NOME NOME

quinta-feira, 28 de março de 2019

Preso casal suspeito de participar da morte da PM Caroline Pletsch



Soldado catarinense Caroline Pletsch estava de férias com o marido em Natal-RN, quando foi vítima de latrocínio em uma pizzaria
Soldado catarinense Caroline Pletsch estava de férias com o marido, também PM, Marcos Paulo, quando foram alvos de assalto em pizzaria na Zona Norte. Foto: Arquivo Pessoal

Policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam nesta quinta-feira (27) um casal suspeito de participação, como autores intelectuais, do assalto que terminou com a morte da soldado Caroline Pletsch, de 32 anos, da Polícia Militar de Santa Catarina - crime ocorrido em uma pizzaria na Zona Norte de Natal em março de 2018. Na ocasião, o marido dela, que também é PM, foi ferido. Caroline e Marcos Paulo da Cruz passavam férias na capital potiguar.
Os presos são Raissa Torres Lima de Souza e Wewerton Lenário Gomes da Silva, já indiciados pelos crimes de latrocínio consumado (roubo seguido de morte) e latrocínio tentado, já que o marido da catarinense sobreviveu.
Os outros envolvidos no crime são João Victor da Silva Pereira, hoje com 19 anos, que foi preso no dia 11 de abril, uma adolescente de 16, e ainda Mateus da Silva Régis, de 17 anos, que morreu no dia 15 de agosto do ano passado ao trocar tiros com policiais militares durante o sequestro do filho do ex-prefeito de Lajes e hoje deputado federal Benes Leocádio, crime também ocorrido na Zona Norte de Natal. No confronto, o filho do parlamentar, Benes Leocádio Júnior, de 16 anos, também acabou morto.
O crime
A soldado Caroline Pletsch e o sargento Marcos Paulo da Cruz residiam na cidade de Chapecó, em Santa Catarina, e estavam de férias em Natal. Eles lanchavam em uma pizzaria no conjunto Parque das Dunas, na Zona Norte da cidade, quando foram surpreendidos por dois assaltantes. Houve luta corporal e o sargento acabou baleado duas vezes. Já Caroline, levou um tiro no peito ao tentar separar a briga.
Vizinhos da pizzaria prestaram os primeiros socorros, mas a soldado não resistiu ao ferimento. Marcos ainda passou 19 dias internado antes de retornar para Santa Catarina.
Após os disparos, segundo as investigações, os dois criminosos teriam fugido com a ajuda de Raissa e Wewerton. "O casal, e mais a adolescente de 16 anos, estavam em um carro estacionado próximo da pizzaria, e foram eles que planejaram o assalto. Por isso consideramos que eles são os mentores, os autores intelectuais do crime", explicou o delegado Rysklyft Factore, que presidiu o inquérito.

comentário(s) pelo facebook:

0 Deixe seu comentário:

Postar um comentário

Os comentarios aqui publicados não expressam a opinião do blog