NOME NOME

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Após decisão do STF, juiz manda soltar ex-presidente Lula


A decisão foi proferida pelo magistrado Danilo Pereira Júnior, após a defesa de Lula pedir a libertação do ex-presidente com base na decisão proferida na quinta (7) pelo Supremo Tribunal Federal (STF)
Foto: Lula Marques/Reprodução

A Justiça Federal em Curitiba determinou às 16h15 desta sexta-feira a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso desde 7 de abril do ano passado, na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba, pela condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá (SP), um dos processos da Operação Lava Jato. A decisão vem menos de 24 horas depois de o STF declarar inconstitucional a prisão em segunda instância.


A decisão foi proferida pelo juiz Danilo Pereira Júnior, após a defesa de Lula pedir a libertação do ex-presidente com base na decisão proferida na quinta-feira (7) pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que derrubou a validade da execução provisória de condenações criminais, conhecida como prisão após a segunda instância.
O mandado de soltura foi encaminhado para a PF. A expectativa é de que Lula deixe a prisão ainda nesta sexta-feira. O exame de corpo de delito teria sido dispensado e a expectativa é de que o ex-presidente saia do prédio da PF para falar com a militância e a imprensa que o esperam na calçada.
Em janeiro do ano passado, a condenação de Lula, proferida em primeira instância pelo ex-juiz Sérgio Moro, foi confirmada e a pena aumentada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), segunda instância da Justiça Federal, para 12 anos e um mês de prisão – 8 anos e 4 meses pelo crime de corrupção passiva e 3 anos e 9 meses pela lavagem de dinheiro.

Em abril deste ano, a pena de corrupção foi reduzida pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) para 5 anos e seis meses, enquanto a de lavagem ficou em 3 anos e quatro meses, resultando nos 8 anos e 10 meses finais.

Além de Lula, a decisão do STF deverá beneficiar outros condenados na Lava Jato, como os ex-deputados Eduardo Cunha, José Dirceu, além do e ex-executivos de empreiteiras.

Por: Agência Brasil

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Morte em motel: “As drogas levaram minha filha”, desabafa pai de jovem


Tarciane Couto, de 24 anos, foi encontrada desacordada e sem lesões aparentes em um motel, onde entrou com um homem desconhecido
O pai da supervisora de marketing Tarciane Couto, de 24 anos, que morreu no domingo (27) um dia após ser encontrada desacordada no quarto de um motel na Várzea, no Recife, sugeriu que a filha morreu em decorrência do vício de drogas. Em entrevista à TV Clube, uma emissora do Sistema Opinião, Sérgio Couto fez um apelo para que os pais participem ativamente da vida dos filhos. “O diabo está tirando nossos filhos de nós. Queria que os pais tomassem conta dos seus filhos, abraçassem mais, amassem mais”, desabafou.
De acordo com a Polícia Civil, Tarciane Couto estava na companhia de um homem desconhecido, no sábado (26), quando passou mal. Ela teria sido socorrida por funcionários do motel e encaminhada com parada cardíaca à UPA da Caxangá, onde faleceu no dia seguinte. O caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).
Bastante abalado, Sérgio  disse que as “más companhias” levaram a filha ao mundo das drogas e aconselhou os pais a acompanharem os filhos. “Talvez eu não tenha feito isso com minha filha, e as drogas vieram e tiraram ela de mim. O inimigo entrou na minha casa. Tome conta da internet, tome conta da vida dele, tome conta dos amigos. Estou com 48 anos e, se eu completar 108, vou continuar com essa mágoa no meu coração”, afirmou emocionado.

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Acidente mata pai e filho que foram visitar novo bebê da família


Carlos Roberto da Silva, 28, e Talisson Williams da Silva, de 5 anos, tiveram moto atingida por treminhão em Rio Largo na tarde de domingo. Ele iam ver recém-nascido que era novo filho e irmão dos dois mortos no acidente grave. O motorista fugiu.
Carlos Roberto da Silva, 28, e o filho Talisson Williams da Silva, de 5 anos, saíram para visitar um bebê recém-nascido quando foram atropelados por um caminhão na tarde de domingo (13), em Rio Largo. É o que relatou a irmã de Carlos. Na manhã desta segunda-feira (14), os familiares aguardavam na sede do Instituto Médico Legal (IML), em Maceió, a liberação dos corpos. Ainda não se sabe onde e quando vai ser o sepultamento.
Um familiar relatou que o irmão e o sobrinho saíram do bairro da Forene, parte alta da capital, com destino a Rio Largo, onde eles iriam visitar o filho dele que nasceu na sexta-feira (11). Mas durante o trajeto, Carlos e Talisson se envolveram em um acidente com um treminhão que transportava cana de açúcar, no km 87 da BR-104, no município de Rio Largo.
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) analisou os vestígios encontrados no local do acidente e constatou que o tricaminhão Iveco/Trakker 410t48, de cor branca e placa de Aracaju/SE, realizava manobra para saída de pista quando colidiu com a Yamaha Crypton pilotada por Carlos Roberto.
Na motocicleta estavam pai e filho, que seguiam o fluxo sentido Maceió – Recife. A colisão ocorreu na faixa direita, sendo a motoneta arrastada até a estrada de terra lateral. Com o impacto, os dois veículos saíram do leito carroçável pela direita da via.
Revoltados, moradores da área atearam fogo na cabine do caminhão e chegaram a perseguir o motorista, mas ele conseguiu fugir por uma região de mata. Ele ainda não foi localizado e nem identificado. De acordo com o delegado plantonista José Carlos, o caso vai ser investigado pelo 12° Distrito Policial de Rio Largo.
OP9

