que corpo encontrado era da filha — Foto: Reprodução/Facebook
O corpo da menina de 11 anos que estava desaparecida em Rolândia, no norte do Paraná, foi encontrado por volta das 14h30 deste domingo (28). A informação foi confirmada pela própria mãe dela, Jéssica Pires, em uma postagem em uma rede social.
Mais tarde, a Polícia Civil confirmou oficialmente. O pai dela, segundo a polícia, é tratado como suspeito. Ele, que não foi preso, prestou esclarecimentos ao delegado.
Eduarda Shigematsu havia desaparecido na quarta-feira (24). De acordo com o Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride), a criança foi para a escola de manhã, voltou para casa, deixou a mochila no sofá e não foi mais vista.
Segundo a polícia, o corpo foi encontrado enterrado nos fundos de uma casa de aluguel - de propriedade da família - após uma denúncia anônima ser feita à Polícia Militar (PM).
Eduarda Shigematsu, de 11 anos, desapareceu em Rolândia na quarta-feira (24) — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Corpo de Eduarda Shigematsu, que havia desaparecido na quarta-feira (24), foi encontrado enterrado no quintal de uma casa da família — Foto: Divulgação



G1-PR

Modelo de 27 anos passa mal e morre em plena passarela do São Paulo Fashion Week


Tales Soares tropeçou e caiu, mas as pessoas a princípio pensaram que se tratavam de uma performance artística

Depois de sentir um mal súbito durante o desfile da marca Oksa, na tarde de sábado (27), na São Paulo Fashion Week, o modelo Tales Soares foi levado ao hospital mas não resistiu. Um comunicado do evento diz que “ele foi prontamente atendido pela equipe de socorristas do SPFW, mas infelizmente não resistiu.”
No seu Instagram, seguido por 14 mil pessoas, Tales informava que tinha 27 anos, era vegetariano e formado em educação física. Seu nrme artístico era Tales Cotta. Ele havia nascido em Sanhaçu, Minas Gerais, e começou a trabalhar em São Paulo em setembro de 2018.
Tales fazia para a Ocksã, marca criada em Porto Alegre em 2013, o seu segundo desfile no sábado quando tropeçou na sandália e caiu. Houve demora na reação das pessoas ao redor porque acharam, a princípio, de que se tratava de uma performance. Os bombeiros levaram três minutos para iniciar os primeiros socorros. A transmissão do evento foi cortada na sequência.
“Lamentamos esta fatalidade e prestamos nossas sinceras condolências à família de Tales. Junto com a agência Base MGT, estamos prestando toda a assistência necessária neste triste momento”, encerra a nota do evento.
OP9

sexta-feira, 26 de abril de 2019

Mãe detida suspeita de matar a filha diz que colocou bebê em sacola e jogou em lote após o nascimento


