NOME NOME NOME

domingo, 17 de junho de 2018

Amante provocava personal morto a tiros em MT,e dizia que marido era 'ruim de cama'; veja mensagens



As informações foram extraídas de áudios enviados por Ane Lise para o celular do personal Danilo Campos, morto a tiros a mando do marido de Ane.
Mensagens de voz encontradas pela Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), durante análise de celulares apreendidos, revelam mensagens picantes enviadas por Ane Lise Hovoruski ao personal Danilo Campos, que foi morto a tiros em novembro de 2017, a mando do marido de Ane, Guilherme Dias de Miranda, que está preso. Nas mensagens, Ane provocava o personal dizendo que o marido não "fazia nada na cama" com ela e reclamando do "pouco caso" no personal sobre seus pedidos. "Vou ter que arrumar outro homem", dizia.
“Passo o dia inteiro na cama com meu marido, ele não faz nada, aí eu quero você e, quando eu tenho 10 minutos você nem me atende”, diz Ane em um dos áudios.
As conversas analisadas pela Politec mostram como Ane instigava Danilo, confirmando o que disseram amigos do personal em depoimentos sobre o assassinato.
Sexo Anal
Ane provocava Danilo sobre o assunto e disse, em um dos áudios, que não praticaria com ele por causa do tamanho.
“Nem vou falar nada pra você... é muito filho da P#?%. Olha o tamanho do teu P#?%, como é que guenta?!... Vô dar o c#?% pra você não”, diz a aluna em um dos áudios enviadas ao personal Danilo Campos.
O teor das mensagens, conforme apurado pela Politec, revelam que a Ane, que era aluna de Danilo da academia Smart Fit, mantinha um relacionamento amoroso com o personal.
O crime
Danilo estava na Rua General Ramiro de Noronha, em Cuiabá-MT, às 21h20 do dia 8 de novembro, quando uma dupla se aproximou em uma motocicleta. O garupa sacou a arma, atirou diversas vezes e fugiu. Duas pessoas foram presas pelo assassinado, Walisson Magno da Silva e Guilherme Dias.
Ane chegou a ser presa em fevereiro de 2018, porém, foi liberada após não ter a participação no crime comprovada e afirmar que era ameaçada e agredida pelo ex-marido, conforme investigação da Delegacia de Homicídios de Proteção à Pessoa (DHPP).
Conforme as investigações, Guilherme Dias contratou dois assassinos para matar Danilo, como uma forma de vingança por ter sido traído. 
Guilherme Dias teria usado um perfil falso no WhatsApp para conversar e intimidar a Ane Lise Hovoruski. A conversa, conforme a investigação, foi mantida um mês após o assassinato, quando Guilherme, mandante da execução, estava foragido. “Então você está solteira? Posso ver você? Nada demais, já que está solteira acredito que não haverá problema”, escreveu Guilherme se passando por um personal conhecido da vítima.
Marido traído usou perfil falso de personal para marcar encontro com mulher e matar amante
As conversas levaram a Polícia Civil, em janeiro de 2018, a indiciar Guilherme e pedir a prisão temporária dele.
Guilherme Dias e Walisson Magno da Silva, autor dos disparos, foram presos no dia (9) de março, em São Paulo, usando documentação falsa e com passagens compradas para os Estados Unidos.


Repórter MT

comentário(s) pelo facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentarios aqui publicados não expressam a opinião do blog