terça-feira, 15 de outubro de 2019

Mulher é estuprada por cinco homens em “matadouro” de Santa Rita-PB


A vítima dormia em sua residência com o esposo no momento em que os criminosos chegaram, agrediram o homem e em seguida a levaram para um matagal onde praticaram o abuso sexual
Mulher foi socorrida para o Hospital de Trauma em João Pessoa. Foto: Reprodução/ GoogleMaps
Uma mulher de 21 anos foi estuprada por cinco homens na comunidade Cadeado, em Santa Rita, Região Metropolitana de João Pessoa, na madrugada deste domingo (13). De acordo com a polícia, a vítima e o seu esposo dormiam no momento em que os suspeitos pelo crime chegaram em sua residência, atingiram o homem com pauladas na cabeça, retiraram a vítima da casa e levaram-na para um matagal onde cometeram o crime.
À polícia, a vítima denominou o local que os suspeitos a levaram como “matadouro”. Segundo ela, eles violentaram-a sexualmente, em seguida foram embora. A mulher também foi ferida nas costas por correntes. Ela conseguiu caminhar até uma rua onde pediu ajuda e foi socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa.
O esposo da vítima é ex-presidiário e usa tornozeleira eletrônica. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil e pode se tratar como um possível acerto de contas.

Homem assassina companheira a facadas por não aceitar término


Vítima tinha 16 anos e foi morta na residência onde o casal morava. Crime aconteceu no município de Teixeira, no Sertão paraibano
A adolescente Vanessa Batista, de 16 anos, foi morta com uma facada no peito pelo ex-companheiro no município de Teixeira, no Sertão paraibano. O crime foi motivado pelo suspeito não aceitar o término de relacionamento.
O feminicídio aconteceu na tarde de segunda-feira (14), na residência onde o casal morava no bairro Três Poços.
De acordo com a Polícia Civil, a adolescente conseguiu correr em busca de ajuda, mas morreu enquanto estava sendo socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).
O suspeito fugiu depois de assassinar a adolescente e ainda não foi preso. Até a manhã desta terça-feira (15), a polícia ainda realizava buscas pelo homem.

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

Garoto de 12 anos confessa ter matado menina de 9 anos em São Paulo


Aos policiais, ele primeiramente afirmou que apenas acompanhava Raíssa quando um homem de bicicleta chegou e cometeu o crime. Mais tarde, no entanto, ele voltou a relatar o que afirmara aos pais: que havia assassinado a colega.
A Polícia Civil confirmou na tarde desta terça-feira ( 1º), que um garoto de 12 anos confessou ter assassinado a menina Raíssa Eloá Caparelli Dadona, de 9 anos, no último domingo (29), no Parque Anhanguera (Zona Norte de SP). O adolescente morava na mesma rua da vítima e foi apreendido pela polícia após confessar o crime.
Segundo o delegado Luiz Eduardo de Aguiar Marturano, titular da 5ª Delegacia da Divisão de Homicídios do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), o garoto relatou o crime aos pais, que decidiram levá-lo à delegacia.
Aos policiais, ele primeiramente afirmou que apenas acompanhava a menina quando um homem de bicicleta chegou e cometeu o crime. Mais tarde, no entanto, ele voltou a relatar o que afirmara aos pais: que havia assassinado a colega.
“Eles saíram da festa no CEU (Centro Educacional Unificado), caminharam até a área de mata, brincaram um pouco, e o menino então começou a agredi-la com as mãos e com um pedaço de pau”, contou o delegado. Em seguida, o adolescente teria “laçado” a menina com uma corda em uma árvore e a enforcado.
De acordo com Marturano, ainda não é possível saber se a causa da morte foi asfixia ou os múltiplos traumas provocados pelas agressões. A confirmação depende dos laudos do Instituto Médico Legal (IML).
Ele relatou ainda que, como a investigação é muito recente, não descarta nenhuma hipótese, inclusive a de participação de um terceiro no crime.
Agora, a polícia pretende analisar mais imagens das câmeras da região e ouvir depoimentos de parentes e vizinhos das duas famílias.
Em depoimento, o menino não falou a motivação do crime. “Ele não demonstrou emoção”, relatou o delegado.
O menor teve a internação provisória decretada pela Justiça e deve ser encaminhado para a Fundação Casa.
Marturano disse que a mãe de Raíssa havia deixado a menina com o adolescente na fila do pula-pula enquanto foi buscar um alimento para o filho caçula.
A menina morava no bairro do Morro Doce, próximo ao Parque Anhanguera, e fazia acompanhamento para autismo há um ano. Seu corpo foi enterrado na segunda no Cemitério Municipal de Perus, na zona norte.