Declaração foi dada em depoimento à Polícia Civil, em Aparecida de Goiânia. Jovem completou que não sabe o motivo de ter feito isso com a bebê: 'Estado de choque'.
Depoimento da mulher detida suspeita de matar a filha logo após o parto em Goiânia, Goiás — Foto: Paula Resende/ G1
A jovem de 25 anos que está presa por suspeita de ter matado a filha logo após o parto alegou à Polícia Civil que a menina caiu no chão ao nascer e estava com o cordão enrolado no pescoço. Em seguida, ela enrolou a recém-nascida num lençol, a colocou dentro de uma sacola e jogou no lote ao lado da casa dela, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital.
“Ela disse que tentou arremessar a menina, mas ela bateu no muro e caiu no chão. Então, ela pegou e jogou novamente. Ela disse que estava arrependida, entrou em estado de coque e ficou sem reação. Não sabe o motivo de ter feito isso”, disse o delegado responsável pelo caso, Henrique Berocan.
A mulher foi detida na madrugada desta quinta-feira (25), após ser levada, junto com a recém-nascida, por parentes para a Maternidade Marlene Teixeira, em Aparecida de Goiânia, pois estava passando mal. No local, a médica pediu para chamar a Polícia Militar porque a menina estava com ferimentos no corpo.
Os policiais levaram a jovem para o 1º Distrito Policial para o registro do caso. A morte da recém-nascida é investigada pela equipe Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente.
Parto escondido
Em depoimento, a jovem contou que estava na 41ª semana de gestação e começou a sentir contrações por volta das 2h de quinta-feira. Ela disse que mordeu em uma fronha e lençol para não fazer barulho, pois os outros três filhos dela estavam em casa, sendo que um tem 8 anos, outro 3 e o mais novo, 1 ano e 11 meses de vida.
Quatro horas depois, conforme o depoimento, a jovem disse que estava em pé, ao lado da cama, quando a filha nasceu e caiu no chão. A mãe contou que a menina não chorou, mas "mexeu braços e pernas, resmungou e suspirou".
Após se limpar e jogar a criança no lote abandonado, a jovem voltou para casa e não contou aos familiares sobre o parto.
Apenas 14 horas depois, quando uma irmã foi à residência da gestante, ela revelou que havia dado à luz. Em seguida, os parentes encontraram o corpo do menina.
Como a jovem estava muito pálida e passando mal, os parentes a levaram para o hospital, junto com a recém-nascida. Até as 18h de quinta-feira, a jovem estava presa.
"Vão ser analisadas todas as provas colhidas e tudo que é necessário para estabelecer a materialidade e prova do delito, em especial o estado psicológico da autora, que, segundo informações preliminares, possui problemas psiquiátricos atestados", disse o delegado.
Responsável pela maternidade, a Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia informou, em nota, que o corpo da recém-nascida foi encaminhado ao Instituto Médico Legal. De acordo com a pasta, a jovem voltou a ser levada para o hospital para atendimento médico e psicológico.
Caso será investigado pela DPCA de Aparecida de Goiânia — Foto: Reprodução/TV Anhanguera
G1

quinta-feira, 25 de abril de 2019

Vídeo: recrutador debocha de currículos, gera revolta e é demitido


Exposição dos candidatos teve repercussão tão negativa que os internautas comunicaram a postura do funcionário à empresa onde ele trabalhava – até ser demitido
Foto/Reprodução
Um recrutador de uma empresa no Mato Grosso do Sul gerou revolta nas redes sociais após gravar vídeos no Instagram debochando dos currículos que ele deveria analisar. A exposição dos candidatos teve uma repercussão tão negativa que os internautas comunicaram a postura do funcionário à empresa onde ele trabalhava – até ser demitido por conta dos comentários. São cerca 13 milhões de desempregados no Brasil.
“Gente que mandou três páginas de experiência profissional, e a cada três meses estava em uma empresa. Amor, vou dar uma dica para você: coloca os três que você ficou mais tempo e que se deu melhor, porque quando a gente vê que a pessoa muda muito de emprego, ninguém contrata”, afirma Paulo Roberto de Moraes, como foi identificado.
Em outro momento, ele diz que não vai contratar uma pessoa conhecida dele. “Recebi até um currículo de uma pessoa que eu odeio e eu tenho ranço. Que pena, porque não vou com a sua cara e não vou te contratar”, ironiza.
No Facebook, Paulo se declarava coordenador-geral na empresa Avante Energia desde outubro de 2017 e coordenador no Instituto Efort desde maio de 2016. Entretanto, ele já havia sido demitido do segundo emprego. Já a Avante informou em nota que ele não faz mais parte do quadro de funcionários da companhia.
“A Empresa Avante Energia e Serviços não tinha conhecimento do vídeo postado, agradecemos a informação. Não compactuamos com a atitude tomada pelo funcionário que usou sua rede social particular postando vídeos e fotos sem autorização da empresa. A empresa Avante através do seu representante legal informa que não tolera atitudes de quebra de sigilo das informações e não tem a prática de utilizar redes sociais, mediante ao exposto informamos que o funcionário já não faz mais parte do nosso quadro de colaboradores”, afirma o comunicado da empresa.
Depois da repercussão do caso, Paulo chegou a pedir desculpas em outro vídeo, posteriormente apagado. Mesmo assim, as críticas continuaram. “Apagou o pedido de desculpas. Deu tantas dicas bacanas, podia ter feito o vídeo sem humilhar as pessoas! A lei do retorno é linda, pois agora ele que vai mandar currículo!”, comentou um usuário do Facebook.
“Nossa, esse cara não pensa que o dia de amanhã pertence a Deus. Cuidado, esse aí que você zombou pode se tornar seu chefe… Absurdo, zombando das pessoas. Imagina esse cara liderando uma equipe… Nossa, muito feia a sua postura. Eu jamais teria você na minha equipe, debochado. Usa essa sua boca pra motivar aqueles que estão precisando de um apoio”, acrescentou outro internauta.

