NOME NOME NOME

domingo, 3 de junho de 2018

Jovem é executada e decapitada após “sentença” de “tribunal do crime”



Lailla Cristiane Lemos, de 19 anos, foi acusada pelos criminosos de transitar entre duas facções e praticar “dupla espionagem”.
Lailla Cristiane de Arruda, de 19 anos, foi encontrada decapitada no início da tarde desta sexta-feira (1º) em um canavial, próximo ao rio Confusão,em Sonora no Mato Grosso do Sul. 
Conforme informações obtidas, Lailla estaria desaparecida há pelo menos dois dias e a Polícia Civil do município realizava buscas na tentativa localizá-la. O corpo da jovem foi encontrado junto com a cabeça que estava ao lado, uma foto da cena do crime está circulando nas redes sociais, e é bastante forte.
O caso está sendo investigado pela polícia que adiantou que o crime pode ter sido cometido por conta do envolvimento da vítima com integrantes de duas facções criminosas. Lailla estaria fazendo o famoso “leva e traz” de conversas entre uma facção e outra, e foi julgada pelo “tribunal do crime”, o caso ainda está sendo investigado, mas esse seria o principal motivo do homicídio que deixou a cidade de Sonora bastante chocada devido tamanha brutalidade.
Crime chocou a cidade
Lailla entrou em um VW Gol e foi levada até um canavial próximo ao Rio Confusão, na zona rural da cidade e arrancada para fora do veículo. Eles obrigaram a vítima a ficar de joelhos e um deles, adolescente de 17 anos, golpeou o pescoço da vítima com extrema violência. A cabeça da mulher chegou a ser arrancada para fora do corpo.
A polícia chegou até os suspeitos na noite do dia (1°) após testemunhas denunciarem que a jovem teria sido vista pela última vez na companhia de Rodrigo França, de 21 anos, Alexandro Silva dos Santos, de 24 anos e dois adolescentes de 15 e 17 anos. Os acusados disseram que a vítima fazia “leva e traz” de informações entre facções criminosas rivais que atuam em MS e MT. O crime chocou a cidade, que abriga pouco mais de 15 mil habitantes, e foi classificado como “julgamento no tribunal do crime”.

comentário(s) pelo facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentarios aqui publicados não expressam a opinião do blog