terça-feira, 1 de outubro de 2019

Pastora é encontrada morta dentro de geladeira no Rio de Janeiro


Yone Ângela Maximo dos Santos tinha 47 anos e estava desaparecida desde o dia 24. O corpo dela foi achado pelo irmão.
Corpo da pastora estava dentro de uma geladeira. Foto: Reprodução
Uma pastora foi encontrada morta dentro da geladeira da casa onde morava, no sábado (28), na cidade de Miguel Pereira, no Rio de Janeiro. Yone Ângela Maximo dos Santos tinha 47 anos e estava desaparecida desde o dia 24. O corpo foi achado pelo irmão dela. O assassino ainda usou um arame e um lençol para amarrar e amordaçar a vítima.
A principal linha de investigação para o crime é a de feminicídio. O suspeito, que era namorado da vítima, morreu um dia depois do desaparecimento da pastora, após trocar tiros com policiais militares em São Paulo e matar um PM. No veículo onde estava Luan Nilton Martins, 30 anos, os policiais encontraram documentos da pastora.
Yone já havia sido ameaçada por Luan. Em dezembro do ano passado, ela registrou queixa pedindo medidas protetivas contra o suspeito. Ele já tinha passagens pela polícia, pelos crimes de assalto e porte ilegal de arma de calibre restrito, ambos ocorridos em 2011.



terça-feira, 24 de setembro de 2019

Americano com três esposas faz “rodízio de camas” durante a semana


Empresário Jermaine Roquemore vive com as mulheres e oito filhos na mesma casa, todos em clima de harmonia. Quarteto tem até canal no YouTube e perfil no Instagram,
Antes as relações aconteciam na mesma cama, mas a mudança foi realizada para que todos pudessem ter mais privacidade. Foto: Instagram/Reprodução
Casar duas, três, cinco vezes não é mais novidade atualmente. Mas manter uma relação de poliamor com todos os envolvidos morando na mesma casa é uma situação que costuma atrair muitos olhares e curiosidade. Além de conviver com três esposas, o empresário norte-americano Jermaine Roquemore também precisa gerenciar a atenção que a relação a quatro desperta. Jermaine, que vive na Califórnia, mora sob o mesmo teto com as três mulheres e oito filhos. E tudo, segundo ele, em clima de harmonia.
Para que não haja “injustiças”, Jermaine adotou uma solução inusitada: um rodízio de camas. Toda noite ele dorme com uma esposa diferente. Mas, segundo ele, nem sempre foi assim. Antes as relações aconteciam na mesma cama, mas a mudança foi realizada para que todos pudessem ter mais privacidade. Jermaine acredita que a monogamia é um caminho para a infelicidade.
O empresário conheceu Angelica 22 anos atrás. Os dois se casaram há 13 anos e têm três filhos. Autorizado por ela, Jermaine se envolveu com Leighanne em março de 2001 e se apaixonou por ela, mas sem deixar de amar a primeira esposa. As duas concordaram em formar um trisal. Em 2015, Angelica e Leighanne autorizaram que o marido entrasse em um aplicativo de paquera. Lá, ele conheceu Maria e o quarteto foi formado.
Angelica, Leighanne e Maria também podem ter outros parceiros, desde que Jermaine esteja ciente. Os quatro criaram um canal no YouTube e uma página no Instagram onde falam sobre o estilo de vida da família. “Eu vejo essas mulheres como um pedaço do meu corpo. Uma extensão do meu amor. Não vivemos o que este mundo chama de vida normal: um marido, uma esposa. Estamos vivendo da nossa maneira tão bem quanto um casal monogâmico”, disse Jermaine, em reportagem do jornal Mirror.



segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Padre é amarrado e assassinado após celebrar missa no DF