OP9

terça-feira, 23 de abril de 2019

Papagaio apreendido após anunciar chegada de PMs: “Mamãe, polícia!”


Caso aconteceu em Teresina, no Piauí, durante operação em uma casa que funcionaria como ponto de venda de drogas

A Polícia Militar do Piauí fez uma curiosa apreensão durante uma operação em uma casa que funcionaria como ponto de venda de drogas na capital Teresina. Os PMs apreenderam um papagaio que avisou aos donos sobre a chegada dos agentes, gritando “Mamãe, polícia!”. O animal foi encaminhado para a Central de Flagrantes de Teresina. O caso aconteceu na segunda-feira (22).
Segundo os policiais, o animal deve ter sido treinado para realizar tal ação. Na tarde de ontem, os PMs faziam rondas na área quando avistaram um usuário de drogas nas proximidades de onde a ave foi achada. Ao ser abordado, o homem indicou onde havia comprado o entorpecente. A dona do papagaio seria uma mulher conhecida como “Índia”, que foi presa duas vezes por tráfico de drogas e não estava no local.
O marido da dona do papagaio foi preso após os policiais encontrarem porções de crack na residência. Uma adolescente de 16 anos, filha do casal, também foi apreendida com maconha escondida dentro das roupas íntimas. Ambos foram levados para a Central de Flagrantes e a adolescente foi liberada após assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência. Já o papagaio será encaminhado pelos policiais do Batalhão de Polícia Ambiental para o Zoobotânico de Teresina.

Acusado de afogar a própria esposa grávida é encontrado morto em presídio da Paraíba


Vinícius Gabriel, de 24 anos, foi encontrado com um lençol amarrado no pescoço. Investigação vai apurar ainda a morte de outro detento que teria passado mal momentos antes
O casal tinha passado a residir na capital paraibana há cerca de quatro meses e Vinícius afogou Natália Donato de Lima na Praia do Bessa. Foto: Reprodução/Facebook.