O corpo de Kazimierz Wojno, 71, foi encontrado em sua casa, que fica no terreno dos fundos da paróquia, com sinais de estrangulamento. Ele estava com pés e mãos amarrados com arames.
Reprodução/ Facebook/Paróquia Nossa Senhora da Saúde
Um padre polonês foi assassinado na noite deste sábado (21) em uma igreja na quadra 702 da Asa Norte, região central de Brasília (DF), algum tempo após celebrar a missa. 
O corpo de Kazimierz Wojno, 71, foi encontrado em sua casa, que fica no terreno dos fundos da paróquia, com sinais de estrangulamento. Ele estava com pés e mãos amarrados com arames. Em nota, a secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal disse ter havido latrocínio (matar para roubar), já que a casa estava revirada e alguns pertences foram levados. 
De acordo com o boletim de ocorrência, o crime correu entre 18h30 e 21h40. Após a missa, o padre teria sido abordado por pelo menos quatro homens e obrigado a entregar seus pertences. 
No momento do crime, o caseiro estava presente e também foi rendido, de acordo com a polícia.
Investigadores buscam acesso a câmeras de segurança para tentar identificar os autores. 
A secretaria de Segurança do DF lamentou o ocorrido, disse que o caso "interrompe um período de dois anos sem esse tipo de delito nessa região da cidade” e que todos os esforços estão sendo feitos para “identificar e prender” os autores. Alguns suspeitos estão sendo ouvidos neste domingo.
Segundo dados da secretaria de Segurança Pública, de janeiro a agosto deste ano, foram registrados três casos a menos de latrocínio que no mesmo período de 2018, em todo o Distrito Federal. Foram 15 neste ano, contra 18 no ano passado. 

Folha UOL


Após traição, homem mata o próprio filho de 2 anos afogado pra se vingar da mulher


Segundo a polícia, ele "relatou com frieza" o caso, que aconteceu em Campo Grande, quinta-feira (19).
Um rapaz de 21 anos foi preso na noite de quinta-feira (19), em Campo Grande, por matar o filho, de 2 anos, afogado em uma bacia, na própria casa. De acordo com a polícia, Evaldo Christyan Dias Zenteno "relatou com frieza" que matou Miguel Henrique dos Reis Zenteno porque foi traído pela mãe do menino e "queria fazer ela sofrer".
Evaldo foi preso na Santa Casa de Campo Grande após os médicos que atenderam o menino no hospital desconfiarem de situação de violência. Eles chamaram a polícia, o rapaz mentiu sobre o caso e, após se contradizer em versão de assalto e sequestro, confessou o crime.
Conforme a polícia, Evaldo disse que ligou para um amigo e contou que havia sido traído pela mãe do menino, uma jovem de 21 anos, e queria fazê-la sofrer. O amigo então o orientou matar o filho.
Segundo informações do boletim de ocorrência, na versão de Evaldo, ele falou que não tinha coragem de matar o filho e o amigo falou que faria isso junto com outra pessoa. O pai então foi para casa e lá afogou a criança em uma bacia.
O rapaz levou o filho no próprio carro para a Santa Casa e lá disse que bandidos tinham sequestrado a criança e como não tinha dinheiro para pagar resgate, a jogaram no rio Anhanduí e por isso ela se afogou. Mesma versão dada inicialmente à polícia.
A morte do menino foi constatada uma hora após ter dado entrada no hospital. A roupa que ele vestia uma camiseta, um short e um par de calçado - foi recolhida pela polícia, assim como a bacia usada para afogá-lo e a toalha que o pai usou para secá-lo.
Evaldo foi autuado em flagrante por homicídio. Ele teve a prisão preventiva decretada em audiência de custódia. O pai dele também está preso.
Segundo a polícia, o pai de Evaldo foi flagrado enquanto estuprava duas crianças de 6 e 9 anos, no município de Aquidauana, região leste do estado. O crime ocorreu no dia 23 de junho de 2017 e as investigações apontaram que ele atraía as vítimas com doces e adesivos infantis.