Acusado de ter afogado a própria mulher grávida de seis meses na Praia do Bessa no dia 6 de agosto de 2018, o técnico de enfermagem Vinícius Gabriel Ferreira Viana, 24 anos, foi encontrado morto em sua cela no presídio do Roger, na madrugada do domingo (22). Ele estava com um lençol amarrado em volta do pescoço e com uma carta ao lado do corpo.
A Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap) abriu uma sindicância para apurar o caso, já que não foi a única morte misteriosa ocorrida em poucas horas. Acusado de atropelar e matar um mototaxista na Avenida Cruz das Armas, em João Pessoa, na última quinta-feira, José Tadeu da Mota Gabriel, de 36 anos, foi encontrado já desfalecido na cela por outros detentos.
A morte de Vinícius Gabriel só foi descoberta quando procuraram por ele para prestar ajuda a José Tadeu, que teria passado mal por volta das 23h do sábado (20). “Quando os agentes penitenciários chegaram até a cela, viram que ele (José Tadeu) estava desfalecido. Eles resolveram chamar Vinícius, que estava em uma parte isolada e encontraram o corpo dele pendurado”, informou o delegado Canrobert Rodrigues, responsável pelo caso. O laudo cadavérico dos corpos deve sair em 30 dias.
Após a audiência de custódia, Vinícius Gabriel foi encaminhado ao Presídio do Roger. Foto: Reprodução/ TV Manaíra.
Vinícius Gabriel estava preso desde setembro de 2018 após ser apontado como responsável pela morte da esposa Natália Donato de Lima, que estava grávida de seis meses, cujo corpo foi encontrado na Praia de Manaíra na manhã do dia 6 de agosto de 2018. Na versão do acusado, os dois estavam tomando banho de mar na madrugada, por volta das 3h, quando uma forte correnteza teria levado a mulher.
De acordo com informações do delegado Reinaldo Nóbrega, Vinícius Gabriel teria mentido em diversas informações dadas à polícia, alegando também que era empresário, porém o estabelecimento comercial citado por ele não existia. Um seguro de R$ 400 mil teria sido feito dois dias antes da morte de Natália, onde apenas o próprio esposo da vítima era beneficiário.
No dia 27 de agosto, uma exumação no corpo de Natália foi realizada. O procedimento foi feito pela Polícia Civil e a nova perícia serviu para finalizar possíveis dúvidas sobre a morte da mulher. Vinícius foi preso no dia 17 de setembro e depois encaminhado para o presídio do Roger.
José Tadeu atropelou motociclista. Foto: Reprodução
José Tadeu havia sido preso após invadir a contramão, atropelar e matar um motociclista na Avenida Cruz das Armas, em João Pessoa, na noite da quinta-feira (18). De acordo com a polícia, ele apresentava sinais de embriaguez. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionado para prestar socorro, no entanto, a vítima identificada como Marcos dos Santos Ferreira, de 51 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

OP9

sexta-feira, 19 de abril de 2019

Por cachaça, pai mata filho com facão na sexta-feira Santa e é preso


De acordo com a Polícia Civil, crime ocorreu durante briga motivada pelo consumo de bebidas alcoólicas, em Vicência, na Zona da Mata Norte de Pernambuco.
Delegacia de Nazaré da Mata fica na Zona da Mata Norte de Pernambuco — Foto: Reprodução/Google Street View
Um homem foi preso em flagrante depois de matar o filho com dois golpes de facão, em Vicência, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, distante 87 quilômetros do Recife. Segundo o delegado William Matheus, o crime ocorreu depois de uma briga motivada pelo consumo de bebidas alcoólicas.
Ainda de acordo com o delegado, o caso ocorreu na noite de quinta-feira (18), no distrito de Murupé, que fica na zona rural de Vicência. Por meio de nota enviada nesta sexta-feira (19), a Polícia Civil informou que Luiz Inácio Barbosa da Silva, de 56 anos, foi preso em uma ação conjunta com a Polícia Militar.
A nota afirma, ainda, que Welinaldo Luiz Barbosa da Silva, de 26 anos, foi levado para uma unidade de saúde na cidade e transferido para o Hospital da Restauração (HR), na área central do Recife, onde morreu na manhã desta sexta.
O delegado William Matheus informou que o pai deu os golpes nas costas do filho. Depois, foi preso na localidade e autuado em flagrante. “Apreendemos a arma do crime”, afirmou William Matheus.
O policial contou que pai e filho tinham um longo histórico de brigas e a delegacia já tinha aberto inquéritos para apurar os casos envolvendo agressões praticadas pelos dois.
“Eram brigas corporais e lesões leves. Agora, a agressão foi mais forte. Quando chegou à delegacia, Luiz Inácio disse que tinha bebido muito”, comentou.
De acordo com a Polícia Civil, o caso foi registrado pela Delegacia de Plantão de Nazaré da Mata, na mesma região. Luiz Inácio será apresentado em audiência de custódia.