G1-MT




segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Pai obriga filho a fazer vídeo se despedindo da mãe antes de matá-lo


Matheus Gabriel Kuasne foi morto em um acidente provocado pelo pai, que avisou à ex-mulher o que aconteceria em várias mensagens enviadas a ela. Ele também morreu na colisão
No vídeo enviado à mãe, Matheus aparece com os olhos marejados. Pai do garoto enviou mensagens á ex-mulher avisando do que aconteceria. Foto: Arquivo pessoal
Um menino de 9 anos morreu em um acidente provocado pelo próprio pai, que também faleceu ao jogar o carro em que os dois estavam contra uma carreta na PR-445, Zona Sul de Londrina, no Paraná, no sábado (14). Pouco antes, o garoto havia sido obrigado por ele a gravar uma mensagem para a mãe se despedindo. No vídeo, Matheus Gabriel Kuasne aparece com os olhos marejados. “Mãe, adeus”, diz ele, já sentado no banco do carona do carro onde pouco depois morreria.
De acordo com a mãe do menino, Erika Patrícia Kuasne, o ex marido, de quem ela estava separada havia três anos, não se conformava com o fim do relacionamento e planejou a morte do filho como uma forma de se vingar. Em vários áudios enviados antes do acidente, Marco Antônio Alves, de 45 anos, faz várias ameaças. “Minha decisão foi tomada, não volto atrás. Ia ser você, mas aqui vai doer mais para ti”, afirma em uma delas.
“Farei isso pra você sentir falta pro resto da sua vida”, diz ele em outro texto. Antes de enviar o vídeo de despedida do filho, Marco, que segundo Erika era muito agressivo, perguntou à ex-mulher se ela queria ouvir a voz do filho pela última vez. Matheus estava com o pai desde a sexta-feira, que o apanhou em casa.
Ao receber as ameaças do ex-marido, Erika foi até uma delegacia na tentativa de buscar ajuda para detê-lo, mas pouco temo depois foi avisada do acidente. O garoto foi encontrado com vida dentro das ferragens, mas morreu antes de ser socorrido. Em uma postagem nas redes sociais, a mãe do garoto diz estar arrasada. “Hj o dia escureceu para mim… perdi meu bebê. Mas Deus sabe de todas as coisas”, diz ela antes de comunicar a morte do filho.
Em outra postagem, Erika agradece o suporte que vem recebendo. “Venho agradecer a todos que no momento mais difícil estiveram do meu lado e da minha família. Obrigada ao mundo pelas mensagens, porque recebi muita força de pessoas que nem sequer me conhecem. Louvo a Deus por isso pois sei que daqui pra frente tudo se fará novo”, escreveu ela.


quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Polícia aponta maníaco sexual do DF como possível serial killer


O cozinheiro Marinésio dos Santos Olinto, de 41 anos, pode ser o autor de pelo menos 10 crimes sexuais registrados ao redor de Brasília
Marinésio dos Santos Olinto, preso pela morte de Letícia Sousa Curado Melo (Polícia Civil do DF/Divulgação)
O homem acusado de matar a advogada Letícia Sousa Curado Melo, de 26 anos, funcionária do Ministério da Educação (MEC), no último dia 23, é apontado pela Polícia Civil do Distrito Federal como um possível assassino em série. De acordo com investigadores, o cozinheiro Marinésio dos Santos Olinto, de 41 anos, pode ser o autor de pelo menos 10 crimes sexuais registrados ao redor de Brasília.
Além da morte de Letícia, ele já teria confessado, de acordo com a polícia, o estupro e assassinato da empregada doméstica Genir Pereira de Sousa, de 47 anos. Ele é suspeito de ter matado uma terceira mulher e outras nove teriam acusado Olinto de crimes sexuais.
Após a prisão, Marinésio foi acusado de tentativa de estupro por duas irmãs, de 18 e 21 anos. Na noite do último sábado, 24, elas saíram de uma festa em Planaltina e foram abordadas pelo cozinheiro, que se apresentou como motorista de transporte alternativo. As vítimas contaram à polícia que, no caminho, ele passou a mão nas pernas de uma delas, que estava no banco da frente e parou o carro. Uma das irmãs usou uma panela de preparar algodão doce que estava no banco de trás para se defender. As duas conseguiram fugir.
No último dia 11, uma jovem de 23 anos teria sido ameaçada pelo motorista, após pegar um transporte “pirata” no Terminal Rodoviária de Planaltina. Com o veículo em movimento, segundo relato da vítima, o suspeito teria tentado estuprá-la. A jovem pulou do carro em movimento. Ela procurou a polícia depois de reconhecer Marinésio por uma foto, após a divulgação da prisão e da morte de Letícia.
Uma adolescente de 17 anos também procurou a polícia na companhia da mãe para contar que reconheceu o cozinheiro como o homem que a teria estuprado em abril deste ano. Conforme o relato, a garota seguia para um ponto de ônibus, após as aulas, em Paranoá, quando foi abordada pelo suspeito. Com uma faca, ele teria obrigado a jovem a entrar em um carro e a violentou. Marinésio ainda tentou estrangular a garota. O boletim de ocorrência do estupro foi registrado em julho.
Sequestro
Marinésio também é investigado como o possível sequestrador da doméstica Gisvania Pereira dos Santos, de 33 anos, desaparecida em 6 de outubro do ano passado, em Sobradinho, região administrativa do Distrito Federal. Uma irmã dela procurou a polícia depois de ver o noticiário sobre os crimes do cozinheiro. Uma câmera de um posto de gasolina flagrou quando o motorista de um carro branco insistiu para que ela entrasse no veículo. A mulher nunca mais foi vista.
No bairro em que morava com a mulher e uma filha de 16 anos, no Vale do Amanhecer, em Planaltina, o cozinheiro era considerado um homem pacato. De acordo com a polícia, no entanto, os moradores mais antigos relatam que há dez anos ele teria tentado estuprar uma vizinha, para quem deu carona. Desde a prisão, a casa está fechada. Sentindo-se ameaçadas, a mulher e a filha se mudaram.
Nesta quarta-feira, 28, a Polícia Civil do DF pediu que mulheres ou familiares de possíveis vítimas do maníaco procurem os órgãos policiais para registrar boletim de ocorrência. Segundo o órgão, será garantida toda privacidade. De acordo com o delegado Veluziano de Castro, que investiga a morte de Letícia, casos de ataques contra mulheres sem autoria conhecida estão sendo revistos. “Estamos revendo inquéritos de 2014 e 2015 que estavam em vias de arquivamento por falta de indícios dos suspeitos”, disse.
Carona
Segundo o delegado, o cozinheiro teria um padrão de agir, atraindo vítimas que estão à procura de transporte. Foi o que teria acontecido no caso de Genir e no mais recente, que culminou com a morte de Letícia. As duas foram mortas por asfixia, após terem aceitado a “carona” oferecida pelo suspeito. De acordo com a investigação, a funcionária do MEC foi atacada quando saiu para trabalhar. A advogada morava com o marido e o filho de 3 anos em um apartamento do Setor Arapoanga, em um bairro de Planaltina.
O delegado disse que Letícia conhecia Marinésio de vista, pois às vezes eles tomavam o mesmo ônibus. Ainda de acordo com a polícia, Marinésio viu a jovem no ponto de ônibus e ofereceu uma carona. Durante o trajeto, ele a teria assediado e, como a jovem rejeitou a investida, foi estrangulada. A perícia vai esclarecer se o estupro foi consumado, crime que Marinésio nega. O corpo foi abandonado à margem da rodovia DF-250. Letícia foi sepultada nesta terça-feira, 27, em Planaltina, em meio a manifestações contra os abusos.
Ainda segundo o delegado, assim que Marinésio foi preso pelo assassinato da advogada, os policiais estabeleceram a ligação dele com a morte de Genir. Ela trabalhava em uma pizzaria e, no dia 2 de junho, saiu de casa e não chegou para o trabalho. O corpo foi achado dez dias depois em uma mata, entre a pizzaria e o local em que ela morava, em Planaltina. Imagens de câmeras mostram o veículo do cozinheiro passando pelo local em que Genir desapareceu.
O cozinheiro foi transferido nesta quarta-feira, 28, para a carceragem do Departamento de Polícia Especializada. Ele será submetido ao reconhecimento por outras possíveis vítimas. Ele deve responder por homicídio qualificado, pelos assassinatos de Genir e Letícia, podendo receber pena de 12 a 30 anos em cada caso. Marinésio também pode responder por estupro nos casos de mulheres que relataram as violências, com penas previstas de de 6 a 10 anos por crime.
A reportagem procura pelos defensores de Marinésio dos Santos Olinto.



terça-feira, 27 de agosto de 2019

Com áudios polêmicos, mulher aponta os ‘cornos’ da cidade de Brejo do Cruz-PB e termina morta a tiros (VEJA VÍDEO)


A cidade de Brejo do Cruz foi dormir com mais um crime violento na estatística do município. Uma mulher identificada como Rosália Maia foi assassinada a tiros por desconhecidos que a abordaram na rua da subestação.
Rosália se envolveu em polêmicas nas redes sociais depois de apontar, em áudios, os possíveis homens cornos da cidade, inclusive citando seus nomes. E tudo leva a crer que essas difamações tenham motivado o crime.
Com o assassinato de Rosália, os áudios voltaram à tona nas redes sociais e isso inclusive pode ajudar a polícia na linha de investigação para chegar ao culpado e/ou aos culpados. Até agora a lei do silêncio impera na cidade.



terça-feira, 6 de agosto de 2019

Mundo louco! Homem não se conforma com fim do relacionamento e quebra tijolo na cabeça em Parelhas, RN


Na manhã desta terça-feira (6) de Agosto aconteceu um caso inusitado em Parelhas-RN, Um homem inconformado por que a mulher não quis mais ele, resolveu se vingar.
Ele pegou um tijolo e quebrou na sua própria cabeça. Após quebrar o tijolo na cabeça ele foi socorrido para o hospital da cidade Dr. José Augusto para ser atendido. Final das contas o homem ficou sem mulher e com a "cabeça quebrada", ainda bem que ele se vingou nele mesmo e não na ex-mulher. 