G1-PE

Cinco pessoas da mesma família morrem em acidente na BR-386


Colisão matou, ainda, o condutor de um veículo com placas de Caxias do Sul
Cinco pessoas morrem e uma fica gravemente ferida em acidente no Norte do RS
Uma colisão frontal entre dois veículos provocou a morte de seis pessoas na madrugada desta sexta-feira (19), no trecho de Soledade, na região norte do RS. O acidente entre um veículo Corsa, com placas de Pato Branco (PR), e um Tempra, com placas de Caxias do Sul, aconteceu por volta das 3h, na altura do km 257. Entre as vítimas, estão cinco pessoas da mesma família.
Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o condutor do Tempra, que ainda não foi identificado, transitava no sentido Capital-Interior e invadiu a pista contrária, colidindo frontalmente com o veículo com placas de Pato Branco.
Dentro do Corsa estava uma família que se dirigia para o velório de uma parente em Carlos Barbosa, na Serra. Ângela Ongaratto Dalla Vecchia, 87 anos, é velada desde a tarde de quinta-feira (18) nas Capelas Caravaggio, e será sepultada nesta sexta. Ângela era mãe de Sergio Dalla Vecchia, 59 anos, e avó de Kelem Tamara Dalla Vecchia, 30, proprietária do Corsa com placas de Pato Branco (PR) onde a família viajava. Ela também era avó de Thieres Marcos Dalla Vecchia, 22 anos, irmão de Kelem. No acidente, morreram também Maira Isabel Morari Dalla Vecchia, 52 anos, mãe de Kelem, e Fabio Lazarotto, 33 anos, marido de Kelem.
Ainda segundo a PRF, o trecho do acidente chegou a ser totalmente bloqueado para o trabalho da perícia, mas foi liberado por volta das 7h.

Gaucha/ZH

terça-feira, 16 de abril de 2019

Filho é suspeito de agredir e matar a mãe, em Aparecida de Goiânia


Segundo a polícia, vítima apresentava vários hematomas pelo corpo e foi socorrida por outra filha e levada a uma unidade de saúde.
Grupo de Investigação de Homicídios de Aparecida de Goiânia — Foto: Renata Costa/TV Anhanguera
Um homem de 33 anos é suspeito de espancar e matar a mãe, de 54 anos, no Setor Independência Mansões, em Aparecida de Goiânia. As agressões teriam acontecido dentro de casa. A vítima chegou a ser socorrida e encaminhada a uma unidade de saúde, mas não resistiu. Ela apresentava vários hematomas pelo corpo.
A mulher morava com o filho na casa onde teriam ocorrido as agressões. Uma outra filha -- que fez a denúncia à polícia -- a visitou na segunda-feira (15), percebeu diversos hematomas e a levou ao Cais Colina Azul. Ao chegar em casa, passou mal novamente e acabou morrendo.
A Secretaria Municipal de Saúde de Aparecida de Goiânia disse em nota que a paciente passou por atendimento médico e exames no Cais Colina Azul na noite da última segunda-feira (15). Segundo a pasta, o relatório médico dizia que ela precisava ficar em observação enquanto aguardava os resultados dos exames solicitados para verificar a causa dos hematomas.
"Contudo, a paciente e sua acompanhante abandonaram a unidade, sem recebimento de alta", afirma o texto.
O delegado Álvaro Melo Bueno disse estar solicitando mais dados para investigar o caso. “Ela tinha hematomas em várias partes do corpo, mas escondidas pela roupa, então outras pessoas não viam. Estamos pedindo laudos e buscando mais elementos para saber se essas agressões foram a causa do óbito. O filho é suspeito, mas ainda vamos interrogá-lo e buscar elementos para saber se ele, de fato, é o autor e definir se ele será preso."

G1 Goiás

Pai e madrasta são presos suspeitos de torturar menino de 5 anos e colocar elástico no pênis dele por fazer xixi na calça em Cuiabá


Criança passava fome e tinha marcas de queimadura de cigarro pelo corpo. Casal confessou as agressões e os castigos contra o menino.
Pai e madrasta são presos suspeitos de torturar menino de 5 anos em Cuiabá — Foto: Polícia Civil de Mato Grosso/Assessoria
Um casal foi preso em flagrante nessa segunda-feira (15) suspeitos de torturar um menino de 5 anos no Bairro Pedra 90, em Cuiabá.
De acordo com a Delegacia Especializada de Defesa dos Diretos da Criança e do Adolescente (Deddica), eles são pai e madrasta do menino. A prisão ocorreu após denúncia ao Conselho Tutelar relatando que a criança era torturada pelo casal.
Uma testemunha relatou ao Conselho Tutelar que o menino reclamava de dores e estava com marcas de queimadura de cigarro pelo corpo, machucados nos joelhos, além de estar com o órgão genital em 'carne viva'.
A polícia descobriu que a criança é torturada desde o mês de janeiro, quando passou a ficar sob os cuidados do pai e da madrasta. As agressões eram frequentes, sendo que o pai batia no filho com socos e madrasta usava um pedaço de madeira, além da fivela de cinto para agredir a criança.
Agressões
Entre as agressões, os suspeitos colocavam um elástico no pênis da vítima, como punição pelo fato da criança fazer as necessidades fisiológicas na calça. O casal também colocava o menino por horas de castigo de joelhos sobre caroços de arroz e sobre concreto quente
Com base nos relatos, os policiais da Deddica foram até a residência dos suspeitos, no bairro Pedra 90, onde foi constatada a veracidade da denúncia.
O menino foi encontrado com várias ferimentos por todo corpo, não conseguindo nem ficar em pé.
A criança passava fome, estava muito fraca e foi encaminhada para uma Unidade de Pronta Atendimento (UPA), onde ficou sob observação.
A madrasta da criança foi presa em casa e o pai foi preso no trabalho, na Avenida Beira Rio, em Cuiabá.
O casal foi conduzido para a Deddica e interrogado pelo delegado Francisco Kunze Junior. Eles confessaram as agressões e os castigos contra a criança, sendo autuados em flagrante pelo crime de tortura.

G1

Enfermeira de 28 anos morre em colisão moto com van na Paraíba


Vítima era natural de Teixeira, no Sertão paraibano, e seguia para Brejinho, no Pernambuco. Ela era casada e deixa um filho de 3 anos
Thaysnara Silva se descolava de Teixeira, na Paraíba, à Brejinho, no Pernambuco. Foto: Facebook/ Reprodução
A enfermeira Thaysnara Silva, 28 anos, morreu após uma van colidir na moto em que ela pilotava na PB-110, em Teixeira, no Sertão paraibano. A vítima residia na cidade e estava indo para Brejinho, em  Pernambuco, onde trabalhava. O acidente aconteceu por volta das 7h desta terça-feira (16).
A Polícia Militar atendeu a ocorrência e informou que a vítima já foi encontrada morta no local. Thaysnara era casada e deixa um filho de 3 anos. O corpo será levado para o Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol) de Patos. O caso será encaminhado para a Delegacia de Teixeira para ser investigado.