Por JSBlogueiro

Amanhã vou na delegacia, disse mulher a uma amiga, antes de ser morta pelo ex-marido, na PB


Ela foi morta com dois tiros e, em seguida, o suspeito se matou.
Foto: Reprodução/TV Cabo Branco
Rosinete Martins da Silva, de 44 anos, era cabeleireira. Nesta segunda-feira (5), ela não abriu o salão de beleza porque estava com medo das ameaças do ex-marido. Ele não aceitava o fim do relacionamento. Antes de ser assassinada por José Gomes da Silva Neto nesta segunda, em Juazeirinho, no Cariri da Paraíba, Rosinete ligou para uma amiga e disse que iria denunciá-lo, no entanto, a delegacia estava fechada. "Amanhã eu vou na delegacia, às 8h eu vou lá", disse ao telefone.
No entanto, Rosinete Martins não teve a oportunidade da defesa. Como a delegacia estava fechada, ela decidiu não sair de casa e esperar pelo dia seguinte. Mas por volta das 15h, o ex-marido da cabeleireira entrou na casa e efetuou dois tiros que atingiram Rosinete na cabeça e no braço. Em seguida, ele se matou com um tiro na cabeça.

Do G1 Paraíba 

Mulher mata amiga a facadas após se interessarem pelo mesmo homem durante festa


Pessoas que estavam na festa tentaram separar as duas durante a briga
Foto/Reprodução
Uma mulher, identificada como Zelma Carneiro da Silva, foi morta a facadas pela amiga neste domingo, 04, durante uma festa em Curralinho, localizado no Marajó no Pará. Segundo testemunhas, as duas chegaram juntos na festa e se desentenderam após se interessarem pelo mesmo homem.
Pessoas que estavam na festa tentaram separar as duas durante a briga, mas não foi o suficiente para impedir a morte de Zelma. Ela teve perfurações no peito e nas pernas. Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionada, mas ao chegar no local a vítima já estava sem vida.
A autora do crime é menor de idade e responderá conforme legislação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Direto do Roma News

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Jovem morre após ser baleada por amiga e polícia investiga tiro acidental na Bahia


Amanda Ferreira dos Santos, 21 anos, foi atingida nas costas e morreu a caminho do hospital.
Uma jovem de 21 anos morreu após ser atingida por tiro de espingarda, disparado por uma amiga dela, na zona rural de Sento Sé, na região norte da Bahia. De acordo com informações da delegacia da cidade, a principal linha de investigação é de que o o tiro foi acidental.
Amanda Ferreira dos Santos estava dentro de um imóvel no distrito de Junco, onde tinha ido participar de uma festa, na quarta-feira (31), quando a amiga dela chegou com uma espingarda, dizendo que iria caçar passarinhos. Pouco tempo depois, a vítima foi atingida nas costas.
Uma jovem de 21 anos morreu após ser atingida por tiro de espingarda, disparado por uma amiga dela, na zona rural de Sento Sé, na região norte da Bahia. De acordo com informações da delegacia da cidade, a principal linha de investigação é de que o o tiro foi acidental.
Amanda Ferreira dos Santos estava dentro de um imóvel no distrito de Junco, onde tinha ido participar de uma festa, na quarta-feira (31), quando a amiga dela chegou com uma espingarda, dizendo que iria caçar passarinhos. Pouco tempo depois, a vítima foi atingida nas costas.

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Criança de quatro meses é espancada até a morte pelo próprio pai em Areia Branca-SE


Um crime bárbaro chocou os moradores do município de Areia Branca no estado de Sergipe. As primeiras informações são de que uma criança de apenas 4 meses foi espancada até a morte e o principal suspeito o atual companheiro da mãe e pai da criança.
Segundo informações, o suspeito e a mãe da vitima, que é da cidade de Coronel João Sá, na Bahia, e que atualmente reside em Areia Branca, teriam ingerido bebida alcoólica durante este feriado do dia 8, e na madrugada desta segunda-feira (09) o suspeito teria espancado a criança até a morte.
Um dos policiais que atendeu a ocorrência, cabo Arialdo, informou que uma criança de 8 anos e irmão do bebe que morreu, teria visto o padrasto, o pai da criança, dando mamadeira (alimentação) à criança quando esta começou a chorar. Ele teria se irritado e arremessado a criança contra a parede.
Após cometer o crime, o homem que seria casado e residente no município de Itabaiana, teria fugido tomando rumo ignorado.
Policiais militares informaram que foram procurados pela mãe e que ela disse que quando acordou já encontrou o bebê sem vida, no chão.
Até o momento ninguém foi preso.
Com informações do Faxaju