OP9

“Deixei ele desesperado no trânsito”, diz mulher que fugiu de estupro


Ela é uma das vítimas do servidor, Benício Vieira de Lima, que ficou conhecido como “estuprador em série” em Maceió
Homem é indiciado por 19 estupros contra crianças e adolescentes. Foto: TV Ponta Verde

Foi em dezembro de 2018 que uma das vítimas do estuprador em série Benício Vieira de Lima, de 41 anos, foi abordada por ele em Maceió, obrigada a entrar no carro e quase foi violentada sexualmente.
A mulher, que tem 21 anos e foge do padrão de crianças e adolescentes abusadas pelo homem, conseguiu fugir a tempo depois de se debater no veículo e o deixar “desesperado no trânsito”.
Benício foi preso durante operação da Polícia Civil na segunda-feira (16), indiciado por nove estupros e está sendo investigado por mais 10 na capital.
A mulher, que terá a identidade preservada, conta que caminhava por um bairro de Maceió quando foi abordada por Benício, que é servidor da Câmara de Vereadores da capital. Conforme o relato da vítima, ele parou o carro próximo a ela para pedir uma informação, afirmando que estava perdido na cidade e precisava encontrar a esposa e a filha.
“Eu fui dar a informação e quando ele viu que não tinha mais ninguém perto, ele mostrou a arma e mandou eu entrar no carro. Pegou meu celular, a minha chave e colocou um pano em meu rosto”, conta a mulher. Ela diz que o homem começou a circular pela cidade, com o intuito de levá-la para o local onde os crimes ocorriam: o escritório jurídico do vereador Chico Filho, para o qual o indiciado trabalhava como motorista. O escritório fica na Gruta de Lourdes e as vítimas eram abordadas, geralmente, no Jacintinho e Feitosa.
“Mas antes de chegar ao local, eu não me contive, bati na porta, no vidro, comecei a gritar, deixei ele desesperado no trânsito, abri a porta e consegui fugir”, relata a mulher.  “Meu mundo caiu, tudo mudou, foi um susto, um medo, um trauma por escapar, mas pensar no pior que poderia ter acontecido, porque eu consegui fugir dele, mas foi um trauma para mim também”, desabafa.
Ao menos 19 garotas entre 11 e 18 anos teriam sido vítimas do homem que ficou conhecido como “estuprador em série”. Ele utilizava o veículo do vereador para abordar as vítimas e o escritório do parlamentar para consumar o ato.
A Polícia Civil chegou até ele após ser acionada pela Secretaria de Saúde de Estado (Sesau) de que estava ocorrendo casos de estupros semelhantes na cidade. As investigações, que contaram com a ajuda do Ministério da Justiça, apontaram que Benício cometia os crimes desde 2015. Conforme as investigações da Polícia Civil, o acusado praticou pelo menos um estupro por mês. Ele nega todas as acusações.
O vereador Chico Filho afirma que não tinha conhecimento dos crimes e se mostrou surpreso. De acordo com o parlamentar, Benício convive com a sua família há mais de 40 anos, e há 15 anos trabalhava como motorista particular. O vereador informou ainda que o homem será exonerado do cargo, do qual recebia R$ 2.900 mensais.

OP9

domingo, 14 de abril de 2019

Homem mata ex e manda mensagem para mãe buscar o corpo


A garota que era menor de idade, estava em uma festa quando o assassino avisou ao segurança sobre a idade dela
Kendra Rayane Carvalho,17 anos, foi assassinada na madrugada deste sábado (13), em Mirassol D’Oeste (295km de Cuiabá).   O suspeito  é o seu  ex-namorado, Ronaldo José de Souza Oliveira. 
Ela estava em uma festa quando o seu ex- avisou um segurança que ela era menor de idade. E devido a isso, foi retirada para fora da festa.
Ronaldo então teria matado a adolescente e atirado em um amigo dela, identificado por Halif Thiago Dos Santos de 25 anos. 
Segundo informações de testemunhas, o ex-namorado da vítima teria enviado mensagens via whatsapp  para a mãe da vítima dizendo que  era para ela buscar a filha morta.
A Polícia Militar foi  chamada, mas Rayane já estava morta. O suspeito fugiu e a até o momento, a PM não tem informações sobre o paradeiro dele. 
A vítima era mãe de uma criança de pouco mais de um ano de idade.
Ronaldo José de Souza Oliveira, suspeito de ter assassinado Rayane. Informações DISQUE 190

Leia Agora