Aos 77 anos, morre o jornalista Paulo Henrique Amorim


Jornalista morreu em casa, no Rio de Janeiro, quando sofreu um enfarte fulminante. Paulo Henrique Amorim era jornalista desde 1961
Paulo Henrique Amorim. Foto: Paulo Pinto/AGPT
O jornalista Paulo Henrique Amorim morreu na madrugada desta quarta-feira (10) aos 77 anos. Ele morreu em casa, no Rio de Janeiro, quando sofreu um enfarte fulminante. Paulo Henrique Amorim trabalhava na área desde 1961. Entre 2006 e 2019, foi apresentador e repórter do Domingo Espetacular pela Rede Record. Atualmente, além de escrever para jornais e revistas pelo país, mantinha o blog Conversa Afiada. Ele deixa uma filha e a mulher, Geórgia Pinheiro.
Nascido no dia 22 de fevereiro de 1942 no Rio de Janeiro, Paulo Henrique Amorim era formado em sociologia e política. Filho do jornalista e estudioso do espiritismo Deolindo Amorim, seguiu os passos do pai desde cedo, trabalhando na imprensa desde adolescente. Paulo Henrique estreou no jornal A noite, em 1961. Depois foi para Nova York, atuando como correspondente internacional da revista Realidade e, posteriormente, da revista Veja.
Na televisão, passou pela extinta TV Manchete e pela TV Globo, também como correspondente internacional.  Em 1996, foi para a TV Bandeirantes, onde apresentou o Jornal da Band. Depois, passou pela TV Cultura. Em 2003, foi contratado pela TV Record, onde apresentou o Jornal da Record. Também ajudou a criar a revista eletrônica Tudo a Ver na emissora. Depois, assumiu a apresentação do Domingo Espetacular, onde ficou até junho deste ano.
O jornalista participou de grandes coberturas como a da eclosão do vírus ebola na África (1975 a 1976); a eleição (1992) e a posse do então novo presidente norte-americano Bill Clinton (1993); os distúrbios raciais (1992) e o terremoto (1994) de Los Angeles; a guerra civil de Ruanda e a rebelião zapatista no México (1994).

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Rapaz assassina irmão a golpes de tesoura por conta de um cigarro


Jonathan Gomes Rodrigues foi morto por ter reclamado do cheiro da fumaça na casa da mãe. Suspeito foi preso em flagrante a assumiu a autoria do crime
Relação de Jonathan (foto) e o irmão que o assassinou era conturbada desde que eles eram crianças. Foto: Reprodução
Um homem foi assassinado pelo próprio irmão a golpes de tesoura dentro de um conjunto residencial no bairro do Engenho Velho, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife. De acordo com informações preliminares da polícia, a vítima, identificada como Jonathan Gomes Rodrigues, teria ido ao apartamento da mãe para montar um móvel quando discutiu com o irmão, Jonas Gomes Rodrigues, de 25, por ele estar fumando em um dos quartos.
Segundo o suspeito, depois disso Jonathan bateu nos fios do computador que ele usava quando fazia a montagem do móvel e os dois entraram em luta corporal. “Consegui sair e peguei uma tesoura. Quando ele veio bater em mim, eu dei os golpes”. Segundo Jonas, o irmão sofreu ferimentos nos braços e no tórax. “Ele tentou correr e caiu. Eu peguei uma sacola, amarrei nele para tentar parar o sangramento e coloquei gelo nas feridas, mas ele começou a passar mal. Eu ainda tentei fazer massagem cardíaca e respiração boca-a-boca nele, mas ele não resistiu”, contou.
Quando viu o irmão parar de respirar, Jonas saiu do local e se escondeu em uma mata, mas se arrependeu de ter fugido e voltou ao local do crime para se entregar.  Ao chegar ao conjunto residencial, a Polícia Militar estava lá e o prendeu.
Segundo o suspeito, a relação dele e de Jonathan era muito conturbada desde que eles eram crianças. “A gente brigava muito, eu jogava pedras nele e já puxei uma faca pra ele”, relatou. Jonathan era o único irmão de Jonas, que assumiu consumir drogas. A polícia ainda não sabe se ele estava sob efeito de algum entorpecente quando cometeu o crime.
Jonas foi levado à Delegacia de Prazeres, onde foi autuado em flagrante por homicídio. Ele deve ser submetido a audiência de custódia nesta sexta-feira para que a Justiça defina se ele permanece preso durante o inquérito que vai apurar o caso.

OP9